sábado, 29 de novembro de 2014

APOLOGIAS AO POETA DO SERIDÓ

MEUS COLEGAS ME FALAM!

A NOBRE JANÚBIA FOI MINHA COLEGA DO CURSO DE HISTÓRIA E SEMPRE EU TIVE O MAIOR APREÇO POR ELA. É DE UMA INTELIGÊNCIA GRANDE! VEJA:

JANÚBIA DE MEDEIROS.- 23 jul/2011.
Ednaldo Luíz é uma pessoa abençoada, tem um coração imenso, amigo de todo mundo, nunca teve desavenças com os colegas, tive a oportunidade de ser colega de aula dessa grande figura....como professor, não tive ainda a oportunidade de vê-lo atuando em sala de aula, mas tenho autonomia pra falar sobre os seminários q ele apresentava e como sempre dava um show, finalizando sempre com uma poesia sobre o assunto abordado... e como poeta, toca os nossos corações com suas poesias muito bem elaboradas.Grande abraço Ednaldo, espero ainda ler um livro de poesias escrito por você!!!
Janúbia de Medeiros Menezes, História, Jardim do Seridó/Caicó-RN.


Janúbia é uma grande colega do Curso de História. É UMA GRANDE MULHER E PENSADORA.

ALTO DA BOA VISTA ESTÁ SENDO PERTURBADO POR CRIMINOSOS.

JAMAIS NA HISTÓRIA DO ALTO DA BOA VISTA OCORRERAM FATOS TÃO INCONVENIENTES QUE COLOCARAM EM CHEQUE A PAZ E A CALMARIA DESSA COMUNIDADE. COM O AUMENTO MAL VISTO DO PROGRESSO EM ASCENSÃO O NÚMERO DE POPULARES AUMENTOU E COM ISSO DESCARACTERIZOU EM PARTE A IMAGEM DE UM ALTO TRANQUILO, CALMO E BOM DE SE VIVER.
AS PESSOAS ANTIGAS DO BAIRRO ESTÃO PERPLEXAS E COM CERTO MEDO. NESTE ANO DE 2014 O BAIRRO VIVE UMA HISTÓRIA DE CASOS E MAIS CASOS DE AÇÕES DE CRIMINOSOS QUE MUITOS SÃO TRAZIDOS POR CERTOS INDIVÍDUOS DO BAIRRO QUE ESTÃO ENVOLVIDOS NO MUNDO NEGRO DA SOCIEDADE: AS DROGAS.
PARA SE TRE UMA IDEIA JÁ SÃO QUASE 7 CASAS ARROMBADAS, 2 ASSALTADAS E 3 ENVOLVIDOS COM DROGAS ASSASSINADOS.
A POLÍCIA DIMINUIU AS RONDAS PELO BAIRRO E A COISA PRECISA SER REPARADA!
O ALTO DA BOA VISTA NÃO PODE JAMAIS SE TORNAR UM BAIRRO MAL VISTO E PÉSSIMO DE SE VIVER. TODA A COMUNIDADE QUE NÃO COMPARTILHA E NEM ACEITA O MUNDO DO CRIME DEVE ESTÁ ATENTA PARA ISSO. ELES AGEM EM SUA MAIORIA NA CALADA DA NOITE E É AÍ QUE A POPULAÇÃO DEVE FICAR MAIS ESPERTA. COMO? PRIMEIRO CADA MORADOR DE SUA CASA DEVE FICAR COM UM OLHO ABERTO E OUTRO FECHADO A NOITE, OU SEJA, DEVE ELE VIGIAR SUA PRÓPRIA CASA E AINDA MANTER RELAÇÕES DE AMIZADES COM OS VIZINHOS DE TRÁS E DA FRENTE, E DOS LADOS. SE POSSÍVEL, PEGUE OS NÚMEROS DOS TELEFONES E FIQUE COM ELES CASO PRECISE URGENTEMENTE QUANDO OUVIR UM BARULHO DE ARROMBAMENTO OU MANIFESTAÇÕES ESTRANHAS NA CASA DO VIZINHO. SOMENTE AS PESSOAS VIGIANDO A SUA CASA E DO PRÓXIMO É QUE PODE OCORRER UMA FORÇA IMPLACÁVEL CONTRA ESSA MANIFESTAÇÃO CRIMINOSA NO ALTO.
PAREDÃO DE SOM ROUBADO SEXTA-FEIRA NO ALTO DA BOA VISTA DO OUTRO LADO DA PISTA. SEGUNDO A POLÍCIA FOI LEVADO POR ALGUÉM DE CARRO E QUE FOI AJUDADO POR MELIANTES DO PRÓPRIO BAIRRO. SEU PROPRIETÁRIO É ROGÉRIO.
O VIZINHO NÃO DEVE PRATICAR A BARBÁRIE, MAS É SEMPRE BOM TER ALGO PARA SE DEFENDER, UMA LANTERNA É IMPORTANTÍSSIMA. UMA ARMA...DEVE SER LEGALIZADA...SE ACASO O VIZINHO PERDER O SONO DE NOITE FIQUE CALADO, OUÇA OS BARULHOS ENVOLTA DE SUA CASA; COMECE A ANDAR NO ESCURO DA CASA; BRECHE POR BURACOS; SE VIR ALGUÉM SUSPEITO LIGUE PARA O 190; NÃO SE ENFURNE MUITO DENTRO DE UMA REDE OU NUMA CAMA;COMPRE UM CACHORRO E TRATE E ENSINE-O A INVESTIR CONTRA AMEAÇAS; TENHA O TELEFONE DE UMA PESSOA DE OUTRA RUA; ANDE SEMPRE COM CRÉDITO NO SEU TELEFONE; SE FOR DENUNCIAR OU DORMIR COM UM TELEFONE DE LADO QUE COLOQUE-O NO MODO VIBRADOR; CHEQUE AS PORTAS E JANELAS; CUBRA A CASA COM LAJES OU RIPAS BEM PRÓXIMAS UMAS DAS OUTRAS; E COMECE A PENSAR EM NOVAS MEDIDAS E EVENTUAIS SAÍDAS PARA UM PERIGO BEM PRÓXIMO.
VOCÊ VAI VER QUE SE VOCÊ FIZER ISSO E MAIS ALGUMA COISA VOCÊ CIDADÃO ALTOBOAVISTENSE ESTARÁ CONTRIBUINDO PARA UMA LIMPEZA DO BAIRRO E UMA VOLTA A TRANQUILIDADE TÃO QUERIDA NOS TEMPOS DE OUTRORA.      

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

APOLOGIAS AO POETA DO SERIDÓ

MEUS AMIGOS ME FALAM:

ABAIXO UM DEPOIMENTO DA PROFESSORA EULÁLIA, COLEGA DE SERRA NEGRA DO NORTE E NATURAL DO MÉDIO OESTE POTIGUAR. É UMA PESSOA ALTAMENTE INTELIGENTE E COM UM PROFISSIONALISMO IRRADIANTE. VEJA:


É impossível encontrar palavras, frases para expressar a pessoa maravilhosa que compõe o cenário pessoal de Ednaldo Luíz....Sucesso. mostrar mais. 

Eulália, Lalinha, é uma grande mulher. Professora brilhante e de beleza impecável. 

PRESÍDIO SUPERLOTADO NA PARAÍBA

O PRESÍDIO DO ROGER NO SERTÃO DA PARAÍBA ESTÁ SUPERLOTADO DE PRESOS CAPTURADOS PELAS AÇÕES POLICIAIS NO COMBATE A CRESCENTE ONDA DE CRIMINALIDADE QUE SE ESPALHA ASSUSTADORAMENTE POR TODO O BRASIL E INTERIOR, PROVOCANDO ÓDIO, MEDO E REPÚDIO EM TODOS OS LARES DAS FAMÍLIAS. VER-SE QUE O BRASIL JÁ CHEGOU NA CONDIÇÃO DE QUE PRECISA AUMENTAR O NÚMERO DE PRESÍDIOS E CASAS DE REEDUCAÇÃO AOS MENORES INFRATORES. É PRECISO QUE O GOVERNO SE REMEXA OU A POPULAÇÃO DE BEM VAI SE REVOLTAR NESSES DIAS COM GRANDES MANIFESTAÇÕES DE REPÚDIO E INTOLERÂNCIA.



sábado, 22 de novembro de 2014

APOLOGIAS AO POETA DO SERIDÓ

MEUS ALUNOS ME FALAM!

VEJA EMBAIXO O DEPOIMENTO DE RAISSA MEDEIROS, UMA GRANDE ALUNA QUE TIVE O PRAZER DE ENSINÁ-LA AULAS DE REFORÇO CERCA DE 5 ANOS. ELA É FILHA DO GALEGO DO BAR E RIVANDA. NA ÉPOCA ELA ESTUDAVA EM ESCOLA PARTICULAR. HOJE, ELA ESTÁ ESTUDANDO ADVOCACIA NA CAPITAL DO RN - NATAL. SERÁ UMA GRANDE ADVOGADA OU JUÍZA. EU ESTOU TORCENDO MUITO POR ELA. 

"RAISSA MEDEIROS - 12/ 02/ 2011.
Ednaldo Luíz -Exemplo de Vida a ser seguido! assina : Raissa; estudante. 
Pessoas boas no mundo estão faltando, e principalmente com falata de amor e caridade! Amigo querido, sei que todos nós deixamos passar os amigos e os esquecemos no meio do caminho, mas muitas vezes a vida nos leva pôr caminhos diferentes, mas nunca se esqueça eu sempre vou está aqui... Você sabe a pessoa inteligente que é e incrivel, e nunca deixa que alguém lhe diga o contrario, te adoro e um grande abraço da sua amiga Raissa Medeiros!" 

Raissa, uma bela mulher, filha do grande Railson e de Rivanda, no Alto da Boa Vista. Foi minha aluna de aulas de reforço.

O ARRASTO DO PÉ

POESIA: O ARRASTO DO PÉ
POETA: EDNALDO LUÍZ DOS SANTOS.

O arrasto do pé
Pra lá e pra cá
Não pense que vai
Parar de andar.

O pé que caminha
Caminho percorre
O arrasto só para
Quando o homem se morre.

A chinela acompanha
Na terra ou no pasto
Matando micróbios
Na força do arrasto.

O arrasto que rela
O pé no atrito
Fazendo o esqueleto
Mover-se esquisito.

Se falta higiene
Provoca o chulé
E ainda se ouve

O arrasto do pé.

FEITO DIA: 22/ 11/ 2014.

ACUSAÇÕES

CUIDADO COM CERTAS ACUSAÇÕES INVERÍDICAS DE TEOR DEPRIMENTE E MANCHADOR DE REPUTAÇÕES. NÃO SE PODE FAZER ACUSAÇÕES SEM TER PROVAS OU SEM OUVIR DA PARTE AFETADA QUAL A SUA FILOSOFIA DE VIDA. BUSQUE ANALISAR A GRANDE TRAJETÓRIA DO DA VÍTIMA E NÃO O OLHE DE MANEIRA PUNITIVA PARA UM SIMPLES GESTO OU COMPORTAMENTO QUE VOCÊ ACHE QUE É ALGO SÓ POR ACHAR!
CUIDADO QUE ACUSAÇÕES INVERIDICAS DÃO PROCESSOS E PUNIÇÕES FINANCIÁVEIS DE INDENIZAÇÕES.
NÃO ACUSE OS OUTROS SEM TER UMA PROVA CABÍVEL E COM EMBASAMENTO JUSTIFICÁVEL, POIS VOCÊ PODE ASSASSINAR UMA PESSOA MESMO SEM ARMA, SOMENTE COM O PODER DE DEPRIMIR E ACUSAR INJUSTAMENTE. MUITOS SUICÍDIOS SÃO PROVOCADOS PELAS PRÓPRIAS PESSOAS DO CONVÍVIO DA VÍTIMA QUE POR SUAS AÇÕES INPENSADAS PROVOCAM DEPRESSÕES E FALTA DE DESÂNIMOS VITAIS. NÃO SEJA UM CRIMINOSO OU CRIMINOSA DA VIDA ALHEIA!
VIVA UMA VIDA DE SEMPRE SORRIR PARA AS PESSOAS, DE VALORIZÁ-LAS, DE APOIÁ-LAS DE ENCORAJÁ-LAS. ELOGIE O OUTRO E VOCÊ VERÁ QUE VOCÊ VAI FICAR BEM CONSIGO MESMO.
SE POLICIE E CUIDADO, MUITO CUIDADO! VOCÊ UM DIA PRECISARÁ DO OUTRO, PRINCIPALMENTE SE ESSE FOR O SEU VIZINHO.

CAICÓ, NO COMBATE A VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER!

CAICÓ VIVENCIA UMA DAS FACES MAIS IMPORTANTES E PREOCUPANTES DE COMBATE A VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES. MUITAS MULHERES AINDA EM CAICÓ SOFREM COM AGRESSÕES DE SEUS COMPANHEIROS OU PESSOAS AFINS E PRECISAM DENUNCIAR OS DELINQUENTES. E JÁ!
DISQUE DE FORMA SIGILOSA ATÉ MESMO PARA O 190.
VEJAMOS O CARTAZ:

TEMOS QUE ACABAR COM A VIOLÊNCIA DE TODOS OS PORTES PARA QUE CONSIGAMOS VIVER NUM MUNDO COM PAZ!

sábado, 8 de novembro de 2014

POETA ESTRUQUIADO

POESIA: POETA ESTRUQUIADO
POETA: EDNALDO LUÍZ DOS SANTOS.

Eu estou estruquiado
Na pindaíba do amor
Uma cachorra da molesta
Deu  pira e me deixou
Eu estou na solidão
Se acabando à mão
Num eterno chororô.

Eu estava abestalhado
Querendo dengar meu dengo
Mas não achei uma filêpa
De paixão como veneno
Desparafusei de vez
Paixão de galo pedrez
Pinica dentro do quengo.

Formiguei meu sentimento
Fui pra frente do ataque
Me queimei como urtiga
E agora que se lasque
Apertei a perereca
E senti minha careca
Se encarnar em atabaque.

Já fumei tanto pé duro
Tomei cana com limão
Já cheirei fumo torrado
E pisei carne em pilão
Fiz da brita meu sustento
E quebrei meu sentimento
Na estruquiada a mão.

Ah, se eu não tivesse amado
A maravalha de gente
Pisava em vereda certa
Como mordida de dente
Não seria um sacrifício
E faria o meu comício
Em um pleito bem decente.

Nessa estruquiada rima
Não faço rima rimada
Porque quem versa no avesso
Num vice-versa sem nada
Só versa verso de vício
E não se ver o resquício
Duma paixão desusada.

Feito dia: 10/ 10/ 2014.

OS TRONCOS DE AMARRAR BICHOS NO SERIDÓ

               
Nos tempos de outrora no Seridó era comum a gente avistar logo de cara um tronco de amarrar bichos na frente de repartições públicas, estabelecimentos comerciais e até em casebres de pessoas que estavam preocupadas com o estacionamento de quadrúpedes móveis. Eram que os homens atinados para tal estacionamento procuravam caules de jucá, aroeira ou planta de madeira resistente. O trivial era que fosse de jucá dado aos sopapos que os bichos testavam em força.
            O ideal é que achasse um tronco com cerca de mais de nove palmos para poder infincar no chão de três a quatro palmos, a fim de deixá-lo rígido. Fincava-o na lateral da porta de entrada de casas importantes para que os animá num se intramelasse no meio. Só em casebre de gente simples que os troncos de amarrar bichos ficavam ou se viam muitos no oitão da casa.
            É de se proceder que os animá gostavam de beber e de comer. Então, muitos comerciantes podiam fazer cocheiras de água e comer.
            Os animais que eram estacionados em troncos de amarrar bichos eram senão um jumento de um caboco, o cavalo de um coroné ou major e um burro mulo de argum transeunte. Os animais poderiam ficar encelados ou não. No mesmo tronco podia-se ficar mais de um animal, desde que fossem mansos. Se acaso colocassem uns animais brabos ou até mesmo no cio o desmantelo estava feito. Era um enlinhado danado ou uma zorra de acasalamento.
            Os troncos de amarrar bichos eram fortes e resistentes e dificilmente dava cupim. Para evitar isso era trivial passar em todo o tronco óleo queimado. Tal óleo deixava o tronco todo preto e catinguento.
            A segunda utilidade dos troncos de amarrar bichosera o de poder dá a hora pela sombra que se projetava no chão quando era dia de Sol quente. A cabocada pudia andar sem relógio de ponteiro que era fácil dá a hora precisa do dia. Por isso tal importância se dava aos troncos de amarrar bichos.
            No Seridó antigo, devido o fato desses troncos de amarrar bichos terem estruturas de pouca – sombra e também de se avistarem mais jegues estacionados, a negada preconceituosa de outrora gostava de chamar por apelidos os sujeitos baixos, de procedência anã e de nanismo atinado. Chamava-os de troncos ou tocos de amarrar jegue.
            Os tocos de amarrar jegues eram uns arremedos de gente, de gente metida a brava, a valente, forte e resistente, iguais aos tocos de amarrar bichos. Os troncos também serviam para amarrar à Sol quente um escravo rebelde dos tempos desumanos. Ah, se ainda tivessem os troncos de amarrar bichos em Caicó para eu poder amarrar a minha vaca-bike nele! 

ABRA A PORTEIRA

POESIA: ABRA A PORTEIRA
POETA: EDNALDO LUÍZ DOS SANTOS.

Já faz tempo caboca que eu estou
Com os zói bem aberto na porteira
Esperando só você bater as beira
E abrir a beleza da cancela.

Com a boca toda aberta e amarela
Faz cruzado sem empena de cambito
Já passei a lingüeta no restrito
E travei com ferrolho a meia sola.

Pus meu cuspe ao invés de passar cola
E fitei seu retrato à madeira
Eu só quero que você abra a porteira
Pra que eu passe com meu trem todo esticado.

Não vou deixar de cuidar do seu cercado
E desmatar tanta selva em desatino
Pois eu quero ser no engenho o menino
Que chacoalhou tantas tetas de Cajá.

Se abrir a porteira pra eu passar
Eu lhe juro que eu tranco bem trancada
Eu farei de você a pátria amada
Território restrito para amar.


Feito dia: 06/ 11/ 2014.

SAUDADE DO BOI DE PRATA

A HISTÓRIA DE MEMÓRIA FOI LANÇADA EM LIVRO RECENTE NA CIDADE DE CAICÓ

O nobilissimo Humberto Fernandes, a quem os mais chegados chamam de Bebeto, nos deu a honra inusitada de recordarmos, até para quem não sabia, de uma antiga filmagem nas cabeceiras do Rio Seridó conhecida como "Boi de Prata". O escritor dotado de um olhar historiográfico expôs em linhas de reflexões a movimentação das encenações as quais por sinal se puseram em filme. Tal texto foi lançado num recente livro intitulado "Rastos Caicoenses VI", organizado por Lidiane Araújo e lançado na Festa do Rosário. Vejamos o texto: 

"Humberto Fernandes
Tem uma lembrança acontecida e assistida em Caicó, que me faz recordar de uma tarde deslumbrante e encantadora para um garoto de 12 anos. Esse fato se passou no ano de 1978, aconteceu, quando foi realizado em nossa cidade, as filmagens do filme:  BOI DE PRATA, na fazenda do Seu Zé Lima, no bairro de Boa Passagem, que fica localizado no setor norte do Município.
O fato se deu por acaso,quando num belo domingo de sol,fui tomar banho e jogar futebol nas areias do Rio Seridó. Hoje. Infelizmente, nem sequer restou um pouco de areia para a prática do esporte, que tantos craques fez surgir para as equipes de nossa cidade. Vinha eu, voltando para casa, faminto, pois já estava na hora do almoço, e mamãe me esperava. Quando passo em frente à fazenda, vejo muitas pessoas adentrando para o interior do sítio do seu Zé Lima. Curioso, sigo aquela multidão, sem saber o verdadeiro motivo do que estava acontecendo.
Quando chego à casa grande, que deslumbramento!Tinha um verdadeiro cenário para realização do filme. No momento da minha chegada, estava sendo oferecido um banquete, com churrasco e outras guloseimas, que foi compartilhado entre artistas e demais presentes. Tudo naquele espetáculo me fascinou. Principalmente, um grupo folclórico, vestido com roupas coloridas, com muito brilho, detalhe de espelhos, e com uma dança envolvente, lembro-me que tinha um boi, era o Boi Calemba.
Luz!Câmera!Ação. Gritou um homem de cabelos longos, amarrados em forma de totó. Fiquei sabendo ser neto do seu Zé Lima. Tratava-se do saudoso Augusto Ribeiro Júnior, diretor e Idealizador do filme BOI DE PRATA.
Fiquei tão envolvido, assistindo àquele espetáculo, que me esqueci de voltar para casa, só chegando um pouco mais tarde do que o habitual, pois minha mãe não deixava eu ir para o rio, tinha que ter a permissão do meu pai. E ela ficava preocupada enquanto um de nós não chegava.
Detalhe curioso, é que até hoje, não tive a oportunidade de sequer assistir a esse filme, do qual participei como figurinista, sempre leio as crônicas do saudoso Moacir Cirne, e me dá uma pontinha de inveja, por não ter nascido no tempo do Cine Pax, do seu Clóvis, no qual se exibia os Clássicos da sétima arte, e que hoje, vive apenas guardada na memória dos que viveram em Caicó, uma cidade pacata e provinciana, mas que contava com salas de cinema. Atualmente, Nem cinema, nem teatro. Opa!Teatro parece-me que tem, mas inoperante. Um verdadeiro elefante de todas as cores.
Sonho um dia, poder assistir a esse filme, e quem sabe, eu encontre um garoto molhado, com a pele morena, curtida do sol quente do sertão de Caicó. Talvez, quem sabe, recorde de uma tarde que jamais esquecerei. Pois, o cinema faz a gente sonhar.

Caicó, RN ,17 /março de 2014". 
E EU ACONSELHO VOCÊ LEITOR A COMPRAR O LIVRO. JÁ ESTÁ NAS BANCAS DE CAICÓ!

PROJETOS DE SERURANÇA PÚBLICA

EU, Ednaldo Luíz dos Santos, no uso de minhas atribuições como professor e analista da causa pública venho por meio deste blog atentar a toda a população intelectual para melhoramentos no setor de segurança pública principalmente no tocante ao Estado do Rio Grande do Norte que pode ser copiado pelos demais estados.
A segurança pública hoje em dia não tem dado proteção às pessoas nem mesmo dentro do âmbito de sua própria casa. Toda a sociedade do Brasil está apreensiva, amedrontada, sufocada nos seus lazeres e sossego privado. O cidadão de bem se encontra repensando sua vida e vendo se é mesmo realmente possível ser do bem enquanto que o mal assola pelo Brasil adentro contaminando pessoas dos mais diversos tipos e funções. Hoje em dia já não vale mais apenas você ter um sonho de crescimento, de ter uma casa própria e com conforto, de ter um carro ou uma moto ou de poder viajar para curtir o lazer e deixar sua casa abandonada. Parece que não vale mais apenas você estudar e almejar um emprego digno?
Nossa sociedade está enjaulada dentro de casa e parece que isso não vai nunca ter fim. Todos os nossos políticos estão realmente preocupados em suas candidaturas e não colaboram para juntos, sem oposição, fazerem leis e atos punitivos para por fim ao estado de desordem contrário ao lema da Bandeira Nacional. Dessa forma, o que fazer? Será que a pena de morte para traficantes e/ou bandidos de alta periculosidade é essencial? Reduzir a maioridade penal é a saída?
A sociedade se cala e não se houve notícias de elaborações de plebiscitos para que o povo possa escolher a melhor alternativa que lhe convém. Daí nunca se viu na história desse país um assunto ter sido meramente enfocado quanto foi o tema da SEGURANÇA PÚBLICA. DILMA X AÉCIO, foram dois candidatos que disputaram as eleições presidenciais de 2014. Ambos discutiram em debate a segurança pública: Dilma dizendo que ia integrar todas as forças de segurança (idéia que eu pregava já antes da Copa do Mundo); e Aécio dizendo que ia melhorar as fronteiras do Brasil com outros países, pois era aonde se entrava muita droga e armas (ideia que eu também esboçava antes da Copa). Todos esses projetos não são suficientes! Deve haver mais. Vamos citar algumas soluções no combate a violência e a criminalidade:
·         1ª = Criar um pelotão de polícia militar e civil dentro de cada cidade com o contingente de acordo com a quantidade de pessoas do lugar;
·         2ª = Transformar as cadeias públicas em mini-presídios com agentes e direções da área de segurança, onde se colocariam presos provisórios e apenados para que as cidades cuidem de seu delinquentes;
·         3ª = Criar presídios de segurança máxima com agentes e pelotões de segurança em cada cidade, para que cada cidade cuide de seu preso;
·         4ª = Elevar para os menores infratores centros de reabilitação de menores em cada cidade para que cuidem de seus presos com penas decretadas;
·         5ª = elaborar uma cartilha de combate ao crime para que guie as pessoas afetadas aos procedimentos mais seguros e de resoluções imediatas como: dizendo telefones celulares, de trabalho, endereço, e-mail ou fax dos responsáveis pela segurança pública;
·         6ª = implantar um chip no criminoso que for reincidente para que tenha mais controle;
·         7ª = Se não quiser criar a pena de morte, crie a Pena da Amputação que consiste em amputar um dos membros superiores que facilitou o individuo a cometer vários delitos;
E tantos outros que se podem criar em prol de um bem-estar do cidadão de bem. É preciso que se repense a insegurança na sociedade brasileira com medidas drásticas e urgentes, antes que o povo peça a volta do Regime Militar.  

OS AJUNTAMENTOS DE RETRATOS NO SERIDÓ

NOS TEMPOS de outrora, e ainda o é nos dias atuais, a campanha política contagiava todo mundo. Ia-se desde velhos, adultos, mulheres, padres, adolescentes e até crianças. Era um balangalé danado, pois o povo se dividia em dois grandes blocos e ficavam a desfechar insultos e violências contra o adversário que se mostrasse mais frágil e cheio de falcatruas. Era uma política mais voltada a um mandonismo ferrenho cujos grupos oligárquicos melindravam de diversas formas os futuros daquele povo menos letrado e disputado de outrora. Era na realidade dois blocos rivais: Bacurau versus Bicudo. De um lado os bacuraus usufruíam da cor verde implantada pelo velho gato-guerreiro da oligarquias dos Alves, o velho Agnelo. Do outro lado os bicudos usavam a bandeira de cor vermelha, da ovelha vermelha dos Mariz, de impulso sanguinolento e preparativo para a guerra a favor do voto e de poder. Os bacuraus eram devoradores das almas. Mas isso era furdúnço de gente grande, de ababacados que votavam por interesse capitalista e favoritismo de cabresto.
Para a sambudice a política tinha um significado diferente e importante: qual moleque ajuntava mais retratos de candidato?
Era uma concorrência que muito além da procura de votos e de partidarismos. A molecagem gostava da política não por que se fundava numa bandeira tal, mas porque naquele exato momento de persuasão o que estava em voga para a sambudice era senão a quantidade de papel que cada guri conseguia ajuntar. Quem ajuntasse mais era campeão e estava estribado com tanto papel de políticos de diversas raças e de diversas cores.
Nos tempos de outrora não havia muitos adesivos e o que se encontrava mais era retrato mesmo. Muitos políticos com sorrisos na cara despertavam a atenção da criançada e as cores também vislumbrava uma feição juntamente com as nomenclaturas e frases de legendas partidárias que incitavam a leitura rústica e preliminar do que se via em palanques de comícios e mais comícios de outrora.
E se avolumavam os ajuntamentos de retratos no Seridó no tempo da política a tal ponto que facilitava a troca promíscua de retratos repetidos como em coleção de figurinhas. E os moleques se divertiam com isso. Chegavam eles a ajuntar caixas de sapatos cheinhas. Também tais ajuntamentos favoreciam também para que pais partidaristas pudessem pedir aos filhos as fotos dos seus candidatos para pregarem nas portas das malas de couro ou de um guarda-roupas de madeira de lei. Muitas pessoas pregavam em suas casas, nas paredes das salas as fotos dos políticos como se fossem imagens de santos, os santinhos do pau-oco. E eles eram mesmo! Já que apadrinhavam tudo na compra de votos.
Também era o trivial naqueles tempos rudimentares de distanciamentos de hábitos de higiene usar os retratos maiores e de papel não liso para a limpeza da região cabeludamente anal, visto que era nos tempos dos cagadouros vegetais e na falta de um rolo de papel limpa-com-os-dedos o retrato era a melhor opção. Também se fazia o fogo do fogão a lenha com o papel dos políticos.

Assim, os retratos de políticos sempre tiveram serventias no cotidiano seridoense, seja para a diversão, para a limpeza ou para o reduto alimentício. E haja retrato de político, menino!

GARÇ(A)O(U)NET

POESIA: GARÇ(A)O(U)NET
POETA: EDNALDO LUÍZ DOS SANTOS.

Me sirva minha super
Pamonha com mel
Adoça minha boca
Com carne sem fel.

E poste-me no face
No seu facebook
O cliente da net
Que ama teu look.

Traga um prato big
Cheinho de amor
Não faça desfeita
Com bom comedor.

Se você me serve
Com corpo sarado
Eu fico faminto
No doce pecado.

Sua filosofia
Com jeito caliente
Só deixa na net
Aroma de gente.

Um corpo de garça
Por sob a verdura
Desperta na gente
Vontade impura.


Feito dia: 30/ 10/ 2014.

A MENINA NO POSTO

            ELA  gosta de ser chamada “A Rainha do Moinho” devido ao fato dela viver sempre perto do moinho gigante com suas paetas quebradas devido a danação do maluco Dom Quixote de La Mancha. Ela que talvez comporte seus vinte e tantos anos de idade detém nas suas faces uma vivencia de desamor, de sofrimento, aculuinhado com um mundinho de faz de contas esquisito. Tinha abaixo do umbigo uma tatuagem aforquilhada de um caule fecundo com uma flor desabrochando nas entrelinhas da vida. Era como se a flor tivesse sido geneticamente desenhada e apurada pelo prazer alheio. No seu braço esquerdo havia senão uma auréola, pouco reluzente nos recônditos dos valores.
Com um cabelo quase amarelado pelo tempo e pelo modismo, a Rainha não labutava no moinho, também ela não haveria de ser doida o bastante para melindrar uma posição dita esnobe pela clientela da abastância ambígua, posto que era transeunte das inverdades e prostituta da solidão mesquinha. Arrotava em sua garganta uma promiscuidade de parentela cuja veia saltava-lhe à razão. Andava a tiracolo com uma carta que dizia: _ “Em verdade vos digo: que seu destino não lograrar êxito enquanto a distancia minha não estreitar nosso encontro!” Devia de ser um Príncipe Negro que maquinou à razão e se ausentou do compromisso, deixando omisso o fim de um fim finalizado e afastado por tempo indeterminado. O posto era senão um lugar de espera, de descanso, de desenganos, de apreços de preços e de vislumbre ocular.
Quase não detinha filhos para lhe atanazar os ouvidos, mas contentava-se com um móvel mesquinho e asqueroso para bailar no palco íngreme. Gostava de freqüentar a bodega de Dona Melza para comer frituras em apalaches. A Dona Melza era senão uma senhora intrépida e intrínseca à razão de uma filha meia atanazada pelo Coisa Ruim. Mas que vendia suas guloseimas nas paradas e matava a fome daquela que se dizia “Rainha” de um tempo quixoteano.
A menina não era do posto, mas estava no posto de parada obrigatória para que se atinassem para um submundo renegado pela força inspiradora da razão. Pena que o transporte passava pelo moinho enxergando-o como um monstro medieval de um tempo que se fora e não se ver mais cavalheiros andantes. 

Bermuda branca

POESIA: Bermuda branca
POETA: EDNALDO LUÍZ DOS SANTOS.

A sua bermuda branca está muito apertadinha
Está toda desenhando um belo sanduba
É paisagem de vizinha!

A bermuda mostra em detalhes sufocantes
O contexto milimetrado em auto-relevo
Eita que cenas picantes!

E você gosta de se mostrar para mim
Em atos sinceros de um amor interno
Só falta você dizer sim!


Feito dia: 19/ 10/ 2014.

E O CASO DO JUÍZ? SÓ ACONTECE MESMO NO BRASIL!

QUANDO NÃO SE TRABALHA O POVO SE REBELA, E QUANDO SE TRABALHA O POVO NÃO APOIA!

O QUE O BRASIL TEVE NESSA SEMANA PASSADA FOI UM EVENTO DE SE ENVERGONHAR E DE PLENO DESLEIXO COM A CAUSA PÚBLICA. LEI TEM QUE SER APLICADA PARA TODOS, INDEPENDENTE DE STATUS SOCIAL E TUDO MAIS. É UMA VERGONHA PARA AS LEIS DO BRASIL DEIXAR UM JUIZ QUALQUER MANDAR E DESMANDAR NOS SEUS SUBORDINADOS QUANDO ESTES ESTÃO EM PLENO EXERCÍCIO DE SUAS FUNÇÕES. O CASO DA AGENTE DE TRÂNSITO LUCIANA SILVA TAMBURINI DO RIO DE JANEIRO QUE ABORDOU UM MAGISTRADO DE NOME JOÃO CARLOS DE SOUSA CORREA QUANDO ESTE DIRIGIA UM CARRO SEM PLACA E SEM CARTEIRA DE HABILITAÇÃO. O JUIZ, DIANTE DOS COMENTÁRIOS PELO BRASIL, SE AFOBOU, NO DIZER POPULAR, E QUIS INTERVIR NA AÇÃO DA AGENTE QUE RÁPIDO DISSE NA CARA DELE QUE EL NÃO "ERA DEUS" E QUE A LEI DEVE SER ESTENDIDA A TODOS, DOA A QUEM DOER.
E NÃO É QUE O BONITÃO ENTROU COM PROCESSO CONTRA A AGENTE E PEDIU INDENIZAÇÃO A ELA POR DANOS MORAIS! É BRINCADEIRA UM NEGÓCIO DESSES! SÓ ACONTECE NO BRASIL MESMO. E O PIOR QUE O PROCESSO SE VALEU E AGORA A COITADA DA AGENTE FICOU COM O RABO ENTRE AS PERNAS AO TER QUE PAGAR MUITO DINHEIRO A AUTARQUIA.
O CITADO JUIZ TEM OUTRO BOLETIM DE OCORRÊNCIA COM OUTRO FLAGRA DE AÇÃO DE TRÂNSITO, é o que diz o site  http://extra.globo.com , veja:
Reincidente
João Carlos de Souza Correa já havia se envolvido em uma confusão, com um policial rodoviário, em 2009, quando foi parado em Rio Bonito. Além do excesso de velocidade, chamou a atenção dos agentes um giroflex azul (luz de emergência giratória, usada por carros da polícia, por exemplo) no teto. Assim como no caso da agente da Lei Seca, ele também deu voz de prisão ao policial que fez a abordagem.
Segundo o policial rodoviário Anderson Caldeira, que comentou o caso em 2011, logo que desceu do veículo, o magistrado, aos berros, disse que era juiz de direito:
— Ele relutou muito em se identificar e em nenhum momento parou de gritar e me ameaçar, dizendo que me colocaria na rua, que a minha carreira no serviço publico estava acabada etc.

Leia mais: http://extra.globo.com/noticias/rio/agente-condenada-por-dizer-que-juiz-nao-deus-nao-se-arrepende-faria-tudo-de-novo-14461827.html#ixzz3IPGBroX0 
E VOCÊ LEITOR OU LEITORA, QUAL A SUA OPINIÃO SOBRE ISSO? MANDE-ME UM COMENTÁRIO!  

sábado, 1 de novembro de 2014

IMORALIDADE BRASILEIRA: BANCOS ESTÃO SENDO EXPLODIDOS!

ATÉ QUANDO O BRASIL VAI CONVIVER COM ESSA SITUAÇÃO DA AÇÃO DE BANDIDAGEM PRIMEIRO NAS RESIDÊNCIAS E AGORA NOS BANCOS, NOS CORREIOS E NOS CAIXAS ECONÔMICAS? 
O BRASIL TEM QUE FAZER ALGO DE REPÚDIO VEEMENTEMENTE PARA COMBATER ESSES DELINQUENTES QUE DANIFICAM NOSSA CIDADANIA. NÓS NÃO PODEMOS MAIS SUPORTAR ISSO. TODO DIA TEM CASOS E MAIS 
CASOS DE CRIMES COMO ESSE. É PRECISO QUE O BRASIL DEIXE MAIS DE PROTEGER POR DEMOCRACIA E INFLUÊNCIA CAPITALISTA ESSES TIPOS DE CONSUMIDORES QUE CAUSAM O TERROR E O PÂNICO NESSA SOCIEDADE QUE JÁ NÃO AGUENTA MAIS. 
O BARSIL EM TERMOS DE SEGURANÇA PÚBLICA É UMA VERGONHA! E ESPERO QUE DILMA E LULA MUDE ESSA HISTÓRIA OU VAMOS VIVER EM CONSTANTES ZONAS DE GUERRAS DO BEM CONTRA O MAL, E ME PARECE QUE O BEM ESTÁ PERDENDO....

HISTÓRIA DA FAZENDA TIMBAÚBA NO SERIDÓ

O TEXTO É DO SAUDOSO PERY LAMARTINE, ASCENDENTE TÍPICO DO POVO SERRANEGRENSE.


 Evidentemente que essa fazenda já não mais funciona no estilo do Século XIX; foi desativada há mais de cinco anos com a morte do último proprietário a octogenária Theodora Nóbrega.Era uma propriedade que pertenceu ao meu avô materno, o velho Zuza  Gorgônio da Nóbrega, e fora herdada do seu pai, o tempestuoso Gorgônio Paes de Bulhões. Este era filho do irrequieto Cosme Pereira da Costa, lendária figura do Seridó, antigo proprietário da Fazenda Umary, localizada rio abaixo. 
Gorgônio Paes de Bulhões fundou a Fazenda Timbaúba provavelmente em 1833, ano do seu primeiro casamento; destinava-se à criação de gado e dar apoio ao seu comércio de “bois do Piauí”. Foi numa daquelas demoradas viagens aos sertões de Picos e Oeiras que ele veio a falecer, com cinqüenta anos de idade, na localidade de São Mateus, sertão do Ceará, hoje denominado Jucá, onde foi sepultado no dia 1º de maio de 1865.
Gorgônio Paes de Bulhões sempre foi um sertanejo agitado, de temperamento alvoroçado, razão porque tinha o apelido de “Gangão Fuzo-doido” (I). O seu filho e sucessor Zuza Gorgônio manteve aquele comércio de gado mesmo após a morte do pai, até quando a atividade deixou de ser vantajosa, cedendo lugar à lavoura  de algodão implantada  nas terras férteis  do vale do rio Barra Nova.(2)

PRAIA DO PRAZER

Praia do prazer (TAUTOCRÓSTICO)


assando pela praia prazerosa
enovo raciocínio radiante
A arte amada aliada a admirável
ntenção instintiva ideológica
ssediando a amante artista...

elicada deusa do desejo
nde ofereço o olhar osculado...

aixão poética por pleno prazer
efaço rotas rotineiras rítmicas
cariciando a aconchegante área
elosa zagaia zabaneira
ncantada emoção expandida
estaurando rotas repensadas...


Francis Perot

FONTE: http://poesiassensuaisecontos.blogspot.com.br .