sábado, 19 de julho de 2014

MEU QUEI DO CUÓ

POESIA MEU QUEI DO CUÓ
POETA: EDNALDO LUÍZ DOS SANTOS.

Caicó,
Da sorte
Do Forte do Cuó.

Caicó,
Da Igreja de Sant’Ana
Da festa mais profana
Do Seridó.

Caicó,
Do frevo
Do Ala Ursa primevo
Do Magão.

Caicó,
Da espiritualidade
Da hospitalidade
Da inocência.

Caicó,
Dos antigos cinemas
Das imagens sem problemas
De câmaras filmadoras.

Caicó,
Da paixão politiqueira
Da justiça de primeira
Da pacata liberdade.

Caicó,
Do hoje deprimente
Do amor tão ausente
Do solo quente.

Caicó,
Do tráfego que morga
Do tráfico de droga
Da criminalidade.

Caicó,
Da queda do esporte
Da cultura da morte
Da má educação.

Caicó,
Do crescente progresso
Do descaso regresso
Da queda do forte.

Caicó,
Da cultura do medo
Do medo
Do medo...

Feito dia: 02/ 06/ 2014.

A MENINA QUE SE ABRIA NA PAREDE DO ALPENDRE

BODERA era uma caboca de cabelo escorrido e de finura muito apilãozada. Era tão bela que quando dava um sorriso seu íntimo mostrava sua simpatia pelo gozo alfazemo de simplicidade sertaneja. Era uma seridoense de classe menos abastada, mas de molequice de fulôr de idade. Ainda não tinha o dilema da perdição e nem tão pouco o rompimento vital, porém, se comportava de um jeito que de longe já se denotava o gosto avivado pelo prazer demasiado.
Estava ali assentada naquela parede de alpendre meio termo, com suas pernalongas ancoradas na região baixa da mesmice. Onde se abria uma fenda tão fresca e tão atinada que se alumiava uma tropa de invertebrados formigáveis saindo daquela abertura paredal.
A sua magreza deixava senão o formigamento assubir desde o dedão do pé até a espinha dorsal. Bom que a abertura patrocinada por ela era de uma imaginação tão íntima que mais parecia uma força hipnótica dada a brotulência que jasminava na fulõr não-deflorada.
Não havia muita coisa útil no seu cérebro de amazona, mas havia vegetação que encobria a rispidez melindrosa de ser e atentava para com os bagos embagaçar a produtividade da abertura finalesca.
Sua fineza não afinava bons fenos. Todavia, ela refinava a fina flor da afinidade e confinava uma finalidade finita: não definhava o que parecia finado.

Bodera era mais do que uma caboca bonita. Era uma vítima de um mundo alienado.

A CABUAETAGEM DO SERIDÓ

HÁ MUITO tempo, nos rincões mais longínquos do Seridó havia e muito a cabuetagem de um povo bravo e crentes em um futuro mais digno e sem desrespeito ao próximo. Cabuetar ficou para a história caicoense como uma ação de limpeza, de conservação da paz e da tranqüilidade. Teve de ser assim no período de Lampião que mesmo o coisa ruim tendo ameaçado um morador ou um fazendeiro de dar cabo de sua vida, a busca pela manutenção da paz e dá ordem fizeram muita gente cabuetar os esconderijos e e as estadias do Rei do Cangaço que morreu como presa fácil pela força da cabuetagem. E se teve até pessoas que lampião ajudou que denunciou o homicida.
Havia nas antigas a cabuetagem na política onde se denunciavam em plena campanha política as falcatruas do adversário que perdia eleitores e sua campanha. A cabuetagem dos pulares de cerca de homens casados e mulheres sem vergonha eram as mais triviais vistos que muitos cabocos não se contentavam no bem comum e tinham que cabuetar para verem os destroços dos casais.
A cabuetagem se dava até na bruguelice dos pirralhos que quando se enveredavam no ramo da amizade de gozo iam até as últimas estribeiras e no auê das mulequices tinham que cabuetar os comparsas. E isso se dava quando um ia roubar goiaba do muro alheio ou surrupiar as melancias dos roçados particulares.
Mas cabuetagem se dava nas conversas das calçadas onde um rebãe de véi, adulto e bruguelice nova cortavam a vida de quem ia e vinha por esse sertão adentro. A falança se mesclava com um aconvitarismo e hospitalidade que não negava os padrões dos costumes avessos.
Na política, a cabuetagem se dava de forma truculenta e melindrosa com acusações de roubos, despudores sociais e manchas de imagens que se iam aos magotes, perniciando confrontos atípicos de eleitores que chegavam a entrarem em pancadaria defendendo uma cor pela outra. Os cabuetas da política eram tão sem escrúpulos que ficavam por vigiar os adversários e captavam qualquer ponto que se dizia negativo e metia o sarrafo nas esquinas queimando as orelhas dos monstros alheios. Dessa forma cada eleitor que envolto a paixão criava um ódio ou uma adoração tão vil que se fundia numa cegueira ou num espírito vingativo.
Mas hoje, a cabuetagem deve se estender para a criminalidade, onde com confiança no trabalho sério da polícia muitos seridoenses denunciam os vagabundos e muitas das prisões que estão ocorrendo contra a bandidagem é porque a polícia recebe ligações anônimas de denúncias contra tráfico de drogas, assaltos, produtos de furtos e tantos outros azares que decorrem na vivência da sociedade atual. Cabuetar não é crime, pois contribue para que todo mundo fique sabendo quem é o responsável por tal ato nefando. Mas na política de antes a cabuetagem tinha outro sentido. E se hoje não fosse a cabuetagem muitos crimes de corrupção não tinham sido desbaratados. Por isso cabueta é cabueta, ou melhor X 9. 

OS ASSUBIOS DO SERIDÓ

É de se saber que as mulheres que andam todas reboculosas com seus amostramentos de beira, sem eira e nem beira, e de tetas ao mesmo tempo, estão elas renegadas ao tirar casquinha da macharada que fica de butuca ligada em quem vem e quem vai. Em outras palavras, os cabimentos existem, tem que existirem e que devem existir. Por mais que muitas cabocas se sintam constrangidas com tantas tiradas de cabimentos elas não conseguem evitar. Nem mesmo se elas recorrerem aos seus pais ou responsáveis jamais elas poderão proibir um caboco seridoense de olhar e de sentir fricção pelo sexo oposto.
Sem falar de que muitas mulheres querem que a cabocada se sinta mesmo é emcabulada com os decotes, os shorts arrochadinhos ou as saias curtinhas. Outras tentam seguir um padrão de conservação da moral e dos bons costumes desejando ser mulheres respeitosas no convívio social. O erro é que muitas dessas mulheres que querem para si o respeito da macharada são às vezes flagradas com mini-saias curtíssimas, shorts apertados e curtos e blusas decotadas ao extremo. Querem ser direitas, mas si dão ao desfrute.
Tudo começa nos tempos idos onde não havia muitas tiradas de cabimentos com as cabocas visto que poucas vezes elas saíam de casa e mais que a cultura da época fazia muitas jovens donzelas e debutantes usarem saias ou vestidos com as barras varrendo o chão. Muitos cabocos da época, os mais enxeridos, se contentavam o máximo ao ver pelo menos um pedaço de tornozelo ou um branquidão do colo da fêmea que já era motivo de certo para uma descascada de banana ou de um drumir mais acalentado de sonhos eróticos. E mesmo existindo na época pais de meninas valentes, bigodudos, amigos de cangaceiros ou gerenciadores de bandos, as cabocas eram aperreadas com galanteios, os assubios cariocas e flertes de danças que mesclavam o comportamento alheios dos jovens de outrora.
Nos dias de hoje, a cultura de moda está quase tão despida que é inevitável as tiradas de cabimentos visto que não se pode querer proibir algo se as pessoas atrizes dos usos estão colaborando para que isso ocorra com mais gravidade. Hoje é trivial você ver crianças ainda sem peito e sem nada vestirem roupas curtíssimas afim de mostrarem suas burranhas. Quando chegam na adolescência as meninas mesmo ainda não tendo peito já querem vestir blusas com decotes e short apertado. As saias são as mais deturpadoras da moral e dos bons costumes. E as idéias de hoje são muito diferentes das idéias culturais de outrora.

Então, não adianta querer evitar os cabimentos alheios se não terá como evitá-los. E matar por besteira não é a melhor saída, pois quem matar um tem mil para fazer valer o comportamento dos machos de plantão que estão colocando em prática o tino que a natureza lhes deu de cobiçar todo tipo de fêmea procriadora. Tenho dito!

A TRISTE VOLTA

POESIA: A TRISTE VOLTA.
POETA: EDNALDO LUÍZ DOS SANTOS.

Foi vivente numa vida conturbada
Preferiu bater as asas do seu lar
Seu mancebo lhe botou para vereda
Desconfiança no chão árido quis ficar.

Porém o pé do retorno foi a geração
Que garantiu o sustento do voltar
Se a partida fez o corpo esmorecer
A geração fez a carência revigorar.

As tuas pena de epiderme quis calor
Para aquecer o teu ninho de procriar
O teu oco de catingueira não ressecou
Pois pretendeu a qualquer custo irrigar.

O teu ninho tinha ficado tão solitário
Sem a sustância que conduz o alegrar
Já se mostrou na junção contrariante
A ausência de amor no seu penar.

É por isso que o tempo lhe injeta a acidez
E emoldura a tristeza penetrante
A triste volta que anseia o Paraíso
Dá prejuízo numa vida delirante.


Feito dia: 03/ 07/ 2014.

FILOBA

A filha da loba que lambeu lobinho, que lambeu no limbo o lambe carrasco. Ele que lambia o lombo lambido, lambeu bem lambido a lomba do lobo.
Ela que lambia, que dava lambida ficou tão sabida lambendo o lombar.

E agora a loba com sua lobinha defende a lambida que dava sozinha.

PEGUE O BECO, BRASIL.

ATÉ QUE ENFIM O BRASIL SAIU DA COPA, DA FRACOPA! ELE NÃO TINHA O ÂNIMO SECULAR DE NOS TRAZER ALEGRIA JÁ QUE NOSSO PAÍS VIVE UM PRESENTE DE MERDA E DE MEIA TINGELA. A PRESIDENTE DILMA QUÍS ABAFABAR A NOSSA INSATISFAÇÃO PARA COM A REALIZAÇÃO DESSA COPA DE 2014 NO NOSSO TERRITÓRIO. E DEU NO QUE DEU. A NOSSA SELEÇÃO FUTIBOLÍSTICA ENDEUSADA MUITO PELA REDE GLOBO DE TELEVISÃO NÃO SURTIU O MESMO EFEITO QUE TEVE NA COPA DAS CONFEDERAÇÕES E DEU COM OS BURROS N’ÁGUA.
O FELIPÃO É EM PARTE CULPADO POR NÃO TER DEIXADO O MESMO TIME QUE JOGOU TAL COPA CONFEDERADA E A ALEMANHA CASOU E BATIZOU COM OS JUVENIS JOGADORES.
MAS O BEM FEITO ESTÁ EM PODER TER CONTRARIADO O POVO BRASILEIRO EM FAZER MOVIMENTOS REIVINDICATÓRIOS POR MELHORES CONDIÇÕES DE VIDA, TENDO A SEGURANÇA E A SAÚDE SEUS PAPÉIS MAIS PRONUNCIADO NA BOCA DO POVO. SÓ PARA SE TER UMA IDEIA, EU OUVI NO RÁDIO UMA CORRESPONDENTE DE BRASÍLIA DIZER QUE SÓ LÁ NO CONGRESSO TEM 21 PROJETOS DE REDUÇÃO DA MAIORIDADE PENAL, DE CRIAÇÃO DE NOVOS INTERNATOS AOS MENORES E OUTRAS MUDANÇAS DE COPMBATE À VIOLÊNCIA E A IMPUNIDADE DOS NOSSOS JOVENS E ADOLESCENTES. AÍ TEM ÂNIMO UM PAÍS DESSE NA COPA?
MILHÕES FORAM INVESTIDOS EM CONSTRUÇÕES DE ESTÁDIOS E HOTÉIS, ENQUANTO QUE A SAÚDE E A SEGURANÇA PÚBLICA SÓ RECEBE MIGALHAS. É UMA VERGONHA. NÃO É PARA COMEMORAR! 

O PRÍNCIPE REITOR

NASCERA ELE na cidade de Reitoria e vivia em duas moradas. Uma abrangia-o no turno diário o sorvendo de leite em abundância. A outra tomava-o no turno noturno enxertando-o de minguados mingaus.
Passando para a infância propriamente dita, o príncipe teve de se alocar em um castelo de meia tingela e ficou nele até a fase adulta, que tardou mas não falhou. O príncipe era de linhagem azul, azulão, e dourada, amarelada, que se portava tão reluzente que atraia por si só a paparicação da corja da ralé, fétida de chulé, que convivia com os mais abastados do lugar.
Sua mãe, então já uma coroa ultrapassada permitia que o lindo pulha empulhasse sua casa de vez em quando, de práxis cotidianamente, só para se ter com os paparicos do papai e da mamãe. Mas o pulha não queria muito incomodar a empulhagem dos pais e sempre dava um jeitinho seridoense de pular o muro da tapera e taperar no seu nicho que o mesmo conseguiu com muito esforço real.
Quando ele bateu no céu da fase adulta o mesmo conseguiu por interesse fêmeo arranjar uma garatuja para a fornicação, mas o mesmo com chilique estranhoso não teve o ímpeto de tarantar o apego fornicoso do órgão oposto dado ao fato dele sofrer desde a infância de síndrome do baitolismo medonho. Esse mal tivera de ser causado por um mestre de arte pernicular e esfregante que galgava de vez em quando o cilindro inocente da tímida área privada e real. Tanto é que ele era viciado por banhos e mais banhos de banheira real.
Quis ele explorar o seu lado da síndrome andando de ré, por isso que ele foi apelidado de Rei, Rei do Seridó. E sempre andava na companhia de um tamoia chamado de Tor. Por isso que seu nome se mesclou com Rei e Tor e deu igual a Reitor.

E agora ele quer deixar de ser real para viver hippieando nas estrofes poéticas galgando forças energéticas para enfrentar um mundo de preconceitos. Salve o Rei.

PAIXÃO DEBORADA

POESIA: PAIXÃO DEBORADA
POETA: EDNALDO LUÍZ DOS SANTOS.

Deus deu o momento energético
E a natureza foi quem acobertou
Bons fluídos cultivaram telepatias
O cupido por um triz não acertou
Rios de risos preenchiam a paixão
A alma santa que olhando me tocou.

De um jeito súbito atinou-me pro amor
E sem delonga me mostrou fidelidade
Beatifiquei àquela alma carismática
Olhando sobre o teu ar de santidade
Rebusquei no meu tímido dom poético
A gentileza que prescrevo em tom alade.

Dediquei ao momento fitar a cena
Enquadrando uma paixão tão juvenil
Busquei fontes de escritos ultrapassados
Onde não vi um sentimento varonil
Reacendi no meu espectro solitário
A música viva pr’uma alma tão gentil.

Dádiva certa da natureza energética
Emoldurada na geométrica forma sã
Belas melenas que bailavam em abismo
Ondulando o vento da rotina da manhã
Raios do Sol que douravam a pele fresca
Abrilhantando os reflexos da divã.

Diamante bruto que com afeto se lapida
Em experiência que se ganha ao conjugal
Brio cadente que a alma bem cultiva
Obra perfeita de um composto natural
Raro minério cuja mina pouco se acha
Achando a mina a paixão é triunfal.

Dias se passam e a lembrança é altaneira
Embriaguei-me por tão jovem formosura
Basta eu ter uma ajuda dos discípulos
Ocasião que a energia faz candura
Raciocinar em paixão tão deborada
Aviva o amor do poeta à criatura.

Feito dia: 04/ 07/ 2014.

MAIS FORÇAS DE SEGURANÇA NO BRASIL

VAMOS VER A LISTA DE FORÇAS QUE SE DIZ DE SEGURANÇA QUE NÓS TEMOS.

1 - EXÉRCITO BRASILEIRO;
2 - AERONÁUTICA BRASILEIRA;
3 - MARINHA BRASILEIRA;
4 - BATALHÃO DE CHOQUE;
5 - POLÍCIA FEDERAL; 
6 - POLÍCIA CIVIL;
7 - POLÍCIA MILITAR;
8 - GRUPOS TÁTICOS DE COMBATE
9 - E AGORA: GUARDAS MUNICIPAIS...

AINDA SERÁ FUNÇÃO DO GUARDA MUNICIPAL:
Outra competência é encaminhar ao delegado de polícia, diante de flagrante delito, o autor da infração, preservando o local do crime. A guarda municipal poderá ainda auxiliar na segurança de grandes eventos e atuar na proteção de autoridades. Ações preventivas na segurança escolar também poderão ser exercidas por essa corporação.

E AINDA POR ISSO TUDO, O BRASIL É O SÉTIMO PAÍS MAIS VIOLENTO DO MUNDO!

GUARDAS MUNICIPAIS NOS BAIRROS: CUIDADO BANDIDAGEM!

SÓ FALTA AGORA A PRESIDENTE DILMA ROUSSEFT APROVAR EM PRIMEIRA LINHA E COM CARÁTER DE URGÊNCIA A LEI QUE PERMITE A TODOS OS GUARDAS MUNICIPAIS SE TRANSFORMAREM EM RÉPLICAS DE SOLDADOS DE POLÍCIA.
Foi o que aconteceu na quarta-feira dessa semana que passou, dia 16 de Julho, lá no Senado Federal o plenário aprovou o projeto que cria o Estatuto Geral das Guardas Municipais e permite a todas as cidades do país criarem em cada bairro forças de combate a proteção do cidadão e ao seu patrimônio particular. "Com a aprovação do texto (PLC 39/2014 – Complementar), do deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), a categoria passará a ter direito ao porte de arma e à estruturação em carreira única, com progressão funcional. O projeto, que tramitava em regime de urgência, será encaminhado à sanção presidencial", registrou o blogueiro Eduardo Dantas.

O poder de polícia que será dado aos guardas municipais deve ser voltado à proteção ao cidadão de bem. Com isso, torna-se mais uma força que entra no rol das instituições que dizem cuidar da segurança pública e assegurar a ordem pregada na bandeira do Brasil. Mas e se isso não resolver? Se isso se tornar em mais um mero instrumento do crime organizado? Por isso, espera-se que sejam criados núcleos de vigilância e de supervisão desses guardas e apurar qualquer denúncia que impetre contra eles. Assim desfecha-se um meio de combate a corrupção de forças de segurança para o crime. 
"De acordo com o projeto, as guardas municipais terão poder de polícia com a incumbência de proteger tanto o patrimônio como a vida. Deverão utilizar uniformes e equipamentos padronizados, mas sua estrutura hierárquica não poderá ter denominação idêntica a das forças militares. O Estatuto Geral das Guardas Municipais regulamenta dispositivo da Constituição que prevê a criação de guardas municipais para a proteção de bens, serviços e instalações. A guarda municipal deverá ainda colaborar com os órgãos de segurança pública em ações conjuntas e contribuir para a pacificação de conflitos. Mediante convênio com órgãos de trânsito estadual ou municipal, poderá fiscalizar o trânsito e expedir multas", destaca o blogueiro.
Mas que sejam criadas também as bases de segurança integrada ao cidadão e que se coloque também uma viatura disponível em cada bairro e que as rondas da PM também sejam intensificadas para que haja uma integração das forças locais e que se desarticule o crime organizado. Por enquanto ainda é um sonho para todo o brasileiro que almeja urgentemente mudanças drásticas nessas leis de segurança e de proteção ao menor infrator. A ideia de se criar um presídio em cada cidade para que essa cuide de seu próprio preso e de um Centro de Reabilitação ao Menor Infrator em cada município deve ser ouvida e praticada. Ou teremos futuramente uma grande revolta e revolução popular contra esses caciques que pouco olham para a sociedade brasileira de maneira igual. 

quarta-feira, 2 de julho de 2014

A LEI DOS FILMES NACIONAIS PARA SEREM EXIBIDOS EM ESCOLAS PÚBLICAS.

O QUE NÓS PROFESSORES FAREMOS AGORA?

VAMOS PASSAR PARA NOSSOS ALUNOS FILMES BRASILEIROS? QUAIS?

É uma pergunta meio perniciosa e que nos deixa entre a cruz e a espada visto que na coletânea de filmes produzidos em sua maioria pela Rede Globo de Televisão dão mais enfoques a bandidagem, a mortes por balas, ao sexo carnal, aos palavrões instantâneos, a nudez perspicaz, a prostituição fresqueira e ao humor distante da realidade da maioria das escolas. 
É de se ficar abismado com uma lei dessas: a tal lei nº 13.006, sancionada pela presidente da República, Dilma, e que foi publicada no Diário Oficial da União. Por lei as escolas de ensino básico de todo o país terão de exibir filmes e audiovisuais nacionais por no mínimo duas horas mensais, para que os alunos tenham contato com a produção brasileira. Eu como Historiador defendo a ocorrência de tal lei, mas que seja criada ou enviada para as escolas uma gama de filmes brasileiros que sejam isentos de características que afrontam o Estatuto da Criança e do adolescente. 
Para o senador Cristovam Buarque, autor da proposta, "a ausência de arte na escola reduz a formação dos alunos e impede que sejam usuários de bens e serviços culturais na vida adulta". Penso do contrário, isso não promoverá ao aluno a condição de que no futuro ele será propagador da cultura do Brasil. Devemos mudar muita coisa nesse país para que o jovem de hoje perceba em suas próprias análises que o Brasil é um país que deve ser cultivado e perpetuado em valores sociais. E não criar uma lei dessas para que o jovem veja nas entre linhas do filme, mesmo que o professor promova didáticas de aprendizagem para isso, que o país é um centro de tráficos de drogas e de consumo, de prostituição, de alcoolismo, de provações sexuais, de fumagem de cigarros, de separações e de tantos outros subtemas que encapam as capas e as legendas de muitos filmes brasileiros. 
Não devemos falar e passar filmes de cultura nordestina que já vem "O Cangaceiro" estuprando uma adolescente, cortando o bucho do outro e metendo bala na negada. Os mitos nordestinos ficam sagrados ao "O Homem que Desafiou o Diabo", onde de Fi-de-rapariga, infeliz das costas ocas, pau, rola e mais à miúde se mesclam nas entrelinhas. "Se eu Fosse Você" é mais adulto do que infantil e adolescente. E tantos e mais tantos e mais tanto...
Mas o leitor pode me criticar e dizer que tem filmes que são educativos no Brasil. Tem! Porém se passarmos toda a semana será por deveras repetitivo para o discente. Se ao menos fosse mensalmente!!!
Eu trabalho aqui em Caicó numa escola de ensino fundamental e passo toda a semana filmes previamente escolhidos por mim, todavia mesclo com nacionais e internacionais.
EU ACHO É MUITOS DESSES POLÍTICOS DEVERIAM É CRIAR LEIS PARA COMBATER A CRIMINALIDADE E A IMPUNIDADE NESSE PAÍS QUE JÁ É SEGUNDO PESQUISAS O SÉTIMO PAÍS MAIS VIOLENTO NO MUNDO POR CRIMES DE DIVERSAS NATUREZAS. É ISSO QUE PRECISA MUDAR!