segunda-feira, 31 de março de 2014

DENÚNCIA CONTRA O COLÉGIO DIOCESANO SERIDOENSE - O CDS DE CAICÓ

MÃE DE ALUNO PUBLICA TEXTO DE INCONFORMIDADE COM UM CITADO TRATAMENTO HUMILHANTE AO SEU FILHO.

SEGUNDO ELA, ficou muito inconformada com um possível tratamento humilhante o qual seu filho foi vitimado corroborando para que ela, em possível ato de desespero, retirasse seu filho do Colégio Diocesano Seridoense, o tradicional CDS, um dos primeiros colégios surgidos na Cidade de Caicó com o intuito de educar os jovens rapazes da cidade e região. Muitas figuras ilustres do cenário norteriograndense tiverão às luzes o saber creditado por tal instituição. 
Depois que retirou o seu filho do colégio a tal senhora motivada por uma fúria inconteste correu para a famosa rede social de nome FACEBOOK e inscreveu um texto bomba ao qual expôs sua insatisfação contra uma professora que segundo ela disse ter humilhado seu filho com pilhérias, malhações e eventos bullyinguestos. Disse ela que só descobriu isso porque seu filho chegava muito em casa meio problemático e no outro dia tinha pavor de ir ao colégio. E que o mesmo por ser questionado acabou afirmando que era por causa de ditas humilhações que recebera da sua professora tutora. Veja o que ela disse no texto do facebook exposto no site de Jair Sampaio:

"DESABAFO DE UMA MÃE: Há dias estou passando por momentos difíceis com meu filho na escola (CDS), onde ele começou a não querer mais frequentá-la, sempre aparecia um sintoma diferente e eu achando que era a diferença de série porque as responsabilidades vão aumentando. Depois de muito diálogo e sempre passando segurança pra ele descobri que era medo da professora, ou melhor da que se diz professora, pois eu como quase uma pedagoga sinto vergonha de saber que existe pessoas desse tipo que lidam com crianças. Vocês já pararam pra pensar em ver seu filho se encolher todo agarrado em você sem querer entrar na escola com medo de mais alguma piada que ela venha a escutar direcionada pra o aluno? Isso mesmo minha gente, ele foi alvo de piadas, mais de uma vez por sinal e diga porque? Porque ele é uma criança que fala tudo que acontece na sala de aula ou fora dela, e onde eu pensei que fosse uma virtude se tornou motivo de chacota para a dita cuja. O fato de fazer perguntas com dúvidas sobre determinados assuntos também gerava motivo de fúria da professora, onde sempre respondia com agressividade. Procurei a coordenação várias vezes e nada se resolvia, comecei a achar estranho pois nunca me davam uma solução e chegaram a nos propor fazer terapia e acompanhamento com um psicólogo, eu, meu filho e meu esposo, fico a pensar em que mundo estou? Ontem depois que ele se despediu dos coleguinhas pois como vi que não iam resolver meus problemas resolvi pedir imediatamente a transferência dele e ouve choro devido a tanto tempo juntos pois são 6 anos de convivência que acaba se tornando uma família, mas como já era de praxe, Vinicius Samyr Ferreira ainda escutou mais uma velha piada da "PROFESSORA": quando quiser voltar... sabe quantas vezes em todo esse tempo que procurei a coordenação ela como professora veio até a mim conversar ou procurar uma solução? NENHUMA, muito pelo contrário, nos viu na sala e ainda saiu dando aquela rabissaca que pessoas só pessoas de baixo nível tem. Então mães e pais vou lhes dá uma dica: Conversem com seus filhos, passem segurança e ouçam o que eles tem pra falar, escute sempre e não deixem passar pois eles podem chegar ao ponto que meu filho está hoje, nervoso, sem ânimo, chorando o tempo todo e assim prejudicando seu futuro, e que só eles é quem perdem, pois a escola em nada afeta a não ser em aparecer novas vítimas. Então é isso, agradeço a todas as mães que me ligaram tristes com a saída dele pois seus filhos sentirão falta, mas que me entendam que não foi covardia e sim pensei no bem estar da minha cria que é o mais IMPORTANTE. Sentiremos falta das amizades que construimos, porém novas virão, outra etapa que começaremos a partir de hoje. De uma mãe revoltada!!!" O desabafo também pode ser visto no facebook de Kalline Ferreira. (Fonte: http://www.jairsampaio.com ).
ISSO SEM DÚVIDAS É UMA POSIÇÃO DELA, DA MÃE. MAS FALTAM MUITOS ESCLARECIMENTOS, CONCORDA LEITOR? TIPO: POR QUE ESSA MÃE NÃO PROCUROU A DIREÇÃO DO COLÉGIO? POR QUE É QUE A PROFESSORA FEZ ISSO COM O ALUNO, OU SE É QUE FEZ? SERÁ QUE O FILHO DESSA SENHORA É UM ALUNO BEM COMPORTADO? SERÁ QUE ELE, O ALUNO, NÃO ESTARIA JOGANDO A FAMÍLIA CONTRA A PROFESSORA SOMENTE PELO FATO DA SOBREDITA COIBIR POSTURAS DE INDISCIPLINAS EM SALA DE AULA? SERÁ QUE ESSA MÃE NÃO MIMA DE MAIS O FILHO AO PONTO DE NÃO TER IDO PROCURAR SABER SE ESTAVA TUDO BEM COM ELE? SERÁ QUE ESSA MÃE PARTICIPA ATIVAMENTE DE REUNIÕES QUE A ESCOLA PROMOVE PARA EXPOR OS PÓS E OS CONTRA DE ALUNOS? SERÁ QUE AS PERGUNTAS DESSE DITO ALUNO ERAM COMPATÍVEIS COM A BUSCA DE CONHECIMENTO E DE ENRIQUECIMENTO DAS AULAS QUE ESTAVAM SENDO EXPOSTAS PELA PROFESSORA DIARIAMENTE? SERÁ QUE ESSE ALUNO É ESTUDIOSO? E PORQUE A MÃE NÃO PROCUROU O MINISTÉRIO PÚBLICO PARA TAL DENÚNCIA? SERÁ QUE ESSA MÃE PROCUROU SABER DE ALUNOS QUE PASSARAM POR TAL PROFESSORA PARA SABER COMO ERA A METODOLOGIA DELA EM SALA DE AULA?
ESTE BLOG NÃO QUER AQUI PASSAR A MÃO NA CABEÇA DAS PARTES ENVOLVIDAS NÃO. APENAS OS ENFOQUES É PARA SE APURAR O FATO COM MAIS AFINCO E PRESERVAÇÃO DA ÉTICA DE AMBAS AS PARTES PARA QUE TAL VISLUMBRE DE DENÚNCIA NÃO SEJA PUNITIVA APENAS PARA UMA PARTE. É PRECISO QUE OS PAIS PARTICIPEM MAIS DA EDUCAÇÃO DOS FILHOS NAS ESCOLAS SEJAM DE QUAL NATUREZA FOR, OU PÚBLICA OU PARTICULAR. QUE VÃO PARA AS REUNIÕES DA INSTITUIÇÃO; QUE QUESTIONE A AÇÃO DOS SEUS FILHOS E O COMPORTAMENTO DELES EM SALA DE AULA; QUE ANALISEM AS METODOLOGIAS DOS PROFESSORES; QUE CONVERSEM MAIS COM ELES; QUE PERCEBAM O CONVÍVIO EM SALA DE AULA DE ALUNOS E PROFESSORES; CASOS DE HUMILHAÇÃO SÃO GRAVES E PRECISAM SER APURADOS COM MUITA CAUTELA. 
A EDUCAÇÃO DEVE SER POSTA DE MANEIRA DEMOCRÁTICA, ÉTICA E RESPEITOSA E TODOS DEVEM ESTÁ INSERIDOS NESSA EMPREITADA. 

sábado, 22 de março de 2014

VIOLÊNCIA E CRIMINALIDADE CRESCEM DE 2013 A 2014 NA REGIÃO DO SERIDÓ

ISSO É UMA VERGONHA! EM PLENO ANO DA DROGA DA COPA DO MUNDO NO BRASIL A CRIMINALIDADE E VIOLÊNCIA CRESCEM ASSUTADORAMENTE.

A POPULAÇÃO DE BEM DEVE ESPERAR PELAS AUTORIDADES? CADÊ A MOLESTA DA GOVERNADORA ROSALBA CIALIRNI QUE NÃO DESEMPENHA UMA AÇÃO COESA PARA COMBATER DELITOS DE ENCHURRADA QUE ESTÃO ACONTECENDO NÃO SÓ NA CIDADE DE CAICÓ MAIS EM MUITAS CIDADES SERIDOENSES?
"Aqui quem fala é um cidadão inconformado com tanta violência jamais vista na cidade de Caicó":
Eu nunca vi um governo e uma presidente tão sem futuro que nem essas. O Estado do Rio Grande do Norte, principalmente o interior, está sendo incomodado na sua hospitalidade e tranquilidade com ondas grandes de assaltos, arrombamentos, furtos e roubos, entre tantos homicídios que estão muitos impunes sem a prisão de ninguém. Falta delegado civil, falta amparo em viaturas, falta investigações contra a bandidagem, falta um esvaziamento da superlotação de presídios, falta tudo. Depois que o grande F. Gomes foi embora para um mundo de paz sem a violência que ele sempre denunciou e que o vitimou, a Cidade de Caicó está sendo estuprada em sua calma e tranquila hospedagem e as três esferas de segurança pública que nós temos ao invés de se unirem vivem de maneira individual e a bandidagem pintando e bordando nas barbas alheias. Cadê as porras dos políticos que representam o Seridó? Por que não fazem projetos de combate a essa praga de criminalidade que só aumenta e que a população de bem não irá aguentar mais?
É preciso que faça alguma coisa e imediatamente, porque senão quando for na Copa os casos irão aumentar. A bandidagem já tem muitas armas de fogo, o crime organizado já chega na região do Seridó e o consumo de drogas tem sido feito com força atingindo agora até os colégios como o denunciado na então mídia o CEJA.
Que bela recepção iremos dá aos inocentes estrangeiros que aportarem no interior  a fim de conhece-lo como abestalhados que vem ao encontro de cães ladrões e desordeiros. É preciso agirmos e que a sociedade de bem não fique calada e que se organize muitos e muitos protestos que paralisem em grau maior o precário progresso brasileiro. É preciso que se mude também o código penal brasileiro e o cruel Estatuto da Criança e do Adolescente que exaltam os menores delinquentes a praticarem crimes e mais crimes sem que eles tenham nem ao menos um internamento para retirá-lo do convívio social. Estamos muito aquém do contexto democrático e caminhando para uma suprema desordem e caos gerando elementos para guerras civis futuras.
Lá no Rio de Janeiro a bandidagem foi em parte expulsa para fazer valer o termo da Cidade Maravilhosa para a Copa do Mundo. E esses bandidos debandaram para o interior e aqui estão ensinando aos nossos cidadãos errantes  a assaltarem, a roubarem e a praticarem furto e assassinatos.

Por: Ednaldo Luíz.
SÃO ALGUMAS POSSÍVEIS SOLUÇÕES A MÉDIO OU A LONGO PRAZO ELENCADAS POR ESTE BLOGUEIRO:   
  • Criação das Guardas Municipais que tanto vai socorrer de perto as necessidades locais de segurança, elas ficariam fazendo rondas a noite e de dia, sendo que uma parte do efetivo se dividiria para que fossem vasculhados todos os locais dos bairros;
  • Ou viaturas Comunitárias que em cada bairro teria uma viatura modelo camburão, com policiais armados até os dentes e encoletados também e que ficasse fazendo rodízio de efetivos de um turno a outro ou de um dia a outro;
  • criar uma Comissão Educativa que se dividiria em vários grupos e que ficariam responsáveis por aplicar palestras nos bairros com a comunidade e nas escolas, sendo que isso seria mensalmente e que essa comissão alertasse os populares o jeito certo de denunciar um suspeito ou um criminoso;
  • Elaborar cartilhas de como se fazer para se precaver do crime e da violência anualmente ou semestralmente para desfechar políticas de conscientização a um exercício de paz;
  • Assegurar o curso do PROERD para todas as escolas e para outros anos consecutivos de estudos;
  • Criar PROERDs também para os moradores dos bairros para conscientizá-lo e desfecha-los meios e formas de reeducarem seus filhos;
  • Criar presídios em cada Cidade seja ela pequena ou grande, igual como se fosse escolas e "forçar" a comunidade carcerária a estudar; esses presídios deverão ser protegidos com segurança máxima;
  • Fazer barreiras constantemente em vário pontos da cidade e em finais de festas populares;
  • Criar Estações de Reeducação aos Menores Infratores que cometem delitos e não liberá-lo para a sociedade até quando eles não tenham passado pelo menos 2 meses na estação e que esses meses sejam proporcionais a cada delito que for cometido, assim o jovem vai colocar na cabeça que se cometer algum delito mais tempos ele vai passar na estação e que essa estação tenha também segurança máxima;
  • Botar todo o Exército nas fronteiras do Brasil e instalar bases de ordem em vários limites de cidades ou regiões e que eles investiguem cargas e propriedades rurais que transgridam a ordem pública;
  • Diminuir as burocracias que existem nas esferas de polícia militar, civil e federal reeducando-as a tomar parte em qualquer necessidades social quando tiver a ausência de uma;
  • Fazer delegacias com seus delegados oficiais e com proteção máxima em todas as cidades do país para que eles deleguem crimes locais e os retire da sociedade;
  • Criar Conselhos de Depurações a Segurança Corrupta e a Abusos de Poder tendo a frente juízes que possam condenar qualquer movimento de desrespeito ao papel social da segurança;
  • Combater abusos de estupros dentro das prisões, só permitir comunicação por via da carta que possa ser lida e até escritas pelos agentes do presídio;
  • Criar unidades de Escolas Militares dentro dos presídios para construir no preso a vontade de fazer parte da segurança pública  desfechando um ordenado mínimo para que este quando ganhar a liberdade possa ser um Soldado da Liberdade e do Perdão do Crime Cometido, sendo seu trabalho e seu direito ao ordenado feitos fora do presídio;
  • Criar coleiras codificadas que possam ser colocadas nas munhecas dos bandidos mais perigosos e que sejam monitorados 24 horas ou que sejam delimitado um lugar exato para esses presos irem;
  • Cortar a mão do cidadão que se torne pistoleiro com mais de um crime comprovado para que este não manuseie mais arma em sua vida;
  • Criar a Escola Social de Reeducação dos Pais de Família para aqueles que não souberem criar seus filhos ou que tenham filhos problemáticos para que sejam reeducados, onde nessa escola possam ser ensinado meios para a conservação dos valores sociais, como aplicar castigos em filhos desobedientes; como "força-los a estudarem; como viverem numa religião; e como respeitar o outro;
  • Criar a Escola Estratégica de Perceptores do Crime e da Violência, onde nela estude pelo menos um representante de cada família educando-se em como fazer denúncias, como flagrar crimes, como ficar vigiando e como agir contra criminosos;
  • Criar uma Comissão Municipal dos Esportes, direcionada pelo secretário dos esportes, encarregada de elaborar torneios de várias modalidades de esporte, organizar copas da cidades, construir ginásios e minicampos em cada bairro da cidade servindo estes para as escolas e para a comunidade local, sendo que em cada bairro deverão ocorrer consultas mensais com nutricionistas para uma reeducação alimentar das pessoas;
SE TODAS ESSAS POSSÍVEIS SOLUÇÕES FOSSEM SEGUIDAS A RISCO COM CERTEZA TERÍAMOS BONS MOMENTOS DE PAZ E SOSSEGO. CLARO QUE ISSO SÓ SERIA POSSÍVEL SE CRIASSE O "ESTATUTO DE COMBATE A CORRUPÇÃO E AO DESCASO DA POLÍTICA PÚBLICA". SE NÃO FIZERMOS NADA A POPULAÇÃO DE BEM VAI SOFRER E CONSEQUENTEMENTE VAI ENTRAR NO MUNDO DA CRIMINALIDADE POR ACHAR QUE NÃO TEM PUNIÇÃO. E ISSO FARÁ COM QUE A MIOR PARTE DA POPULAÇÃO BRASILEIRA SEJA TACHADA DE CRIMINOSA!

quarta-feira, 19 de março de 2014

SERÁ QUE A ERA DE 4 VAI SE CONCRETIZAR EM CHUVAS E SANGRIAS DE AÇUDES NESTE ANO NO SERIDÓ

BEM é o que está se processando no cenário seridoense do dia 17 a 19 de Março.

Foto retirada  do citado blog.
Segundo os detalhamentos pluviais, as chuvaradas despejam latas d'águas no solos seridoenses se profetizando nas minhas previsões que elencavam umas pegadas de inverno nos confins de meados de março de 2014.
A alegria está reinando nos corações de todos o seridoenses, pois estamos nos aliviando de dois anos seguidos de seca doida. E por sinal estamos vivendo a Era de Quatro, de 2014, que culturalmente nos enche de euforias.
O Blog do Marcos Dantas faz um registro de chuvas caídas na última terça-feira (dia 19 de março) na região do Seridó e vejam como Caicó foi bom de chuva:
"A informação é do funcionário do DNOCS, Cicero Romão. O açude Itans aumentou em 24 centímetros, seu volume d’agua. Tudo por causa das chuvas registradas na noite desta terça-feira (18), véspera do Dia de São Jose. Somente na Barra da Espingarda, o registro foi de 115 milímetros.
Mais chuvas:Sitio Barra da Espingarda (Caicó) – 115 mmSitio Barbosa de Cima (Caicó) – 110 mmPerímetro Irrigado Itans (Caicó) – 70 mmSitio Barra Verde (Caicó) – 80 mmSitio Recanto (Caicó) – 73 mmSitio Extrema (Caicó) – 85 mm – Açude da comunidade sangrandoSitio Retiro (Caicó) – 80 mmCondomínio Mirante da serra (Caicó) – 70mm
Sítio Todos Santos (Cruzeta) – 60mm

Perímetro Irrigado (Cruzeta) – 60mm
Sitio Salgado (Cruzeta) – 50mm
Sitio Mulungu (Cruzeta) – 50mm
Paraiso Campo (Cruzeta) – 55mm
Sitio Pau Darco (Cruzeta) – 60mm
Sitio Riacho do Jardim (Cruzeta) – 50mm
Sao Fernando – 25mm
Passagem das Traíras (Jardim do Seridó) – 55 mm

Açude Mundo Novo (Caicó) – 55 mm
Sitio Laranjeiras (São Fernando) – 38 mm
São João do Sabugi – 52 mm

Acari – 15 mm
Santana do Seridó – 62 mm
Cruzeta – 62 mm
Timbaúba dos Batistas – 20 mm
Sitio Trapia (Caicó) – 100mm

Sitio Umari (Caicó) – 70mm
Sitio Vila do Sabugi (Caicó) – 60mm
Sitio Manhoso (Caicó) – 70mm
Sitio Ourives (Caicó) – 90 mm

Sitio Tanque D’agua (Caicó) – 104 mm
Sitio Maravilha (Caicó) – 40 mm 

Fonte: http://marcosdantas.com/ .

O Açude Itans já está tomando água, 24 centímetro foi registrado hoje. E açudes em cima de sua cabeceira estão tomando água e minguando sangrarem. E já tem açude sangrando na região. A Barragem Dinamarca de Serra Negra do Norte está sangrando com altura de 40 centímetro (mas também ôh barraginha pequena e rasa pra sangrar!). A Barragem do Arapuá começou a sangrar hoje, a mesma fica em Serra Negra do Norte.Ainda nesta quarta-feira é Dia 19 de Março e segundo a tradição é dia que se chover o inverno está pegado e vai sangrar mais açudes. Os ventos das chuvas de ontem, dia 18 de março, varreram telhas, antenas e árvores de Caicó e região. Sendo assim, que caia mais chuvas na região e que muitos açudes sangrem, esse é o desejo de todos! 

A HUMANIDADE ENTRARÁ EM COLAPSO DEVIDO AO ALTO CONSUMO CAPITALISTA

FINALMENTE A NASA SAIU DO ESCONDERIJO CAPITALISTA E DECLARA QUE NOS PRÓXIMO ANOS DE DÉCADAS QUE VIRÃO O HOMEM MODERNO E TECNOLÓGICO CONHECERÁ SEU DECLÍNIO.

A PRAGA DO CAPISTALISMO QUE CORROI A HUMANIDADE EM BREVE CONHECERÁ SUA AUTO DESTRUIÇÃO, Segundo a Agência Espacial Norte Americana, o mundo capitalista está prestes a entrar num grande colapso "por conta da instabilidade econômica e do esgotamento dos recursos naturais". O maldito homem civilizado, com suas regras e leis e cada vez mais seus avanços tecnológicos insaciáveis estão colocando-o num plano de autodestruição. Segundo noticiou o site < www.http://br.noticias.yahoo.com >, que "essa foi a conclusão de um estudo financiado pela Nasa, a agência espacial norte-americana. Com o uso de modelos matemáticos a agência norte-americana previu o colapso do planeta Terra mesmo quando eram feitas estimativas otimistas, segundo o jornal britânico Independent ".
A Terra que antes tinha um grande tapete verde em suas chãs agora cede
lugar para o marrom e preto. Foto do referido site.
O site ainda continua dizendo que tal previsão foi descendente de um estudo de comparação entre antigas sociedades humanas, bem antes de Cristo. "Usando como modelo o colapso de antigas civilizações, como Roma, Gupta (indiana) e Han (chinesa), a Nasa concluiu que a elite da atual sociedade elevou o padrão de consumo a níveis preocupantes, disparando um alerta de colapso da nossa civilização baseada em cidades e na industrialização. "Esse ciclo de crescimento-colapso é recorrente na história da humanidade", explica o matemático Safa Motesharri.
Motesharri e sua equipe exploraram diversos fatores capazes de causar a extinção da sociedade, como as mudanças climáticas, o crescimento populacional, por exemplo. Os pesquisadores descobriram que a junção desses fatores, aliada à escassez de recursos e a divisão da sociedade entre elite e massas termina por destruir esse arranjo social. Assim aconteceu em todos os impérios da Antiguidade, explica o cientista".
Em suma, por minha análise, as desigualdades sociais e a busca por se manter num mundo capitalista de arrogâncias e egoísmos tendem a destruir de duas formas os recursos naturais do Planeta Terra: o rico para se manter na riqueza ele precisa de mais riqueza e assim vai destruir a natureza em equilíbrio com a sua busca por estabilidade e crescimento; o pobre é essencialmente carente de recursos naturais e de consumo para que ele possa se manter nesse mundo de querer e ter. Esses dois distintos grupos sociais corroboram para a afirmação da violência e do consumo de drogas já que quando não se consegue um aporte para suprir necessidades o individuo humano cai em ligeira depressão por um prazer efêmero e aí é presa fácil dos dois problemas sociais. O que será do homem? Mas como já foi dito que uma das portas mais fáceis de se sair de uma enrascada de interesse humano é a violência, a humanidade terá uma saída a princípio: fazer uma Guerra Mundial. E isso já está passando na cabeça de povos que se acham humilhados pelas potências mais poderosas do mundo. também tais potências querem ter mais pessoas consumistas e aí elas não pensam duas vezes, pois para fugir de crises financeiras o remédio é criar focos de guerrilhas, assim aumenta o teor do consumo e as potências fogem da crise. Fazendo um apanhado histórico, a crise de 1929 facilitou em grande parte os impulsos para a Segunda e mais sangrenta Guerra Mundial ocorrida em 1939, uma década depois. A feitura da bomba atômica prescreve uma previsão apocalíptica de mais um confronto. Os EUA estão cada vez mais procurando meios de penetrar em países que se dizem socialistas para ganhar seus consumidores. Nos últimos tempos os EUA tem tido alguns bate-bocas com representantes russos da antiga rivalidade da Guerra Fria com a URSS. Os EUA estão espionando cada vez mais todo o mundo e preparando manobras para se apoderar das riquezas dos outros povos. A ONU expressa claro controle de suas tomadas de decisão pelos anseios de países capitalistas. Nesse contexto, e se as potências se preocuparem com os resultados desse estudo, uma Terceira Guerra Mundial pode está se desenhando no cenário destruidor do capitalismo. O colapso será inevitável porque nada é, tudo é relativo.
E a terra sendo poluída também encontrará seu colapso.
Para o cientista Safa Motesharri, o colapso não é irreversível: "Para evitar o colapso da sociedade, o cientista diz que será necessária uma ação das verdadeiras elites para restaurar o equilíbrio econômico e do uso dos recursos naturais - essa é a única maneira de deter o impacto da ação humana sobre o meio ambiente". Mas cá pra nós, você acha que isso será possível? No equilíbrio econômico está implícito a inexistência das desigualdades sociais. E aí leitor ou leitora que você pensa sobre isso?

terça-feira, 18 de março de 2014

PRAZER EFÊMERO

O PRAZER efêmero é aquele que se traduz a curto prazo. Que não tem muita durabilidade e saciação. É uma prática que se busca principalmente em tempos modernos, de agitações, de dinamismos, de vai-e-vem, onde se almeja o algo pronto e acabado. O sujeito para esse feito deve está pronto e ser perfeito, sem falhas, que se possa ser alimentado naquela hora.
Esse prazer é como se fosse um cometa, cuja calda deve sempre está no passado e sua cabeça mais precisamente no presente. É um prazer que não mata a fome, não tonifica e nem tão pouco lubrifica a necessidade particular.
O prazer efêmero é como se fosse uma cagada agoniada, com alguém batendo no banheiro aperreado para cagar também. A pessoa que está nessa cagada agoniada é incapaz de sentir o prazer da evacuação total e nem consegue limpar o Rêgo com eficácia e sutileza. É capaz até dele limpar o Rêgo com os dedos pensando que está com papel. Ficará sempre na mente a sensação de que ainda ficou toleto de merda pra ser evacuado.
O prazer efêmero pode nos trazer uma solidão promiscua de arrependimento e de depressão podendo o sujeito se isolar ou tornar-se egoísta de se mesmo. A crença para o prazer efêmero não é cogitada, pois quem tem fé tem que ter paciência já que a telepatia da força menor com a maior exige paciência e tempo de espera dependendo da fraqueza dos valores internos de cada ser humano. Tal prazer não é algo somente da modernidade, já que existiu desde os tempos idos dos seres de sapiência.
No mundo moderno ele se apresenta mais na cultura dos jogos eletrônicos, dos cabarés, das drogas lícitas e ilícitas, dos ficares, das masturbações, dos estupros, dos jogos de azar, e de tantos outros elementos “eficazes” na busca pelo prazer efêmero. A razão nessa busca é limitada em parte ao obscurantismo animalesco, que nada mais é do que aquela ação que nos acontece inesperadamente, mas que nos transmite um prazer em curto prazo.
Quando se procura prostíbulos para usufruir dos atores e atrizes do sexo o indivíduo em si está procurando a saciação de um prazer efêmero, sem essência. E por mais que ele pense está saciado mais fome ele terá de voltar a tal antro. É como se fosse um jogo de azar: o cliente vai, ganha um prazer efêmero, se sente um pouco feliz e já planeja no dito dia voltar novamente e assim ele sem se dar conta já tem atrasado boa parte de sua vida correndo atrás de algo que não lhe satisfaz diariamente. Esse indivíduo pode ser tachado de “besta do prazer”. A cultura nordestina, no caso do Brasil, conclama que todo o menino quando tiver seus órgãos sexuais desenvolvidos procure um cabaré para tirar sua virgindade, mas que isso não lhe provoque um vício senão ele estará alienado a cultura que lhe foi dada.
Mas é preciso que não se valha do prazer efêmero para todo o sempre, pois o indivíduo envolvido aí, não pára para analisar seus excessos e nem seus limites e acaba por construir em si uma idéia de que só esse prazer é o formidável, mesmo este individuo se impossibilitando de agir em uma dada situação da expressão contrária: do prazer contínuo.
O prazer efêmero é o responsável pelas ondas e mais ondas de separações conjugais que se têm estabelecido nos parâmetros do jogo capitalista e que sem ninguém perceber vai construindo uma gama de seres individualistas, depressivos, egoístas e solitários de acordo com seu bel prazer. A ilusão da palavra “AMOR” hoje não está sendo mais praticada a longo prazo, pois emergiu dessa situação um prazer de amor efêmero, onde o sentimentalismo fica em segundo plano e decorre um amor descartável, frio e desalmado.
Os adolescentes são as vítimas mais apuradas desse contexto porque primeiro são induzidos nas escolas, principalmente as meninas, a acreditarem em amores eternos e a se iludir que com um simples beijo já se pode dizer que “eu estou apaixonada”. Muitos adolescentes utilizam-se da expressão “eu te amo” para se iludir num prazer efêmero. As novelas nessa fase da vida que transmitem cada vez mais exemplos de vida de prazer efêmero enchem a mente dos adolescentes e esses vão em busca dos namoros e até mesmo de transas inadequadas e quando pensam que não estão eles mesmos enrascados em problemas que têm soluções difíceis.  
O prazer efêmero é a desgraça do ser humano moderno. Ele aniquila o ser humano sem que o mesmo perceba. Mas não só existe prazer efêmero na ação humana não. Ocorre também na produção material. Ou seja, o homem faz um prédio confortável para ele morar, porém a qualquer momento pode ser este soterrado por sua derrubada.
Todavia não confunda o prazer efêmero como algo que mesmo efêmero deixa a saciação de maneira relativa. O prazer contínuo não é repetitivo e nem de mesmice ele é relativo, pois engloba as diversidades de dois seres.

AS CUTUCADAS DO SERIDÓ

COMEÇARAM quando antigamente se tinha os tradicionais bancos de madeiras dos tempos idos. Os bancos eram postos senão debaixo do alpendre e ficavam lá a fios para correr no acento de quem visitasse a humilde residência que geralmente era de taipa.
O ato de cutucar implica uma tentativa de despertar no outro cócegas ou prazer demasiado. Cutucar, por exemplo, a axila implicava despertar no outro gargalhadas aos montes, pois no suvaco sempre predominou zonas erógenas de prazer. Cutucar o furico dos outros também mostrava a taradisse de quem o fazia. Se bem que o furico é uma região que desperta sempre o prazer de rir ou de se entregar. Na realidade, cutucar no furico dos outros era dar dedadas que nem Ojuára,mas até que o Miúdo gostava porque ele vinha de novo. Cutucar nos vazis de alguém também demonstra uma busca de obter com isso espasmos de dor misturados com sorrisos.
As cutucagens eram diversas nesse sertão véi de meu Deus. Elas eram mais freqüentes quando da adolescência dos cabrochas e das moiçolas de plantão. Se fazia desse jeito, quando chegava a hora do Ângelo toda a cabocada se enfurnava pra dentro de casa e ia se ter com a ceia noturna. Depois que passava da hora das baforadas para os mais velhos, eles iam logo se arranchando debaixo do alpendre e no mais tardar chegava a cabroeira principalmente em casa que tinha moça sorteira. Era um estirão de converseiro e a cabocada mais velha não agüentava o tranco e pedia arrego indo drumir logo cedo. Mais os diabo das véias eram quem ficava a fazer companhia pra os cabrochas que frertavam com suas fias. Elas se sentavam numa beira do banco e a fia no mei e o cabrocha na outra ponta. Vez por outra quando a véia se distraía lá se vinha uma cutucada nos vazis da caboca que chega ela pulava pra cima. Isso era bom demais que nem a véia apercebia.
As caboquinhas gostavam das cutucadas medonhas que nem se atrevia de dizer as véias suas mães. Mas as cutucadas não ficavam só nisso não. Merece destaque cutucar o nariz dos outros ou os zuvidos. O nêgo chega dava um pulo de susto e podia até pegar a gente dar uns safanão nas zurêa.
Cutucar também os patrimônios alheios era um esporte muito legal nos tempos de outrora. Os patrimônios femininos eram os mais afetados. Era tanto chamego com esses patrimônios que chegava a gente a querer cutucar por várias vezes.
Hoje as cutucagens ocorrem nas festas, ao ar livre, nas escolas, nos transportes públicos, e em vários eventos que exijam a arte do cutucar. Dessa forma só digo um negócio: não cutuque não!

Monturo

POESIA: Monturo
POETA: EDNALDO LUÍZ DOS SANTOS.

É marca de gente
Porqueira tão suja
Onde nasce babuja
Na terra acabada
Dejeto de lixo
Do homem do bicho
Que faz a cagada.
 
Tem merda de burro
E bosta de gente
Tem absolvente
De moça, mulher,
Tem a camisinha
De homem galinha
Que gruda no pé.

Tem osso de vaca
Pena de galinha
Tem lata sardinha
De leite e de doce
Bufa de cavalo
Que vai no embalo
Do como se fosse.

Ficha de garrafa
Tampa de margarina
Calunga de menina
Pneu de madeira
Roupa de boneca
Calcinha, cueca,
Que chama poiqueira.

Corrêa de chinelo
Uma fóia de papel
Tem pote de mel
Bubú de menino
Tem ponta de lápis
Baralho sem naipes
Relógio sem pino.

Cabelo de boneca
Tem osso de vaca
Liga de macaca
De dá em jumento
Nota de cigarro
Tem caco de jarro
Que fez ornamento.

Castanha de caju
Tem fio de cabelo
Caçamba de gelo
Tem garrafa peti
Papel higiênico
Pote de transgênico
Com uma gilete.

Seringa de sangue
Pote de remédio
Tem cheiro de tédio
E preto chorume
Laranja espremida
Resto de comida
Que vira estrume.
 
Bandeja de ovos
Tampa de isopor
Óleo de motor
Estopa de chão
Ficha de garrafa
Bucha de tarrafa
E bola de sabão.

Pedaço de Bombril
Boneca quebrada
Pilha estourada
Palito de dente
Bengala de cego
E tábua com prego
Que entra na gente.
 
Bilhete de amante
E casca de ovo
Tem letra do povo
E babuja do mato
Tem pornografia
E fotografia
De um candidato.

Tem mosca bicheira
Tem rato catito
Tem bola sem pito
Linha de costura
Espelho quebrado
Cd arranhado
De tosca cultura.

Tem caixa de fósforo
Carta de baralho
Pedaço de galho
E casca de fruta
Saco de farelo
E sola de chinelo
Que o pobre disputa.

Tem ar de monturo
E tecido de pano
Tem um ser humano
Que cata o sustento
O lixo deduz
O que o homem produz
Sem ter sentimento.
 
Feito dia: 13/ 03/ 2014.

O LEQUE DA IRMÃ

ELA ESTAVA deveras na menor pausa para o encanto do calor que se fazia naquela tarde medonha. Era um calor pai d’égua de lascar. A irmã gostava de pregar a palavra de Deus e a usufruir da condição de dizer que serve ao divino. Ela se abanava todinha e de relance os analistas ficavam analisando para ver se colhia uma investida, mas não teve de prontidão já que a irmã não quis solapar um cabedal de libertinagens. A vida floresce como que uma orquídea natural.
Quis o leque da irmã voar pelas mãos  e não sustentar nos dedos, pois era em si uma redoma de plumagem que afeminava o cenário ocular.

 

A SOCIEDADE META NO SEU ENCONTRO MOMESCO

 ERA um magote de cabrochas envenenados pelo líquido suspendido das carraspanas fitadas no consumismo. Eram em torno de seis. Deveras tenham planejado a algazarra via celular que é o mais trivial e que gerenciado pelo mertiolato de um Carpina suplantaram a serem Pinóquios marionetes de uma sociedade reflexiva, dativa de dádivas energéticas que promulgaram mudanças inquietantes no meio ignoto. Começaram senão pelo Domingo de euforia momesca e melindraram a fanfarra desinocente. Atinaram para sugar a cevada como vacas com sede e a comerem carnes como carnívoros indigestos. Rodearam o Mestre Carpina como cães esfomeados de idealismos e banquetearam-se como bárbaros flamejantes.
Nada de poetisar em demasia, nada de fomentar a inspiração e nada de analisar os seres opostos. Desta vez não surgiu nenhum “Aval do Avarento” que meticulasse a inspiração poética. Nada besuntou mais a especulação do que os famosos “agarradis”, de macho com macho. Onde para os metas eram só irmandade, enquanto para os aculturados de não-metas eram aconchegos de baitolagem medonha.
O Carpina é manhoso na artimanha e age como uma cobra peçonhenta que articula o estado e mede o meio pelo freio. Ao final do Domingo, a Sociedade se espalhou e foram todos em busca da folia caicoense.
Doravante, na terça-feira havia de ter mais encontros. A Sociedade Meta se reuniu nas alquebradas sombras de uns pés-de-ninho. Desta vez um convite especial...a energia humbertista. Marcou presença com sua ilustre análise discursiva e vejam só os componentes: o Meta, o Poeta e o Energilista. Adispois chegou o Trio Parada Dura: dois músicos e um ser de aspecto cagatório. Parecia que era este o último o dono da carraspana. Chegaram como os suspiros dos alquebrados de coração e logo melindraram o líquido de cevada copulenta.
Foi senão que começou os preceitos e conceitos opnativos do Mestre da Energia que frutificou idealismos para os blindados do rock. Foi mais para eles já que o Homem Meta não media uma discussão plausível, só sabendo mesmo quem é que matou Matusalém. E o poeta se sentia de fora, alimentando as discussões e captando essências de sabedoria.
Os vizinhos, dotados de uma cultura ignorante não sabiam o que ocorria e já ficavam boatando: parece que todos não são sérios? Mas desconhecem os laços de intelectualidades presentes no antro da Sociedade Meta. Deveras esta corja de seres insignificantes tenha sido um bando de indivíduos sem perspectiva de diversão suprema. É no dizer popular um bando de bocós refletindo à toa para um bando de metas alegres. Se tivéssemos morridos no outro dia morreríamos alegres e felizes. CARPE DIEM!

TE AMO MINHA VAN

 MINHA VAN querida do meu coração, te amo tanto que meus solstícios estão em zigue-zague. Não consigo suplantar a razão para um bloqueamento desnecessário de fuga. Estou tão tosco e renovado que me parece que o corpo foi ao encontro da fonte do rejunescimento e me trouxe de presente novas razões de vida. É tão gratificante isso que pensei que não havia mais isso em templos humanos. A busca pela saciação me parece que agora fica em segundo plano, pois o sentimentalismo é mais forte e mais agudo do que qualquer coisa que se mova em sofreguidão.
É por isso que te amo em literatura primeiro. Depois, se o convencimento de mudança dos seus princípios for bem mais cômodo para você, que mude seu ímpeto e me perceba a luz da escuridão que sou um ser senão passivo de um teste analítico.

O PAI CANA

É BEM DIZER UM fi-duma-égua de cabeça branca e pernas zambetas, prostado em um móvel enfraquecido e desmerecido do ano. Um parrudo sem futuro que leva a vida a fiar copos e mais copos de manguaça se deteriorando ao extremo, querendo proteger a família, mas sem ter voz e vez diante do estado em que ele se entrega. É um viciado, dizem os mais velhos conhecedores de pais.
Quando ele bebe dá uma onda de viado sem constrangimento. Certo dia trouxe-no numa espécie de carroça, como um porco selvagem, moribondo, desamado. Era um porco medonho, de focinho arribitado, que quando bebia queria ser brabão e bater no povo, principalmente aquele povo do setor baixo de fealdade lamacenta. Protegia com esmero a sua adolescente fia de fiar fio e seu mimoso fio angelical de diminuta idade. Era um prosódico fermentado no limon felá-da-gaita.
Seu nome era Jereba. Um véi pai-d’égua que costumava beber nos dias de vontade e sempre atraia uma freguesia de gordos presunçosos, todos de idade em declive, e que muitas vezes a polícia pernoitava nas redondezas de sua casa devido ao fato dele mais sua trupe ficarem a esnobar a lei da poluição sonora com uma radiola velha tocando uma breguicidade enxotante.
Plantava ele sua cana na sacana esposada em um muro, onde já havia ali uns dois pés de cana. Por isso que chamavam de Pai Cana, um plantador e degustador do produto. Sua fia era casada com um pau-de-sebo dum agropecuarista e vez por outra mostrava sua renda para o povo do lugar, dada era sua vontade de se dar ao comércio do mostra-renda. E ainda num queria que o povo olhasse com inveja o seu produto. Sua fia era dada a vestimenta curta, escandalosa, vulgar e felá-da-puta. Assim todo mundo olhava o seu produto com babação, com vontade de arribar a renda e apalpar o tecido pra ver se tinha consistência e rispidez dos olhares.
A testa do Pai Cana ficava vermelha de tanto o bicho andar e dormir no Sol, pois quando ele estava pra lá de Bagdá não fazia questão de se deitar nas calçadas como um velho desprezível por seu vício. E todo o sertão da cidadela da serra viu de praxes o triste fim de Policarpo Quaresma.

GORDINHA

POESIA: GORDINHA
POETA: EDNALDO LUÍZ DOS SANTOS.

Te amo gordinha
Branquinha
De róseo.

Te amo Afrodite
Meu apetite
É demais.

Te amo rechonchuda
Que foste buchuda
Dado ao comer.

Te amo afugentada
Que mesmo alimentada
Me alimento de ti.

Feito dia: 15/02/2014.
ESSA VAI PARA TI MINHA LINDA MA...

A Afugentada Fera Rechonchuda.

Quem dera ter tido há muito tempo aquela visão patrícia do patricionismo do Alto, partindo de um esquitossomo de galocha que fermentou com talcos e pontapés a locagem prostante do diário epidérmico. Parti-se da premissa que se aloja nos alojamentos tão estreitantes que deveras houve um zarpar mais sorrateiro para uma recreiagem barrista. Via-se nas antigas ancorada num modelito invejável uma encenação patrícia da beldade triangular a desfilar babamentos espontâneos dos vorazes azarentos. E num é que aquilo tudo teve de cair no submundo das aparições demoníacas a tal ponto que a ilusão pernoitou o corpo são e o esticou como elástico e dele se nutriu até que fosse extraído a duplicidade de murmúrios num espaço de tempo bastante eloqüente em novenário.
A fera que cedeu se excedeu a tal ponto que não vai retroceder. POIS ENTÃO QUE A FERA MORREU NO CALABOUÇO DOS RATOS. AH, SE FOSSE EMERENCIANA! 

PORFESSOR: O BURRO DE CARGA!

POESIA: PORFESSOR: O BURRO DE CARGA!
POETA: EDNALDO LUÍZ DOS SANTOS.

Sou burro de carga
Vivo sem descanso
Doente, frustrado,
Vitima do remanso
É triste meu fardo
Tô tão desalmado
Que nem música danço.

Vivo planejando
A vida alheia
E a minha, coitada!
Ninguém a semeia
Está bagunçada
Invadida, depredada,
Suja de areia.

Tenho que ter olhos
Milhares, talvez,
Pra ver um evento
No meio de três
Ás vezes eu enfrento
Tanto sofrimento
Que não conto a vez.
 
Tenho que ser médico
Não ser muito rude
Salvar com socorro
Uma cria em acude
Vivo como o Zorro
Discente no morro
Merece saúde.

Sou também uma mãe
Zelando do filho
Amando, abraçando,
As crias com brilho
Não pedofilando
Apenas afagando
Tirando empecilho.

Sou também um pai
De aluno sem lastro
De aluna que chora
O efeito padrasto
Sou velha senhora
Contando “históra”
Pr’um futuro astro.
 
Sou deveras mágico
Senhor do Destino
Com minha “varinha”
A vida eu ensino
Tenho ladainha
Para a menininha
E para o menino.

Sou tanto polícia
Dando proteção
Salvando uma cria
Com toda emoção
Sou também vigia
No meu dia-a-dia
Na Educação.

Sou velho, feioso,
Grandão e buchudo
Que pai de estudante
Quer me dar bicudo
É tanto estresse
Que nessa quermesse
Padeço de tudo.

Sou curto da vista
De óculos na cara
Tendo que ler muito
Pra ter mente rara
Ter conhecimento
Para o pensamento
Ser pego às clara.

Sou investigado
Por aluno xereta
Que busca respostas
Pra vida careta
Só querem saber
Para perceber
A vida em gaveta.

Tenho que ter boa
Minhas cordas vocais
Para dar uns gritos
Em trinta ou mais
Ser rude e tolerante
E punir o estudante
Que não gere a paz.

Sou mestre cansado
De tanto trabalho
Ás vezes com raiva
Eu chamo cara...!
Mas já me policio
Sou mestre com brio
De um espantalho.

Sou encorajado
Por tantas falatas
Por secretarias
De dóceis mamatas
Me alienando
E eu findo gostando
De viver nas patas.

Eu sou carne assada
Levando mordida
De aluno sem lar
Tão puto da vida
Sou apelidado
De bicho malvado
Da cara lambida.

Sou monstro ruim
Punindo aluno
Mas um Estatuto
Me tira do sono
Isso é uma tortura
Que a ditadura
Não produz o Bono.
 
Vivo na berlinda
Por fazer desmando
Meus próprios colegas
De mim fuxicando
Me vêem como otário
Pois faço o contrário
Que fere o comando.

Sou mestre, doutor,
Senhor do progresso
Meu santo saber
Fazendo sucesso
Sou burro de carga
Que o Brasil embarga
Fazendo o professo.

Feito dia: 13/ 03/ 2014.