domingo, 25 de outubro de 2009

GRANDE EVENTO CULTURAL EM CAICÓ.

Participem da Primeira Feira de Livros de Caicó, um evento que marcará profundamente a História cultural de Caicó. Serão quatro dias de manifestação com direitoa teatro, shows culturaos e oficinas, além de debates. Teremos também a presença do ilustríssimo cantor Gabriel O Pensador. Não percam. Você poderá se inscrever numa das oficinas. Para maiores informações consultem o blog:


PROGRAMAÇÃO DA PRIMEIRA FEIRA DO LIVRO DO SERIDÓ, REALIZADA NA ILHA DE SANT'ANA 2009.

DIA 29 DE OUTUBRO:


DIA 30 DE OUTUBRO:


DIA 31 DE OUTUBRO:


DIA 01 DE NOVEMBRO:


EXPOSIÇÃO DE LIVROS DO EVENTO:
Box- Expositor
A- Poty Livros
B- Lcultural
C- De Araújo Cultural
D- Paulinas Livraria
E- Emergir Editora - RJ
F- Liv. Câmara Cascudo
G- Paulus Editora
H- Prefeitura de Caicó
I- SEBRAE
J- Governo do Estado do RN
K- Cultura Editorial
L- Editora IMEPH
M- Cheque Livro
N- Secretaria

sábado, 24 de outubro de 2009

NOVA RODOVIÁRIA EM CAICÓ ESTÁ EM COSNTRUÇÃO.

A NOVA CAICÓ ABARCA O PRÉDIO DA NOVA RODOVIÁRIA DE CAICÓ.
A Nova Rodoviária da Cidade de Caicó promete ser a mais moderna em termos de acomadações destinadas ao público rodoviário que irá frequentá-la. A infraestrutura é bem chamativa e a rapidez no atendimento almeja ser das melhores. Esse empreendimento está localizado no mais novo bairro caiocoense conhecido por Nova Caicó, localizado na zona norte da cidade, logo após o Presídio O PEREIRÃO. É mais espaçosa e arejante e os viajantes poderão ter certos confortos na chegada e na espera de suas viagens.
FOTOS ( Fonte: http://www.ocabore.com/ , esquerda, Nova Caicó, e direita, Nova Rodoviária).

SHOPPING POPULAR SERÁ A MAIS NOVA ATRAÇÃO DE CAICÓ!

É UM PROJETO ESPECIAL DO ATUAL PREFEITO BIBI COSTA.

O prefeito de Caicó, Bibi Costa (PR), apresentou na terça-feira (20) a alguns vereadores da Câmara de Caicó seu projeto arquitetônico de construção futura do SHOPPING POPULAR. Esse que parece ser um minishopping será construído possivelmente no lugar do prédio da Rodoviária, que fica por trás do Banco do Brasil no centro da cidade. A idéia, de acordo com a intensão de Bibi, é deslocar os camelôs, que atualmente se acham espalhados pelo meio das avenidas trafegáveis de Caicó com suas barraquinhas de apetrechos comercializáveis, sem qualquer meio de segurança, inclusive arriscando suas vidas no trânsito caótico do município e impedindo tráfego livremente das avenidas. Eles se esparramam nas ruas e fazem suas transações ao ar livre.Por isso o espaço recebe o nome de Feira Livre. Segundo o site http://www.prefeituradecaico.com.br/ , o Shopping vai funcionar com dois pisos, em cada um deles com cerca de quarenta quiosques. Para a realização deste intento "Vamos conseguir recurso com Governo do Estado e em Brasília, para resolver a situação dos camelôs de Caicó. Não podemos retirar eles da rua e deixá-los sem empregos. Precisamos de alternativa e o Shopping será a solução", disse o prefeito ao dito site. O problema que se nota é que em termos históricos mais uma vez esse projeto pode significar uma desnorteação dos elementos que compõem a História da Cidade de Caicó, como ocorreu com o antigo prédio da prefeitura, com o antigo hotel Vila do Príncipe, com a Praça da Liberdade, com o Antigo Mercado Público Municipal, com a Antiga Rodoviária e com o referido Castelo de Engady. O que se nota é que a tradicional Feira Livre de Caicó perderá sua patente, visto que os camêlos que antes perambulavam pelas ruas decerto não se virão mais pelas encostas de calçadas. O Poder Público organiza seus espaços, porém destrói sua história aos poucos. Por outro lado a idéia de se construir um Shopping Popular na cidade é animadora e bastante pertinente devido a falta inconteste de uma obra de arquitetura como esta, mesmo que ela seja uma réplica dos megas-shoppings que se acham espalhados pelo Brasil. Tenho sempre me inquietado com a falta de interesse de grandes empresários com o Seridó norteriograndense, já que não emerge uma idéia de se criar um mega shopping em pleno sertão seridoense. Entristece-me isso tanto que passo a acreditar que os empresários só visam mesmo é capital, enquanto que o interior estaria renegado a viver no ostracismo delirante do atraso desenvolvimentista. Ou talvéz isso seja falta de interesse político. Mas, diga-se de passagem que o Projeto do Shopping Popular é uma idéia chupimpa...porém faço questões de interesses à parte: ele terá escada rolante? Terá elevador? Terá o tão almejado Cinema? Ele vai ser aberto os sete dias da semana? É PRECISO GERIR ENTORNO DESSE QUESTIONAMENTO.

ATEU ATESTA A TUDO!


QUESTÃO DE FÉ DEMAIS, FÉ DE MENOS!


POR: ORLANDO RODRIGUES.
A religião é o atraso do Mundo e essa ruma de padroeiras/padroeiros é o maior engodo que se tem notícia na terra de pobres, miseráveis, idiotas e sabidos. A começar porque não existe deus, e daí em diante ele não criou nada, nem Eva, nem Adão, a terra, o éden, o paraíso, purgatório, inferno e céu.
Ninguém prova. Como diria João Uchoa, cadê os documentos comprobatórios, as escrituras passadas em cartórios e outras certidões, como nascimento e batismo. Se deus existisse, era o maior predador do universo porque, a todo instante, ele extermina milhões de crianças que nascem a cada segundo.
E, juntando com os jovens e adultos que morrem assassinados, afogados, em todos os tipos de desastres e de doenças, em carnificinas sem fim, seria o exterminador do presente e do futuro. Mas, os picaretas da fé só atribuem coisas boas ao seu deus, enquanto as más são obra do demo, do diabo simples e que também é conhecido por diabo a quatro.
Tenho um amigo evangélico que tem como protetor o “senhor Jesus”, mas, vez por outra, sofre uma decepção familiar ou é assaltado, e põe a culpa no satanás. Dias desses, uma filha dele mandou um grana braba da Europa pra ele. Mal sacou na agência bancária, a meninada levou.
Quer dizer, não deu tempo nem de cheirar as verdinhas – e moeda estrangeira forte cheira mais do que bunda de recém nascido! Nos encontramos, eu perguntei:
- Já tem pistas do ladrões, amizade?
Ele:
- Que nada, foi o demônio!
Eu:
- Foi mesmo? E por que jota cristo que não lhe defendeu?
Nunca mais ele falou comigo!
Dona Maria é radical na crença e defesa do senhor Jesus. Quando eu estava para receber um rim novo do meu filho Reno, ela até me aconselhou:
- Não sacrifique seu filho. Jesus vai lhe conseguir um rim!
Eis a resposta de uma tolerância zero juramentado:
- Por que a senhora ainda não conseguiu uma perna normal para seu Chico, o maridão!
Outra vez, em uma agência bancária, mais troca de aspas:
- Só vou morrer depois que o senhor Jesus voltar!
- Já faz mais de dois mil anos que vocês esperam por isso e nada. E, se ele voltar e eu for vivo, entro com uma ação na justiça, pois também quero meu pai, minha mãe e meus irmãos que partiram de volta!
Nunca mais nos falamos.
Portanto, anjos e santos e seus milagres são blefes e, mais ainda, essas estatuetas de madeiras que apareceram nos rios e foram encontradas por pescadores não passam de conversa de caçador, a classe mais mentirosa do mundo.
Ei, brodis, alguém tem notícia de que uma imagem qualquer fora encontrada em rios secos, os chamados periódicos? Sabem o porque? Simples, pois rio seco não é navegável exatamente por que é seco! Rá, Ra, Rá, Rá, Rá!
Os católicos são contraditórios: atacam os ditos evangélicos que conversam com o senhor jesus a todo instante, como o Neguim Moacir, conhecido na época da putaria como Gueguinha, chamando-os de fanáticos, mentirosos, picaretas da fé. E, eles, por exemplo, são o que? Por acaso, diferem uns dos outros?
No caso de “nossa senhora Aparecida”, dois pescadores fazia dias que não tarrafavam nem piabas, mas, de repente, pescaram uma estatueta preta, de madeira, mas faltando a parte da cabeça. Lancearam novamente e… pimba, arrastaram a cabeça.
Aí, segundo a lenda e a novela A Padroeira, mostrada pela Globo, pescaram toneladas de tilápias. Isso teria acontecido na primeira década de 1700. Pois é, rapaziada crente e temente aos desígnios celestiais, naquela época não havia tilápias em nenhum reservatório de água no Brasil e na América Latina.
Mas, tudo bem, o enrola trouxa prosseguiu até hoje, digo, até ontem, com as comemorações, celebrações religiosas e profanas também, rolando, em torno do repiau muito dinheiro, birita e outros sadio tipos de sacanagens.
Já em Belém, do Pará, o Sírio de Nazaré deveria ser Síria, que é do sexo feminino. Milhões de marmotas e abestaiados encheram praças e ruas da capital paraense atrás do trem elétrico que puxava a procissão. Os sacerdotes anchos da vida.
Vige, já ia me esquecendo, no meio da multidão, o repórter global entrevista um energúmeno:
- Por que o senhor está chorando, caminhando descalço?
- Porque a minha padroeira deu uma casinha pra mim e minha família!
Ah, é! Eu pensava que era LULA, que estava dando casa pros pobres!
Pituleira: é verdade que propaganda enganosa é crime?

HOJE A FESTA É NOSSA!
Ontem foi feriado nacional por conta do dia criança, e não de aparecidas e aparecidos. Aliás, depois do aniversário de cada uma, 12 de outubro é a maior festa delas. Todos já fomos crianças, mesmo nos momentos mais difíceis, sufocantes, tristes, de fome ou de barriga cheia.
A disparidade social atinge em cheio a criançada que nasce e vive na pobreza, mas, às vezes, ela nem sente o que de ruim e podre está ao seu redor.
Mas, deixando isso de lado, vamos comemorar a data de ontem como se fosse hoje porque criança é um bem que nos marca para sempre. Quando meu filhos nasceram, escancarei a bocona que molda a minha beleza plástica, mas com a chegada dos netos fiquei mais ainda abasbacado.
Fonte: http://www.ocabore.com/

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

ATRAÇÕES CULTURAIS NA 1 PRIMEIRA FEIRA DE LIVROS DE CAICÓ/2009


Programação para a 1º Feira de Livros de Caicó

Fonte: Roberto Flávio, às 23:05
29/10/09
CIRCO DA LUZ
09h00: Cia de Teatro Arte e Vida
São jovens amigos que juntaram um grupo de teatro ha 4 anos. Também são responsáveis pelo espetáculo Paixão de Cristo em Caicó. É um grupo de comédia, com apresentações bem humoradas e rápidas.
10h00: Forró Cultural
11h00: Grupo de Flauta Doce da Aldeia SOS
Formado por 35 crianças de um projeto musical da Aldeia SOS de Caicó. São crianças internas como também da comunidade. No concerto temos clássicos da MPB, cantigas de roda.
ANFITEATRO
19h00: Abertura Oficial
20h00: Orquestra Filarmônica de Cruzeta
Negros do Rosário
PALCO PAVILHÃO
10h00: Marcos Vinícius
15h00: Max e Banda
30/10/09
CIRCO DA LUZ
09h00: Arraiá do Gonzagão
10h00: Orquestra Filarmônica Recreio Caicoense / Bandas Marciais e Fanfarras
19h00: Bate-papo sobre a importância da presença feminina na literatura com Salizete Freire Soares, Diva Cunha e escritora Caicó
20h00: Noite da Cantoria
PALCO PAVILHÃO
09h00: Markinhos Carrera
15h00: Quarteto de sax
Grupo instrumental, em que no concerto apresentam clássicos nacionais e internacionais, jazz, blue. Também formados por ex-alunos da aldeia SOS de Caicó.
31/10/09
CIRCO DA LUZ
09h00: Cia de Teatro Catadores de Vida: Espetáculo: Os Tambores do Rosário. Texto de Djalma Mota. Direção: Alexandre Muniz
Formado por 18 crianças e adolescentes (entre 06 e 18 anos) do Bairro Frei Damião (periferia de Caicó - Favela). É um trabalho voluntário do Prof. Alexandre Muniz, iniciado no ano de 2008, mês de abril, com essa comunidade, para tirar crianças e/ou adolescente do lixão. Pois os mesmos eram catadores de lixo. Daí o nome: Catadores de Vida.
10h00: Grupo de dança Regional
11h00: Cia de Teatro Filhos de Acauã
19h00: Vicente Serejo e Tarcísio Gurgel
20h00: Antonio Francisco
PALCO PAVILHÃO
09h00: Paulo Lúcio e seu violão mágico e o Saxofonista Carlos Guedes.
15h00: Paletozinhos do Forró: Trio de forró. Constituído por pai, filho e irmão. Apresentam músicas de Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Jorge de Altinho. Ou seja, forró autêntico.
01/11/09
CIRCO DA LUZ
19h00: Palestra “Políticas Públicas de Livro e Literatura” com Fabiano dos Santos, Diretor Nacional de Livro, Leitura e Literatura do Ministério da Cultura.
20h00: Gabriel O Pensador
PALCO PAVILHÃO
09h30: Quinteto Caicó 15h00: Anne Kariny.

BREVEMENTE CONCURSO PÚBLICO EM CAICÓ.


PLANO DE CARGO, CARREIRA E SALÁRIOS É APROVADO EM CAICÓ.

O prefeito Bibi Costa, no uso de suas atribuições, foi contemplado com a decisão unânime da Câmara de Vereadores de Caicó, nesta terça-feira (29), a partir das 14 horas da tarde. A bancada se reuniu, no salão de reuniões do Centro Administrativo. A pauta da reunião foi centrada na apresentação do Plano de Cargo, Carreira e Salários do Funcionalismo Municipal. A reunião teve a participação indelével do Poder Legislativo, Poder Municipal e Sindicatos de Caicó. Agora só falta ser aprovado em diário oficial a data para a realização do Concurso Público Municipal. O Concurso teraá em média 800 vagas para o município. Esse "plano contempla a progressão profissional e a possibilidade de desenvolvimento e valorização individual por progressão. As progressões podem acontecer por: conhecimento, visando incentivar a formação e o desenvolvimento intelectual, possibilitando o crescimento na carreira, de acordo com o grau de escolaridade; ou, por merecimento, que visa incentivar a melhoria do desempenho e dos resultados individuais e coletivos, possibilitando o crescimento na carreira após avaliação de desempenho funcional", disse a secretária do site da prefeitura de Caicó Wilana Dantas. Em outras palavras, quem se desenvolver mais em prol de si e da sociedade caicoense vai ganhar mais no seu ordenado. Vivas para a classe de professores e artístas culturais. Nessa perspectiva, aguardem o Concurso da Prefeitura de Caicó!

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

PRODUÇÃO DEL LA ESPAÑA.

POEMA: AHORA YACE TU AMIGO...
POETA: Kushal Khan

Ahora yace tu amigo
Despierto en la noche templada,
Tibio de ti todavía,
lleno aún de tu aroma,
De tu mirada,
De tu pelo y de tu beso,
Ioh medianoche,
Oh luna y estrella,
Y aire azulado de neblina!
Sólo tu rostro veocomo pálida flor,
Y río en silencio y extasiado lloro,
Sólo estás tú, sólo nosotros,
Sumergidos en el profundo
Todo,en el profundo mar,
Allí estamos perdidos,
Allí morimos y para renacer volvemos.

LABOINFO DO CERES PROMOVE EXCLUSÃO DIGITAL

Em pleno momento em que muitos debates já tem se sucedido em prol da defesa pela extinção da exclusão digital, o CERES - Centro de Ensino Superior do Seridó - localizado em Caicó/RN, não se comove com a causa pública e cerceia limites de acesso aos microcomputadores que se instalam numa sala chamada de LABOINFO. A exclusão se inclina pelo fato de muitos estudantes do CERES não serem dotados de posses financeiras que contribuam para uma aquisição de um computador em casa, muitos veem na presença de computadores no CERES uma grande ferramenta de ajuda para a digitação de trabalhos acadêmicos e/ou vinculados a Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Muitos desses universitários se desesperam a pensar na possibilidade de frequentar uma Lan House para digitar os seus preciosos trabalhos, sem contar os acadêmicos que estão no período de monografia e precisam desesperadoramente de um microcomputador para a formatação de suas produções. A exclusão se acentuou ainda mais quando o CERES decidiu implantar um novo curso "Sistema de Informação", que tirante do trivial de ser um curso muito importante para o Seridó, essa nova modalidade necessita cada vez mais do LABOINFO para a aplicação de suas aulas. Os alunos que antes se abasteciam dos computadores para realizarem seus trabalhos, agora veem-se obrigados a mendigarem por outros lugares ermos. ISSO É UMA VERGONHA E UMA COMPLETA FALTA DE SOLIDARIEDADE PARA COM OS NOSSOS HUMILDES E FUTUROS PROFISSIONAIS. É preciso que se construa urgentemente outra sala de microcomputadores para ver se com isso o CERES possa deixar de praticar a exclusão social. E o Governo Federal já tem demonstrado apoio as causas educacionais desse Brasil. Outro grande déficit é a intragável postura arrogante de certos servidores do CERES que demonstram completa falta de respeito e dedicação ao ofício que lhes competem, ISSO É O CÚMULO DA FALTA DE BOAS RELAÇÕES PESSOAIS. A crítica poderá ser humilhante, mas poderá ser construtiva na medida que os problemas e inquietações forem resolvidos.

CATIVEIRO DOS CONES


POEMA: CATIVEIRO DOS CONES
AUTOR: EDNALDO LUIZ DOS SANTOS


São preenchidos de glândulas macias
Qual flor suave e aromática
As pontas são rígidas e perfurantes
Qual flecha que me penetra ofegante
O formato se inclina para o solo
Procurando um mancebo para sugar
Faz um ângulo pudendo na medida
Pro cateto oposto ir penetrar
Tão frenética é a bela hipotenusa
Que manobra os seus filhos com amor
Na esbéltica atração que não lambuza
O paladar mais sentido dessa vida.
O olfato tem ferônimos e protocolo
Que pressente o aroma e o dissabor.
A mãe dos filhos os encobre com lençóis
Mostrando um corte no tecido maestral
Que cativa os fiéis admiradores
Contemplados com tamanha deturpação
Qual formato que se iguala aos faróis.
São virgens montanhas da beleza natural
Que se formaram por ação de genitores
Em um plano construído na produção.
Se um inocente adornado lhes vê sabor
Numa ação gustativa e afagada
É o suco que roseia a mancebada
Em um ninho tão simplório e sedutor.
São dois cones eriçados no abismo
Que despertou o poderoso canibalismo
Atraído por um cheiro exalador.


Por: Ednaldo Luiz dos Santos
Feito dia: 31/ 03/ 2006.

XV CIENTEC 2009, NATAL É SÓ CULTURA.

UM EXTRAORDINÁRIO EVENTO DE CONHECIMENTO ESTÁ ACONTECENDO EM NATAL

A UFRN REALIZA XV CIENTEC NESTE DE 2009.

A Universidade federal do Rio Grande do Norte, UFRN, está dando início a um dos eventos mais importantes de sua existência, a CIENTEC - Semana de Ciência, Tecnologia e Cultura- do Estado do Rio Grande do Norte. É um evento grandioso pois trata-se de uma apresentação de arte, cultura e conhecimento nas terras potiguares. A Semana será dada do dia 19 a 24 de Outubro de 2009. A UFRN mantem uma interface com a sociedade e mostra "os principais fundamentos de suas atividades científicas, tecnológicas e culturais. Ao adotar na sua Semana de Ciência, Tecnologia e Cultura o tema: 'Arte, Ciência e Tecnologia: descubra o seu universo!', a UFRN faz uma clara sinalização de que está sistematizada com as fronteiras do conhecimento e ao mesmo tempo com o desenvolvimento social e a solidariedade entre os homens, elevando a qualidade de vida da sua população e reforçando o seu inequívoco compromisso social.Perseguindo a ideia de que a Universidade é o espaço da troca de conhecimento, organizamos a Mostra a partir de pavilhões que abrigarão exposições interativas e transdisciplinares, enfocando as produções dos centros acadêmicos e dos órgãos especializados e suplementares. A programação cultural da CIENTEC contará com espetáculos de dança, música, corais e cinema, compondo a moldura artístico-cultural desse evento de tão grande importância para a divulgação e interação entre a Universidade e seus parceiros junto à sociedade em geral. Com esta organização, propõe-se a articulação das diferentes unidades de produção de ciência, tecnologia e cultura, evidenciando o que a UFRN tem desenvolvido de forma articulada no Ensino, Pesquisa, Extensão e produção cultural", disse a organização do evento. Este encontro será dado em Natal, e será os todos os dias, tendo atrações artísticas na Praça Cívica da Universidade. É imperdível esse evento! Nele poderemos ver os trabalhos realizados por muitos alunos bolsistas e não bolsistas da UFRN.
VEJAMOS ABAIXO UMA LISTA DOS 27 PRIMEIROS TRABALHOS QUE SERÃO APRASENTADOS NA XV CIENTEC 2009.

1- Capoeira è corpo livre, RITA LUZIA DE SOUZA SANTOS
2- Kruyssen (apresentação musical), Gabriel Vitullo;
3- Apresentação do Coral da EAJ, Gabriel Gagliano;
4- Vivência ritmica musical através da banda marcial do colégio Atheneu Norteriograndense, Crisanto Dantas Sales de Freitas;
5- O Mesmo Sorriso, PROFª Sônia Othon;
6- A igreja e a sociedade no século XIX, na visão de Eça de Queiroz, Silvia Karla de Souza Freitas;
7- Show "Do meu Jeito" OLGA CARLA ESPÍNOLA DA H E SOUZA;
8- BRINCANTES MIRINS ACÁCIA BATISTA DE OLIVEIRA;
9- RELACIONAMENTOS, Larissa Kelly de Oliveira Marque Tibúrcio;
10- MAPEAMENTO E CARACTERIZAÇÃO DOS REMANESCENTES DE DUNAS NO MUNICÍPIO DE NATAL - RN, SIMON KLECIUS SILVA DE SOUZA;
11- Estação Climatológica do Seridó, FLAVIO ELANO SOARES DA SILVA;
12- Novas Tecnologias Educacionais e Produção de Material Didático: Importância da Sala Virtual - Amostra de Material Produzido, ROGÉRIO DE ARAÚJO LIMA;
13- COM OS AO GRINAURA MEDEIROS DE MORAIS;
14- Cenários da Pedagogia ontem e hoje, GRINAURA MEDEIROS DE MORAIS;
15- Qualidade de Vida: uma visão multidisciplinar. ERIAMA DE ARAUJO HACKRADT;
16- Os Programas sociais (BOLSA FAMÍLIA, PETI E BPC) e Redução da Pobreza no Rio Grande do Norte, JOSÉ LACERDA ALVES FELIPE;
17- CONCEPÇÕES DIDÁTICAS SOBRE ENSINO E APRENDIZAGEM, OTÍLIA MARIA ALVES DA N. A. DANTAS;
18- A informação comercial: Do comércio de notícias locais aos anúncios classificados virtuais, RONALDO MENDES NEVES;
19- Pessoas com diagnóstico de Ansiedade Social descontam menos o futuro? NEUCIANE GOMES DA SILVA;
20- Projeto de Atendimento Psicoterápico em Grupo na Abordagem Cognitivo-Comportamental, NEUCIANE GOMES DA SILVA;
21- Nota Fiscal Eletrônica, MAXWELL DOS SANTOS CELESTINO;
22- Estudo das Propriedades Acústicas de uma Onda Sonora em um Tubo, GABRIEL GAGLIANO PINTO ALBERTO;
23- Museu do Seridó - práticas educacionais da memória, MUIRAKYTAN KENNEDY DE MACÊDO;
24- EXPOSIÇÃO DE PRODUTOS DO GRUPO DE PESQUISA ESTUDOS GEOAMBIENTAIS,
Conhecendo o Campus da UFRN, ANDERSON FLÁVIO SILVA DE QUEIROZ
25- A DMA, A SIN e o PLANEJAMNETO AMBIENTAL DA UFRN: Alternativas Sustentáveis em Água, Resíduos e Arborização JOSILDA MARIA SILVA DE CARVALHO;
26- Letra & Voz, SANDRA SASSETTI F. ERICKSON;

sábado, 17 de outubro de 2009

BOA VISTA FUTEBOL CLUBE.


ALTO DA BOA VISTA É DERROTADO PELO CASTELO BRANCO.

Foi no exato dia 17 de Outubro de 2009, basicamente às 16 horas da tarde, que a derrota aconteceu: O time de futebol BOA VISTA FUTEBOL CLUBE, do Alto da Boa Vista, e o MONTE CASTELO FUTEBOL CLUBE, do Castelo Branco, Caicó/RN, decidiram a final acirrada do campeonato "Caicosão 2009". Eu, como altoboavistense de coração fui ver o martírio da torcida e dos jogadores. A disputa foi dramática, pois quando o Monte Castelo fez o primeiro gol logo o Boa Vista cavou pênalti, por intermédio de um jogador de nome bizarro chamado BODIM. A partida foi empatada e terminou o primeiro tempo assim. Já no segundo tempo o fracasso veio à tona e o Monte Castelo houve de virar a partida para 2 x 1. Para a tristeza dos convivas e para uma punhalada frontal no peito fanático dos altoboavistenses. Foi um martírio deprimente. Mas na premiação o Boa Vista ainda ganhou um troféu e R$ 400,00 em dinheiro, e o Monte Castelo ficou com um grande troféu e a quantia de R$ 600,00. Vergonha para a equipe do meu amigo Mororó, porém não se pode vencer todas, né!

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

MULHERES ANALISEM!

POEMA FEMININO*
AUTOR(A) DESCONHECIDO(A).

*Que mulher nunca teve** *
Um sutiã meio furado, * *
Um primo meio tarado,* *
Ou um amigo meio viado?**

*Que mulher nunca tomou** *

Um fora de querer sumir, * *
Um porre de cair* *
Ou um lexotan para dormir?****

Que mulher nunca sonhou** *

Com a sogra morta, estendida, * *
Em ser muito feliz na vida* *
Ou com uma lipo na barriga?**

*Que mulher nunca pensou** *

Em dar fim numa panela, * *
Jogar os filhos pela janela* *
Ou que a culpa era toda dela?**

*Que mulher nunca penou** *

Para ter a perna depilada, * *
Para aturar uma empregada * *
Ou para trabalhar menstruada?*

*Que mulher nunca comeu* *

Uma caixa de Bis, por ansiedade, *
Uma alface, no almoço,por vaidade* *
Ou, um canalha por saudade?**

*Que mulher nunca apertou** *

O pé no sapato para caber, * *
A barriga para emagrecer* **
Ou um ursinho para não enlouquecer?** *

Que mulher nunca jurou * *
Que não estava ao telefone* *
Que não pensa em silicone* *
Que 'dele' não lembra nem o nome?*

POESIA enviada por Ieda Lima, via e-mail.

terça-feira, 13 de outubro de 2009

DICIONÁRIO NORDESTINO DA LETRA "A".

A
A MIGUÉ- À toa, relaxado, largado, sem interesse;
A PULSO - À força. Contra a vontade;
ABESTADO - Burro. Tolo;
ABESTALHADO - Otário.Tolo;
ABILOLADO – Doido;
ABIROBADO - Maluco;
ABISCOITADO - Maluco, desorientado;
ABUFELAR - Agarrar pela gola, agredir;
ABULETADO - Pessoa que ocupou um espaço tomou conta do"pedaço" (fulano aboletou-se na casa de sicrana e não sai mais);
ABUTICADO – Pessoa espantada, com os olhos vidrados(abuticados);
AÇOITAR -Chicotear, espancar, bater;
AÇOITE – Chicote;
ACUNHAR - Chegar junto;
ADIAR - Prolongar;
ADULAR - Agradar, bajular;
Fazer a vontade de alguém;
AFEIÇOADO - Pessoa bem aparentada (bonita, arrumada);
AFOLOZADO – Folgado, arrombado;
AGONIADO - Aflito, afobado, amargurado, angustiado, apressado,indisposto;
AI DENTO - Resposta a qualquer provocação;
AJEGADO - Quem tem pênis grande;
ALEJADO - Piado, morto, sem coragem, preguiçoso;
ALDEOTA - É seguramente o maior bairro informal do País. Os especuladores imobiliários passaram a chamar de Aldeota todo bairro novo;
ALFININ - Espécie de rapadura;
ALPERCATA - Sandália de couro;
ALTEAR - Aumentar o volume do som. Subir algo;
ALUMIAR - Iluminar. Projetar luz sobre algo ou alguém;
AMANCEBADO - Amigado, aquele que vive maritalmente com outra;
AMARELO QUEIMADO - Cor laranja;
AMARRADO- Mesquinho;
AMOLECADO -Criança, com hábitos infantis;
AMOLEGAR - Apalpar ou apertar um corpo mole ou uma parte dele;
AMOSTRADO - Quem mostra que tem dinheiro ou poder;
ANDE TONHA! - Expressão popular que indica o ato sexual;
ANEL DE COURO – Ânus. Cú;
APERREAR - Encher o saco;
APETRECHADA - Dotada de beleza física;
APOIS - Expressão de concordância;
APOQUENTAR - Aborrecer, azucrinar, chatear;
APRAGATA – Alpercata;
APRAGATAR - Achatar, esmagar;
APRIQUES - Retoques;
APRUMADO - Arrumado, bem vestido, bonito, de bons modos;
APURRINHADO – Com raiva, puto;
ARENGA - Briga;
ARIADO - Desnorteado;
ARIAR A FIVELA - Dançar apertado, ralabucho;
ARRE ÉGUA! - Interjeição que pode significar qualquer coisa a depender do tom de voz e da ocasião (alegria, irritação...);
ARRETADO – Bom, legal, perfeito;
ARRIBAR - Ir embora;
ARROCHADO – Valentão;
ARROTO DE CU - Peido;
ARRUDIAR - Dar a volta;
ÁS DE COPAS - Ânus.Cú.
ASSUBIAR - Dá assobios com os lábios;
ASSUSTADO - Baile caseiro programado pelos jovens na casa deum deles; tertúlia.
ATAIAR - Atalhar. Ir por um caminho mais curto
ATARENTADO - Aperriado, desnorteado, perdido.
ATINAR - Prestar a atenção, compreender;
ATOCAIÁ - Fazer tocáia, se esconder para atacar;
AVALIE - Imagine.
AVEXADO - Apressado.
AZOGADO – Virado na peste, puto, agoniado, brabo.
AZUADO - Alguém desligado.
AZULAR – Dar o fora.

Fonte: http://culturanordestina.blogspot.com/
Versão ampliada e aperfeiçoada por Ednaldo Luiz dos Santos.

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

DITOS POPULARES.



PROVÉRBIOS POPULARES E FRASES DE CAMINHÃO FALANDO SOBRE O POBRE.

- Galinha só aparece na mesa do pobre quando um dos dois está doente.
- Pobre só enche a barriga quando morre afogado.
- Pobre com bagagem perde o trem.
- Ser pobre como rato de igreja.
- Arquivo de pobre é um prego na parede.
- Pobre é como pneu: quanto mais trabalha mais fica liso.
- Pobre com pouco se alegra.
- Pobre com rica casado, mais que marido é criado.
- Cinema de pobre é janela de trem.
- Rico sai de casa e pega o carro; pobre sai de casa e o carro pega.
- Alegria de pobre dura pouco.
- Pobre é cavalo do Cão andar montado.
- Pobre é o Diabo.
- Se cabelo fosse dinheiro pobre nascia careca.
- Pobre só engole frango quando joga de goleiro.
- Pobre só come carne quando morde a língua.
- Pobre é como punho de rede: só anda com a corda no pescoço.
- Pobre, mas não da graça de Deus.
- Pobre muda de patrão, mas não de condição.
- Pobre não é nem o que o rico foi.
- Pobre só anda de carro quando vai preso.
- Ladrão que entra na casa de pobre só leva susto.
- No dia em que chover comida o pobre nasce sem boca.
- Pobre não morre cedo.
- Pobre não tem amigo e nem parente.
- Pobre só levanta a cabeça quando quer comer pitomba.
- Televisão de pobre é espelho.
- Quando o rico geme o pobre é quem sente a dor.
- Pobre só sai do aperto quando desce do ônibus.
- Pobre nunca tem razão.
- Pobre quando acha um ovo, o ovo está goro.
- Quando o rico corre é atleta e quando o pobre corre é ladrão.
- Pobre é como pneu velho: só vive na lona.
- Pobre quando mete a mão no bolso só tira os cinco dedos.
- Pobre só vai prá frente quando a polícia corre atrás.
- Pobre só recebe convite quando é intimado pela polícia.
- O despertador do pobre é o galo do vizinho.
- Dinheiro de pobre é como sabão: quando ele pega, escorrega.
- Coceira na mão do pobre é sarna e na mão do rico é dinheiro.
- Pobre que arremeda rico, morre aleijado.
- Pobre só vai pra frente quando leva uma topada.
- Piscina de pobre é poça de lama.
- Rico fica gordo e pobre fica inchado.
- Pobres, nós todos somos: miseráveis quem se faz são os donos.
- Pobre só acha a vida doce quando está chupando pirulito.
- O rico bebe para se lembrar e o pobre para esquecer.
- Dinheiro na mão de pobre só faz baldeação.
- Rico bêbado é divertido: pobre bêbado é pervertido.
- Pobre é como papel higiênico: Quando não está no rolo está na merda.
- Champanha de pobre é Sonrisal.
- Em pé de pobre é que o sapato aperta.
- Entre ricos e pobres não há parentesco.
- Deus dá o pão, mas o pobre não tem dentes.
- Em cara de pobre é que o barbeiro aprende.
- Pobre só herda sífilis.
- O pau enverga no cu do rico, mas só quebra no cu do pobre.
- O pão do pobre só cai com a manteiga para baixo.
- O pobre só vive de teimoso que é.
- O pobre é como limão: nasceu para ser espremido.
- Pobre não casa, junta os trapos.
- Pobre é como cachimbo, só leva fumo.
- Se merda fosse dinheiro, pobre nascia sem cu.
- Rico em casa de pobre é a desgraça da galinha.
- Pobre em casa de rico ou é dinheiro emprestado ou fuxico.
- Pobre só descansa quando plantado de olho pra cima para comer capim pela raiz.
- Mais vale um pobre honesto do que um rico ladrão.
- Pobre só toma laranjada quando tem briga na feira.

SITUAÇÕES ACADÊMICAS: a superioridade x a sensibilidade.

POLÊMICA NA SALA A3 DO CERES EM CAICÓ: FAUNA E EDUCAÇÃO SE CAMUFLAM PELA RAZÃO
Por: Ednaldo Luiz dos Santos.
É de se perceber que as raízes das inúmeras e intragáveis artes do ofício que se procedem dentro dessa Instituição, são culpas desta mesma. O que me foi percebido é que houve, nos colóquios expostos em sala de aula, especificamente na sala A3, por uma minoria de alunos, que talvez tenha sido a representação da maioria, uma tentativa de se buscar a falta de significância meramente importante para a nossa aprendizagem. O que foi apresentado perante o público, foi o que eu costumo exprimir de busca pela ESSÊNCIA. Essa é uma aventura meio arisca quando se leva em conta padrões de tradicionalismos autoritários e tão pouco construtivistas de desvelos pela causa da aprendizagem. Digo isso com o pouco de experiência que a vida acadêmica me forneceu. A Instituição falha no sentido de escolha do seu corpo docente ou não sugere o trabalhar com maior afinco. Porém, longe de querer domar a metodologia ou desacreditar nas capacidades alheias, penso que cada mestre tem sua forma visível e invisível de educar. É de se concordar que os mestres mais empenhados com a educação alheia e que nos faz refletir além de uma sala de aula nos invade a razão e nos fornece seu elixir de conhecimento para que possamos traçar as nossas interpretações acerca de nossas visões. Decerto, o conhecimento não é dado e/ou só pelo professor, a busca pelas bibliografias também são importantes, mas é visto que precisam ser lapidadas para o bom entendimento. A colocação diante de um público eufórico por um assunto de intransigência pode ser de certa forma deprimente até pela ética profissional, se é que isso está em jogo. O comprometimento renegado a quem se rebela, minoritariamente, tem sido visto na História como um gesto desunido e individualista. Não que a turma da sala A3 tenha sido indigesta ao assunto exposto, mas penso que deveria ter sido convocada uma reunião com a turma para que fosse solicitado o apoio de todos por uma causa comum. A união faz a força de forma coerente e participativa. Se houve manifestações a parte e com elas apontamentos para punições, não se pode exigir o apoio maciço de um todo. Isso seria também um advento de intransigência no sentido da falta de articulação. Todavia, o que foi debatido, apesar das posições indiferentes do sujeito afetado, foi muito significativo no sentido de nortear a metodologia fechada de reparos melhorativos para o bem comum, e isso valeu à pena!Ou talvez tenha valido. O montante de tarefas agora será fato punitivo para todos... E a respeito do contraste animalesco que se criou na sala A3, o que não se pode mudar é o fato natural: o leão é carnívoro e o veado é herbívoro, e basta! Se um defende o primeiro é porque ver um ar de superioridade intragável, acima de posturas surreais; Se o outro defende o segundo é porque ver um ar de sensibilidade maleável, acima de posições indigestas. Penso que ambos estão a defender seu lugar no pódio da natureza cultural.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

MAIS UMA GRANDE FESTA NO GALEGO CASA SHOW.

SOMENTE O ALTO DA BOA VISTA É UM BAIRRO CONTEMPLADO COM TAMANHA PROEZA DO MEU AMIGO RAILSON, A CASA DE SHOW "GALEGO CASA SHOW" ESTÁ EM FESTA NESTE DIA 11/ 10/ 2009. IMPERDÍVEL. PARTICIPEM!


MULHERES HEROÍNAS NA AMÉRICA LATINA

Juana Azurduy
Resumo do Livro:

PRADO, Maria Lígia Coelho. América Latina no Século XIX: tramas, telas e textos. 2 ed.. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2004. (Ensaios Latino-americanos, 4). P. 29-51.

TEXTO: “A Participação das Mulheres nas Lutas de Independência Política da América Latina”.

A historiografia do século XIX deu importância primordial ao tema da independência dos nascentes Estados latino-americanos por perceber aí um vínculo de magnitude pela utilização de heroísmos como artífices da hercúlea tarefa de se tornarem independentes. No campo simbólico, os heróis da América Latina foram exaltados historicamente por seus feitos, tidos como grandiosos e representativos para uma dada sociedade. Suas lutas de representações, a exemplo do libertador Simón Bolívar, na Venezuela, colocaram muitos sujeitos no “Olímpio dos Heróis”. No panteão dos heróis nacionais uma conjuntura de homens foi enfocada como principais elementos de emancipação política de países como o México, Brasil, entre outros. Mas só foram homens que tiveram idéias liberais, que lutaram e impuseram as emancipações de países da América latina?
Para a pesquisadora Prado (2004), com base em suas auscultas bibliográficas, isso não se procede, pois tiveram uma série de autores menos valorizados que teceram biografias sobre heroínas no movimento emancipatório. Heroínas que foram vistas como “mulheres célebres” ou “mulheres patrióticas” que lutaram com diversas funções em prol da independência de seus países. Numa análise da história tradicional, o tema da independência se apresenta com uma imagem da mulher ofuscada, quase inexistente, porque foi registrada por homens embrenhados numa cultura machista e clerical.
A América espanhola, estando mergulhada numa série de conflitos e de idéias liberais, causava certo medo e insegurança para os latino-americanos. Incertos de uma vitória em meio a guerras e revoltas, muitos deles acreditavam na esperança e na crença de uma mudança para melhor. Para isso levantaram-se homens e mulheres, pagaram em armas, discutiram idéias e se juntaram a tropas de soldados na defesa de uma causa pública. Muitas mulheres se tornavam SOLDADERAS (a exemplo, Defunta Correa), acompanhando seus maridos/soldados; se vestiam de homens, mulher-soldado, para lutar (como Maria Quitéria de Jesus) nas frentes de batalha; se faziam soldados de alto cargo (Juana Padilla era tenente-coronel e comandava uma tropa feminina de nome “Las Amazonas”); e as mulheres também se dispuseram a trabalharem de mensageiras dos insurgentes, se aproximando dos realistas e espiando suas fraquezas e ações (como Policarpa Salavarrieta, La Pola, a mensageira costureira que foi fuzilada pelos espanhóis, em 1817).
A autora cita outras mulheres como: Manuela Sáenz (lutou ao lado de Bolívar), Leona Vicario (a Guerreira Apaixonada), Josefa Ortiz (mensageira no México), Juana Mora de López (LA EMPAREDADA), María Cornélia Olivares (a oradora que viu a mão de sua filha Juana ser cortada), Simona Josefa Manzaneda (mestiça e pobre, foi fuzilada nua e de cabeça raspada), Javiera Carrera (convencida, por seu irmãos, para acompanhar as tropas) e Jara (que fez caridade depois das guerras).
Muitas mulheres eram convencidas por seus maridos ou irmãos a participarem de revoltas emancipatórias. Outras se tornavam rebeldes e movidas por seus princípios de liberdade, pegavam em armas e iam lutar. Mas, desde o final do século XVIII que na Espanha européia havia regras de comportamento social que definia o papel da mulher e do homem. Sendo assim, as mulheres que participaram das lutas pela independência latina foram vistas como “heroínas respeitáveis” porque lutaram por seu amor à pátria e não por sua razão. Foram vistas como guerreiras, porém defensoras da família e que deveriam retornar ao ofício de mães-domésticas. Suas participações políticas e liderantes foram ofuscadas por uma cultura de regras e de valores tradicionais. Todavia, elas demonstraram que estavam preparadas para enfrentar as situações intragáveis e inerentes às suas escolhas. Foram guerreiras, atrozes e heroínas que lutaram pela independência política da América Latina.

RESUMO DE EDNALDO LUIZ DOS SANTOS.

sábado, 3 de outubro de 2009

POETA DE NATAL, WALTER MEDEIROS.

CORDEL: O SUSTO E O MEDO DO SOBRINHO DO CANGACEIRO Jararaca
POETA: WALTER MEDEIROS

As quebradas do sertão
Têm muita coisa guardada
Muita história engraçada
Do tempo de Lampião
Tem até gente assustada
Com as coisas reveladas
Mesmo longe do grotão.

Pois aqui nesse alpendre
Onde a coroa de frade
É um enfeite da saudade
Que só quem viveu entende
Noventa anos de idade
É o crédito da verdade
E não há quem lhe contende.

No tempo de Lampião
Ela inda era um menino
Mas assistiu ao destino
Prá grande má criação
Seu tio num desatino
Apanhou de cagar fino
E se mandou sem perdão.

Muito tempo se passou
Ninguém nem mais se lembrava
Mas nosso amigo escutava
Uma história de horror
O cangaço atacava
E muita gente matava
Em todo interior.

Sebastião, nosso amigo,
Ouvia tudo atento,
A pé ou no seu jumento
Ao relento ou no abrigo
Pois lá no seu firmamento
Os dias eram sangrentos
Pode crer no que eu digo.

Depois de anos seguidos
Seu tio não deu notícia
Tião não tinha malícia
Sobre os rapazes sumidos
Não havia nem polícia
Parecia fictícia
Saga do filho perdido.

Rodrigues todos chamavam
O jovem que foi embora
Todos sabiam agora
Como a coisa se passara
Sua mãe, bela senhora,
Com um grande par de esporas
Na caatinga desfilava.

Vez por outra se lembravam
Daquele menino forte
Que enfrentava até a morte
E a ninguém se dobrava
Não praticava esporte
Mas conhecia seu norte
E dele não arredava.

Um dia quis ser infante
Mas não era seu destino
Pois viu Antônio Silvino
Naquele quente quadrante
Não era um cabra fino
Mas sempre teve domínio
Acertava alvo distante.

Destemido feito aço,
Saiu então pela vida
E sua maior guarida
Findou sendo o cangaço
Lampião veio em seguida
E uma história dolorida
Findou sendo o seu espaço.

Nas andanças que andou
Usava bem seu punhal
Protegia seu bornal
Nunca ninguém lhe tocou
Xaxava e comia sal
Não queria fazer mal
Mas disso não escapou.

Fez tudo que o bando quis
Tinha amigo e inimigo
Uns matava pelo umbigo
Ou sangrava no nariz
Tudo isso que eu digo
É apenas o que ligo
Sebastião quem me diz.

Nunca precisou de dó
Durante a sua vida
Que findou sendo perdida
Quando foi a Mossoró
Na cidade destemida
Ficou cheio de ferida
Sua sorte foi cotó.

Pois Rodrigues que eu falo
Quando entrou para o bando
Já chegava se chamando
Com um nome que é talo
Um forte cabra lutando
Tinha até certo comando
Para outros respeitá-lo.

Conhecido pela faca
Fez fama pelas estradas
Tinha gente apavorada
Se abriam a matraca
Pois aquele camarada
Que viveu tanta jornada
Era o cabra Jararaca.

Mas aquele cangaceiro
Que saiu lá do sertão
Era o tio de Tião
Lutava até por dinheiro
Protegia seu gibão
Sem qualquer contemplação
Passava até atoleiro.

Tião disse pros seus netos
Sobre aquele seu parente
Como era algo diferente
Muitos ficaram discretos
Mas às vezes sua gente
Até fica bem contente
Falam dele com afeto.

Um dos netos, certo dia,
Numa aula de história
Sentiu uma certa glória
Quando o professor dizia
Que era uma forte memória
Não uma simples escória
Nem tudo que se dizia.

Falava sobre pataca
Essas coisas que eu rimo
E prá saber se Severino
Conhecia Jararaca
Num gesto de certo mimo
Ele disse “é meu primo”
E os colegas riram paca.

Mas o rapaz ficou sério
Todo mundo lhe olhando
E ele foi confirmando
Com certo ar de mistério
O professor foi falando
E os dados confirmando
Fazendo seu magistério.

Ao ver que era verdade
Os rostos foram mudando
E mais foram perguntando
Quanta curiosidade!
O jovem segue explicando
Muitas dúvidas tirando
Com toda simplicidade.

Depois daquele momento
Levaram na esportiva
Era uma turma viva
Queria ficar por dentro
Tinham sempre uma assertiva
E depois tudo deriva
Da força do pensamento.


Quando aparecia alguém
Que o jovem não conhecia
Alguém logo então dizia
Sem fazer qualquer desdém
O parentesco que havia
Era tudo uma alegria
Não escapava ninguém.

Sobrinho de Jararaca,
Era mesmo que dizer
Que ninguém pode mexer
Pois era o homem da faca
Faca prá se defender,
Prá matar e não morrer
E até prá partir jaca.

Mas Severino é tranqüilo
Acham um belo rapaz
Dizem até que é de paz
E tem o melhor estilo
O tempo não vai prá traz
Cangaço não volta mais
E ninguém quer mais segui-lo.

Termino essa narração
Não estou arrependido
Sinto meu dever cumprido
Essa é minha opinião
Espero ter atendido
A um antigo pedido
Do povo dessa Nação.

Autor: Walter Medeiros (Natal/RN) - walterm.nat@terra.com.br
Fonte: http://cordeldecorda.blogspot.com

RIO DE JANEIRO NAS OLIPÍADAS DE 2016.

Felicidades e muitas para nós brasileiros, sermos presenteados com tamanha responsabilidade e acolhimento de todos os atletas e torcedores de muitas modalidades do esporte humano. As Olimpíadas são símbolos de fraternidade e competição que fazem o nacionalismo a parte ser enfocado, evocado e defensivo, com ar de superioridade incalculável. Mas fora desse âmbito, predomina o prazer que se tem em trocar idéias e palavras com indivíduos de culturas e lugarejos diferentes. É um momento vip, sem churumelas, que nos engrandece de vanglórias, primeiramente porque nunca na história do Brasil tivemos um presidente tão dedicado a causa nacional e a ajuda para os mais humildes do que Luis Inácio Lula da Silva. Ele foi lá no evento de escolha do país sediador das Olimpíadas e utilizando-se de um discurso simples, direto e humilde, ele conseguiu a vitória para o prazer satisfatório dos brasileiros. Estamos deveras orgulhosos dessa conquista. Sem fala que também sediaremos a Copa de 2014, e até termos jogos mundiais na cidade deNatal/RN. Estamos felizes, pelo menos suponho....
Foto acima de www.orkut.com.br

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

LEI X ANIMAL.

PARA QUE TANTAS LEIS PARA O HOMEM SE ESTE HOMEM É ANIMAL!

Não tem cabimento um monte de homens engravatados se assentarem nos bancos de recintos importantes e tracejarem e/ou manipularem imposições de empedimentos contra o bicho racional. Não tem cabimento um magote de não-jovens suplantar a minguada liberdade que resta aos sujeitos do futuro. Querem que nos tornamos estátuas lapidadas de corretice, mas desconhecem que vivemos na mesmice humana e animal. Os nossos excrementos, as nossas bactérias, a nossa maldade afiada, os nossos pensamentos pecaminosos, as nossas vontades sexuais, os nossos olhos de fera, os sentimentos de fúria, de raiva, de dor, só nos fazem ser animais inescrupulosos. E não venham os criticadores sem razão me enquadrar no submundo dos sem idéias. As leis podem ter seus propósitos, suas funcionalidades, mas não há lei que consiga civilizar o bicho racional.