domingo, 31 de julho de 2011

A CASA DO VETERA

POESIA: A CASA DO VETERA.
POETA: EDNALDO LUÍZ DOS SANTOS.

A casa bem soerguida
Lá no pezinho da pista
Foi a marca da conquista
Que abriga traição
Descasou uma família
E gerou desunião.

É casa que se descasa
Isso eu digo com saber
Já vi foi homem dizer
Que a casa não é benzida
Assim ela é o refúgio
Da besta-fera bandida.

Quando um casalzinho
Resolver alugar ela
Terá que comprar vela
Ou fazer forte despacho
Se não a besta separa
A noiva fêmea do macho.

E se morar com ambição
Ou raiva do peste autor
A maldição do amor
Separa a besta vetera
E não haverá atração
E nem paixão de quimera.

A casa do monstro vetera
Abriga cupim na parede
Escorpião dá na rede
No coração calazar
O lar só fica feliz
Quando o casal separar.

A casa é bicho doente
Que pede veterinário
Faça tudo do contrário
Que você ver solução
Ouça o conselho poético
Casa não separa não!

Feito dia: 27/ 07/ 2011.

quarta-feira, 27 de julho de 2011

EM AGOSTO O SERIDÓ SERÁ COBERTO POR FORTES RAJADAS DE VENTOS.

SE CUIDEM PESSOAL QUE OS VENTOS EM REDEMOINHOS VÊM POR AÍ.

JÁ É FATO que em pleno mês de Agosto o Seridó em peso será assoprado por fortes rajadas de ventos, muitos em forma de pequeniníssims ciclones que varreram os solos aquecidos do sertão seridoense. A notícia está estampada no blog de Roberto Flávio e segundo o Gilmar Bistroit, grande mestre meteorologista da Empresa de Pesquisas Agropecuária do rio Grande do Norte ( EMPARN), os ventos serão de 70 quilômetros por hora e serão mais fortes no final de Julho até o final de Agosto. A média anual de ventos para o Seridó tem velocidade de 25km/h. O fenômeno ocorre tanto no litoral como no interior da região nordestina. "A explicação para presença desses ventos é que ocorre um aumento da pressão do Atlântico Sul, favorecendo o deslocamento do ar para cá", disse Bistroit ao blogueiro citado.O registro das rajadas são verificados entre 10h e 16h e o Corpo de Bombeiros alerta para que a pessoas tomem algumas precauções como evitar que crianças soltem pipas pois podem causar curto-circuitos e podar as árvores de frente de casa para evitar que elas venham a desmoronar. Também evite de está debaixo de pés-de-algarobas, pois estes são facilmentes arrancados pelos ventos. Cuidadoooooo!

domingo, 24 de julho de 2011

OLHARES PRA MIM

Não é a querência doentia que faz a criação ficar tão vulnerável da percepção que é fácil a queda da jurisprudência em meio ao suntuoso desejo de consumo. As retinas daquelas duas pálpebras me fazem implorar o sumo da exatidão e concretude de meus sonolentos lampejos de agraciação. Bem no momento da bifocação retineira o acalento característico dos hipócritas solitários se mostra voltado para uma região eruptuosa que semeia a conflagração sensitiva do trabalho recomendado pelos adeptos dessa manifestação humana. Vive-se mais não a querência doentia, mas a querência prazerosa que leva o enfermo avermelhado de desejo ao patamar das quatros paredes mórbidas de tanto infiltrar a perfuração dos sentidos aguçados. As miragens tão qual esguias se mostram nas aparências mesquinhas e desusadas. Quem olhará para os alvos senão a mercê das ilusões fracassadas.

sexta-feira, 22 de julho de 2011

COLÉGIO CUCA DE CAICÓ É SÓ SUCESSO!

UM DOS GRANDES COLÉGIOS PARTICULARES DE CAICÓ É O CUCA. TENDO A FRENTE  MEU ILUSTRÍSSIMO AMIGO PIERRE ESPOSO DE MINHA COLEGA ANDRÉIA, ESTE COLÉGIO É SÓ APROVAÇÃO NOS VESTIBULARES. É SÓ VOCÊ CONFERIR!

GRUPO S DE SAMBA AGITARÁ A FESTA DE SANT'ANA 2011, EM CAICÓ.

VEJA A PROGRAMAÇÃO DE TEMPORADA DE FESTA:
NÃO PERCA, VAI SER UM ESTRONDO!!!!!!!!

AÇUDE ITANS DE CAICÓ PERDERÁ A SUA IDENTIDADE HISTÓRICA.

Por: Ednaldo Luíz
O ATUAL Presidente da Câmara Municipal de Caicó/RN, o excelentíssimo Senhor Dilson Freitas Fontes (O Leleu) fez circular por alguns meios de educação um convite de participação popular a uma retirada anti-histórica do nome "Açudes Itans" para uma homenagem a um 'filho paraibano" de nome José Américo de Almeida.
Tal ação se assegura numa dita Lei nº 4.404 sancionada em 2009, nesta Comarca de Caicó. Longe de querer desprestigiar a imagem ilustrosa da altarquia que fôra José Américo de Almeida (romancista, ensaísta, poeta, cronista, político, advogado, professor universitário, folclorista e sociólogo brasileiro), mas a descaracterização histórica para nós historiadores é uma agressão afrontosa à percepção do espaço histórico e de seus significados, tomando como partida o tempo cultural ao qual o nome "Açude Itans" se imortalizou nas consciências vividas dos cidadãos caicoenses.
A participação do Dr. José Américo na história da construçaõ desse açude é um tanto leal, visto que os primeiros estudos para a construção do açude datam lá dos ídos 1907. O autor do projeto foi o ilustríssimo governador José Augusto, este grande autor também do Livro "Seridó", e era para se construir um reservatório no município de Jardim do Seridó, mas o projeto foi transferido para o município de Caicó, basicamente para o Sítio Itans, terras onde atualmente está instalado o 1º Batalhão de Engenharia de Construção. As obras desse açude que já havia sido nomeado de Itans por causa de sua instalação no sítio de mesmo nome foram inicia em 1932, pelo então DNOCS.
Daí, uma cabroeira de engenheiros achou o terreno ignoto,pedregoso, e que dificultaria as escavações à base da picareta braba, solicitou esses engenheiros a transferência imediata para outro setor mais cômodo para a feitura da aguada caicoense. Apresentou-se então o ministro de Viação e Obras Públicas, o dito José Américo de Almeida, que deu alvará a mudança para a Fazenda Caiçara ( onde hoje o Açude está instalado. A obra assim foi terminada no final do ano 1935 e inaugurada no dia 02 de fevereiro de 1936. O próprio Dr. José Américo esteve em Caicó pessoalmente para acompanhar as obras e sua possível inauguração.
É certo que o nobre homem deu sua parcela de contribuição para a realização de tão magnífica obra para Caicó, mas vejo que não carecia a exaltação de um ícone paraibano com grande destaque em estátua e nomeada para um patrimônio Histórico da Cidade. Valia uma placa exposta na casinha do próprio açude não só com o nome de José Américo de Almeida, mas com todos àqueles que participaram ativamente para a concretude de obra. Deixasse mesmo o nome Açude Itans com seus valores imortalizados, porque isso é retirar uma identidade tradicional e impôr uma nova sem a adequação desejada. Só em Caicó mesmo para haver esse tipo de comportamento! Do mesmo modo fizeram com a Praça do Coreto.   

quinta-feira, 14 de julho de 2011

SANT'ANA NÃO QUER BURACO!

POESIA: SANT'ANA NÃO QUER BURACO!
POETA: EDNALDO LUÍZ DOS SANTOS.

Socorro Nossa Sant'Ana
Teu solo tá meio fraco
Os seus dias de festejo
Vão ficar que nem um queijo
Furadinho de buraco.

Sant'Ana, peço que não chore
A poeira é uma maravilha
Os carros nos catabilos
Parecem pista de trilhos
A caminho para a Ilha.

E os pobres dos peregrinos
No tracejo ficarão doentes
É a quebra de um carro
O nariz cheio de catarro
Até terra tem nos dentes.

Passam piche e piche sai
Botam terra e vem poeira
Como é que meu Caicó
A Capital do Seridó
Tá assim dessa maneira?

FEITO DIA: 14/ 07/ 2011.

sábado, 9 de julho de 2011

IMAGEM DA INCHAÇÃO ANGULAR

NOTA-SE que há basicamente uns cinquenta metros de distância se postava a percepção sem apreço e adereço da nomeada República da Inchação, de forma ovípora, com o Sul assentado num composto sólido, à sombra de uma planta que se aparenta como um caibro, macabro, a partir de sua identidade familiar. Era a República da libertinagem aonde o vento em acalento sobrava as curvas turvas da esbéltica paisagem angular. Via-se mesmo sem querer ver as batidas cintilantes do membro cardíaco que me convidava a comparecer no regaço dos afagos e me embalar nos mormaços afoitos da mansidão que se deduzia de longa distância. Mal parecia o êxtase da duplicidade de cunhã remedida da medida que media matéria, espaço e temporalidade. O alargamento afrontava o pensamento da indesejável transfiguração do objeto figurado, construído dentro de um ego quase cego ou cético. Era por assim dizer o momento de interferência lunar que, mesmo o espaço já estando alimentado por líquidos de espécie sapiente, agia impulcionando as células de tal forma que a natureza da imagem angular ficou na função frutífera da propagação, em rítimo animalesco. A planta se balançava em prol da superação do calor já com bolor de tanto alojamento de dejetos. A República estaria em declínio? Não, ou se fingia que não. Ou era sim se fingindo que não. Desejava-se fitá-la tal qual se fazia de outrora, mas as artimanhas que o tempo tracejou não conservou a ponte da passagem para o ser puro com amor. E ainda dizem que a imagem republicana não retrocedia, pois havia pegado o passaporte internacional na fuga para o inferno.      

quarta-feira, 6 de julho de 2011

PROGRAMAÇÃO DA FESTA DE SANT'ANA 2011 DE CAICÓ.

NUM É LÁ ESSAS COISAS MUITAS, POR ISSO QUE NÃO REVELAM COM ANTECIPAÇÃO.

Circula na copiagem de blogs de Caicó uma Programação de possíveis bandas agendadas para animar as noites de Festa de Sat'Ana. Foi uma Programação divulgada pelo então Secretário de Turismo do Municpicio, o Senhor Eurípides Júnior, que as lançou ao site Kurtição. São praticamente qause as mesmas bandas que já se vêem todos os anos aqui, no Complexo Turístico Ilha de Sant’Ana.

VEJAMOS ABAIXO O DESFECHAR DE BANDAS: 

27/07 – Deixe de Brincadeira e Forró do Agito;

28/07 – Dedim Goveia e Max e Banda Estrelar;

29/07 – Cavalo de Pau, Mano e Mariele e Los Pepas;

30/07 – Sirano e Sirino e Rita de Cássia;

31/07 – Forró Me Pega e Canindé Moreno;

A FESTA MESMO COMEÇA DIA 21 E TAMBÉM TERÃO EVENTOS NA CASA DA CULTURA DE CAICÓ, NA PRAÇA DA LIBERDADE, NOS QUIOSQUES DA ILHA E NO PAVILHÃO DE SANT'ANA. AS FESTAS NA ILHA COMEÇARÃO BASICAMENTE ÀS 10 HORAS DA NOITE.MAS VAI SER UM SUCESSO, ASSIM COMO TODO ANO É. VENHA VOCÊ CURTIR ESSA FESTA MARAVILHOSA. É CULTURA, É TRADIÇÃO, ´SANT'ANA NO CORAÇÃO. 

AMOR DE ESPIGA.

POEMA: AMOR DE ESPIGA.
POETA: EDNALDO LUIZ DOS SANTOS.

Numa noite estrelada e tão alegre
Que São Pedro aguou a Terra nostra
A alvura prateava um artifício
Como fera já domada e melindrosa
No cansaço ofegou com a dupla vida
Num desejo que a gula não esconde
A fogueira na quentura chamativa
E os pipocos pelas ruas amedrontavam
Fizeram um cenário convidativo
Pro cansaço tão esférico se assentar
E agarrou o sabugo com grão de amido
Pra matar o desejo deposto em juno
E fincou numa sólida matéria-prima
O orifício carnegudo e hipnótico
Suas vestes revestiram o bem materno
E sujou a visão de um hipotético
Aterraram um espeto no seu fundilho
Pra provir de um embrião já germinado
A espiga fumegante e libidinosa
Atiçavam as papilas tão gustativas
E o coração na comparança pegando fogo
Irradiado pelo carvão em plena queima
Atiçou a inspiração tão pecadora
Se bem assou a espiga por inteiro
Afuguiou um amor a queima-roupa

Feito dia: 06/ 07/ 2011.

BANCO DO BRASIL É UM ATRASO DE VIDA!

JÁ SE OUVEM os boatos pela Cidade de Caicó que o Banco do Brasil está ficando cada vez mais insuportável. Eu mesmo como cliente tive que passar mais de 2:30 horas num jogo de empurra pra lá e vem pra cá. É UM ATENDIMENTO PÉSSIMO E AFRONTA A PACIÊNCIA DE QUALQUER CLIENTE CALMO. Sem falar no atendimento que começa errôneamente às 10 horas da manhã, já perto da hora do almoço. Muitas pessoas se vêem na condição de perder o trabalho devido ao fato de terem que ficar na fila aguardando as boas venturas de serem atendidas nas filas de espera. Os clientes se sentem inquietos com as massadas dos atendimentos e muitas vezes chegam até a darem informações falsas e inseguras para que o cliente beste na fila que nofinal não se resolve nada. Isso não é uma revolta só minha não. Se eu abrir um espaços de reclamções tenho certeza que irá lotar de tanta lenga-lenga vivenciada por freguentadores do Banco do Brasil. O que está errado tem que criticar! É na realidade um paradoxo: se colocam máquinas para subistituirem o trabalho de uso manual e faz cada vez mais atrasar o atendimento. É UM ATRASO DE VIDA ESSE TAL DE BB, pois nesse mundo acelerado que nós estamos não convém ficarmos desacelerando em tempos perdidos. Presenciei também um setor de atendimento onde o cara que estava atendendo simplismente se retirou e não comunicou a ninguém da fila, aí ficou o pessoal todinho lá, se cansando, em pé, sem nem ou menos água para beber. O que se oferecem é café para aumentar cada vez mais a despaciência adquirida. E o Banco do Brasil de Caicó parece que funciona como o centro de atendimento de todo o Seridó, é por isso que o número de pessoas é elevado. É PRECISO QUE ESSES ATENDIMENTOS MUDEM PARA QUE O BRASIL NÃO FIQUE NO ATRASO DE VIDA.  

domingo, 3 de julho de 2011

O Namoro de Chiquinha com Chico Trafuá

POR: EDNALDO LUÍZ DOS SANTOS.

Residia naquela tapera carrancuda e moribunda uma família de altarquia baquiada, onde suas influências corriam às margens de apadrinhamentos condicionando uma teia de ligações verificadas naqueles cafundós de sertão poeirento. A família era de estirpe barreira, onde a casa era erguida de forma estreita. Morava nesta casa a donzela Chiquinha Caméfri, filha de Ivadora Caméfri e Fragoso Caméfri. Tinha uma irmã conhecida como Fraiva (Fra por parte de pai e Iva por parte de mãe) Caméfri e um irmão de estatura incoerente, um desses chamados irmãos de criação, posto que a imaginação denotava um indivíduo achado num berreiro no pé da porta dos guaiamuns. Era em pleno tempo em que os currais já estavam se assentando em pleno sertão adentro e a localidade era chamada de Pó de Arroz, um dos produtos fabricados pela própria família Caméfri. Chiquinha tinha uma grande amiga, Carmelha, conhecida em toda a redondeza por Carne Conselheira. Era uma dessas pessoas tipicamente nordestina, forrozeira como ela só, não media esforços para arrastar o pé numa gafieira medonha que se via nos sertões daqueles tempos. De longe vinha muitas donzelas e até cabrochas ouvir os conselhos da ispivitada Carne e ela fazia questão de ajudar os carentes de matrimônios pois ela via nos outros uma felicidade que era sua. 
Como Carne Conselheira conhecia muita gente certa vez ela conheceu um rapaz meio desaprumado do corpo, era Chico Trafuá, um branquelo tratador de cavalos e que ganhava muito dinheiro com esse tipo de negócio. Chico quando avistou Chiquinha com uma alvura prateada, de cabelos pretos e busto bem desenhado ficou meio cabilouro com a aparição e logo se proclamou que estava apaixonado pela primeira vista por aquele dengo de donzela, de estirpe conservada. Tratou logo de convencer a doida da Crane Conselheira para que lhe desse uma mãozinha na apresentação à Chiquinha. E ela o fez, chamou a Chiquinha e apresentou-a ao seu interessado. Chico ,então, conversou com Chiquinha e com ajuda de Carne se atracou com ela num amor descompromissado. Ela nos dias de começo de namoro tinha um certo medo do conlúio conjugal e quase não queria se encostar no cabrocha. 
Com o passar dos anos o namoro foi se consolidando. Não era um namoro tradicional como o de costume, pois se via os dois apalermados andando pelas veredas tortuosas do sertão a sóis.
Certo dia decidiram marcar o noivado como de costume e os dois passaram anos enoivando. Já se iam comprando os troços do casório, o Chico mesmo vendeu suas cabecinhas de gado e passou a dá mais pulimentos em lombos de cavalos para aumentar os ganhos. A velha Ivadora, mesmo com suas gorduras avantajadas bordava enxovais de casórios e o Fragoso pegava os fretes na carroça-de-burro. Estavam todos enganjados na esperança de festança e procriação desmedida.
Mas na redondeza começaram a surgir fuxico de que o Chico não bulia com Chiquinha e o casal nas redondezas do Pó de Arroz já estav mal falado. E não guentando mais os boatos o Chico passou a pressionar a Chiquinha de tal forma que cedesse a sedução. Como não conseguiu seu intnto ele teve que procurar uma corrutela da vida e se atracar com uma doisdivana qualquer e adepois namorou uma fulana do pé de uma serra próxima. Foi aí que Chiquinha ficou sabendo e decidiu terminar o noivado de namoro com o cabrocha. 
E continua no próximo capitulo.........      

MATUTO DESAFORADO

POESIA: MATUTO DESAFORADO.
POETA: ANTÔNIO NEVES.


EU SOU COBRA CRIADA NO SERTÃO
MATUTO DO PÉ DA SERRA ENCANTADA
NÃO ABRO NEM POR CEM METROS DE PEIA
NÃO TEMO PONTA DE FACA AMOLADA
AMARREI MINHA ALMA NUMA CORREIA
BEBO LAMA EM TEMPO DE SECA BRABA
VÁ PRA LÁ COM A SUA CARA FEIA
POIS MAMEI NOS PEITO DA SUA CABRA.

NÃO ME VENHA COM O SEU ABRACADABRA
CABRA FROUXO COMIGO É NO CHICOTE
CABRA MACHO COMIGO É NA ESPADA
COMO COBRA VENENOSA DANDO BOTE
SE VOCÊ NÃO TOPA MINHA PARADA
EM MIM NÃO QUEIRA BOTAR CANGA
MEU CABELO É DE MANGA CHUPADA
E EU SOU O CÃO CHUPANDO MANGA.


TÁ PENSANDO QUE ANDO USANDO TANGA
ACOLOIADO COM OS SEUS PARECEIROS?
O MEU NOME É MUITO RESPEITADO
NAS HASTES DOS MAIORES CANGACEIROS
NÃO SOU QUALQUER UM AFULEMADO
ASSUMI A GOVERNANÇA DO SERTÃO
DEPOIS QUE MATARAM ATRAIÇOADO
MEU CUMPADE VIRGULINO LAMPIÃO.


PAÇOCA SÓ PRESTA DE PILÃO
MINHA PALAVRA VALE MAIS QUE DINHEIRO
SE VOCÊ NÃO TÊM OPINIÃO
NÃO BOTE SUA MÃO EM FORMIGUEIRO
REZA FORTE É A MINHA ORAÇÃO
PRA CURÁ O REMÉDIO É AGUARDENTE
SÓ TEMO AS MANDINGAS DA PAIXÃO
DOS OLHOS DE UMA MULHER VALENTE.

Antônio Neves
Caicó-RN.
FONTE: http://professorantonioneves.blogspot.com/ .