sexta-feira, 29 de maio de 2015

ALUNO VER EDNALDO LUÍZ COMO UM SUPER HEROI

DESENHO DE MATIAS MONTEIRO
UM ALUNO QUE TENHO NESTE ANO DE 2015 NA CIDADE DE SERRA NEGRA DO NORTE TEVE O PRAZER DE ME DESENHAR E ME COLOCAR COMO UM SUPER-HOROI. E FEZ E MOSTROU PARA TODA A TURMA DO 5º ANO. O ALUNO É O MATIAS MONTEIRO, E DESDE O ANO PASSADO QUE VINHA DIZENDO QUE NÃO VIA A HORA DE CHEGAR O ANO QUE VINHA PARA ESTUDAR JUNTO COMIGO. ELE TEM UM GRANDE TALENTO NA ARTE DO DESENHO.VEJA:
DESENHO DE MATIAS MONTEIRO 

JORNAL "A VERDADE" DIZ QUE A CORRUPÇÃO TAMBÉM EXISTIA NA DITADURA DO BRASIL



E AINDA DIZEM QUE SÓ NOS GOVERNOS DA ESQUERDA É TEVE MUITA CORRUPÇÃO.

EXPLORAÇÃO DE MENORES

POESIA: EXPLORAÇÃO DE MENORES
POETA: EDNALDO LUÍZ DOS SANTOS.

Um menor sendo criança
Muito jovem, adolescente,
Se mostra tão inocente
Sendo um escravo da culpa
Virando alvo da ação
Numa má exploração
Feita por pessoa adulta.

Seja homem ou mulher
Que explora tal menor
É um crime em derredor
Menor se prostituir
Entrar no mundo da droga
E a bebida que se roga
Ao menos se destruir.

O abuso sexual
De qualquer tipo de gente
É um crime delinqüente
Que o menor está sujeito
Trabalho de escravidão
Tirá-lo da educação
Que o menor tem de direito.

Espancar um de menor
Em pleno desenvolvimento
Lhe causar constrangimento
Também é exploração
O incesto nessa fase
Só vai destruir a base
Pra um futuro cidadão.

É por isso que a esperança
Em um mundo bem melhor
Proteger o de menor
É trabalho social
Mostrar-lhe o seu dever
E ainda o proteger
Contra a exploração do mal.

Feito dia: 15/ 05/2015. 
POESIA APRESENTADA NA SEMANA MUNICIPAL DE COMBATE AO ABUSO E A EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇA E ADOLESCENTE NA CIDADE DE CAICÓ.

AS BRINCADEIRAS COM QUENGAS NO SERIDÓ


            Por : Ednaldo Luíz dos Santos
foto da net.
A NATUREZA para o homem seridoense sempre foi generosa. Primeiro possibilitou aos portugueses tirarem mudas da Mata Atlântica e replantarem no interior do Estado do Rio Grande do Norte. Depois contribuiu para uma boa nutrição dos solos onde tudo que se plantava se dava em fartura devido aos benefícios que o adubo/estrume do gado vaccum gerava.
            Daí surge nos solos seridoenses as primeiras mudas de plantas frutíferas, como o coqueiro, sendo plantadas em pomares ou em arredores de quintais de casas. Uma vez nos pomares ou nas granjas (cercados ou plantios como eram chamados nos sertões) os coqueiros passavam a produzir seus frutos em abundância. Seus frutos chamados de côcos nasciam e cresciam aos magotes, o que possibilitava aos seridoenses a criatividade nos usos da água-de-côco, do leite-de-côco, da carne do côco (a parte branca do côco) e da quenga do côco ( a parte marrom e mais dura do côco).
foto da net.
            A quenga-de-côco detinha em sua formação de espessura de volume um formato físico de uma concha convexa, onde se assemelhava a uma bacia, a uma tigela de barro ou a uma cuia de cabaça. Em muitas vezes as quengas eram jogadas no mato, sem usos. Mas a maioria das vezes, as quengas tinham usos de precisão e de divertimento.
foto da net.
Os usos de precisão eram um tanto primitivo e de conhecimento indígena. As quengas eram usadas nos tempos dos primórdios das taperas seridoenses pelos rústicos portugueses desprovidos de requintes aos objetos domésticos como xícaras de tomar café ou chá. Os primeiros copos de deguste ao líquido retido no pote era senão de quenga-de-côco. Havia-se a idéia de colocar um cabo de cipó em furo da quenga e assim formava uma espécie de concha propícia a mexer comida e a tirar água do pote. O cabo notadamente devia ser ou de pereiro ou de jurema, pois era mais forte.
            Aos usos do divertimento, e é o que nos importa, as quengas-de-côco também eram usadas nas Brincadeiras de Quengas-de-côco que consistia em algumas modalidades de passatempo infantil. Os moleques e molecas do Seridó Antigo se enobreciam muito em poder utilizar coisas naturais em suas brincadeiras.
            Em primeiro plano, quando chovia, a molecada podia brincar de fazer bolinhos arredondados de terra molhada, usando quegas-de-côco como fôrma. Depois de feitos os bolinhos-de-terra podia ser enfeitados com flores do campo ou capim feno. Daí só era inventar que estava comendo tirando os pedaços de fatias. As meninas adoravam brincar de cozinheiras, autoras das iguarias.
            Em segundo plano, as quengas tinham a função de um faz-de-contas inusitado que abarcava um fator arquitetônico e outro de gênero. O arquitetônico era que a criançada podia construir Brasília nos moldes de quengas. Já o de gênero consistia em pegar duas quengas-de-côco e colocar sobre os mamilos para dar a idéia de seios. Isso era feito por meninas afoitas para crescer ou por meninos e até homens adultos no período de carnaval, onde os machos brincavam de ser fêmeas. Também as quegas podiam ser usadas para batuques de forró.
foto da net.
Mas em terceiro plano, as quengas tinham uma função primordial para a molecada do Seridó Antigo, elas serviam também como tamancos, semelhantes aos cascos de um cavalo, onde a trupe de curumins colocaram o nome de “PÉS-DE-QUENGA”. Tais pés se processavam de maneira tão simples de confecção que qualquer um pé-de-chinelo podia fazer.
            Para se fazer os pés-de-quenga acorriam os moleques para os monturos afim de conseguirem duas quengas-de-côco, dado a quantidade de pés do indivíduo. Devia ser realmente quengas e não CATEMBAS de côco, como se dizia nos sertões de outrora. As catembas eram as cascas do côco verde descascado. Achadas as quengas, a molequeira tinha que ajeitar as bocas das bichas para ficar por igual. Depois furava-se um buraco no centro da quenga e arranjava um cordão véi de põe-de-rede mijada e colocava a ponta do cordão num furo e dava um nó. Assim, fazia-se na outra quenga. Aí, pronto! Estavam feitos os pés-de-quenga!
            Depois só era colocar o cordão entre o dedão do pé e outro dedo, subir com a ponta dos pés e andar que nem menino ruim. Quando se andava com os pés-de-quenga tinha que puxar o cordão pra cima e aí ficava fácil de dar o primeiro passo. No chão molhado ia ficando as marcas arredondadas das quengas, o que se parecia com os cascos de um cavalo ou de uma vaca.
            Os mais adultos, perturbados com os reboliços dos meninos, inventavam supertições que passaram de geração pra geração. Diziam que quem brincasse muito com os pés-de-quengas estaria chamando o infeliz-das-costas-ocas para o terreiro, pois aquilo eram os cascos do cão-dos-infernos que estavam chegando para encapetar as crianças empestadas na brincadeira. Os mais véi dizia que o coisa-ruim viria se amontar nas costas de quem tivesse com os pés-de-quenga. Mas os curumins nem ligavam e a algazarra comia no centro. O ruim dos pés-de-quengas era que dava uma dor da molesta na ponta dos pés.
            Assim o chão seridoense também foi encaliçado pelos cascos dos pés-de-quenga, que não podia bater numa pedra que desequilibrava o moleque e ele se estabacava no chão. Ah, saudade dos pés-de-quenga! 

O BUSTO

O BUSTO

O busto se fez saudável e astuto. Mostrou-se de frente, estátua sem luto.
É bom atributo, o busto robusto!
O busto astuto chamou atenção, se fez tentação com seu atributo.
Foi a causa do susto, o busto robusto.

Texto de Ednaldo Luíz dos Santos.


O ALTO DOS FUXICOS

ANTIGAMENTE no Alto da Boa Vista pelo que se acorria de divertimentos de lazer era senão os falatórios de fuxicos que eram espalhados em quase todas as esquinas do bairro. Dizia-se que quem soltasse um peido numa esquina, na outra já se sabia quem tinha sido o cara-de-peido que tinha cometido o séquito. E assim era parecido em quase todos os recantos ignotos do sertão.
No Alto se faziam soltas as esquinas e os fuxicos eram os principais atrativos das vivências dos altoboavistenses. Fuxicavam-se de tudo: o que fulano comprou; com quem fulano saiu; quem passou chifre em quem; quem bebeu muito; quem correu atrás das muiés lavando roupas; quem se perdeu na vida; quem matou quem; e vários outros assuntos que eram manchetes na boca dos jornais das esquinas.
Isso eram um tanto aceito, pois a comunidade não era grande, não tinha muita casa e nem muita gente de poder aquisitivo. Não havia muita televisão nos lares e nem tampouco celulares e internet. A vida era tranqüila e se resumia apenas ao trabalho, ao estudo, aos converseiros nas calçadas e aos fuxicos de plantão. Assim era mais fácil se avistar um bando de velhas e velhos, baforando um cachimbo e jogando conversas pro ar.

Daí o tempo foi se passando e Caicó tornando-se espaçosa nos seus habitantes nos quatros pontos da cidade. No alto da Boa Vista não poderia ficar diferente. Da primeira década da era de 2000 dc. 

A CHAVE

POESIA: A CHAVE
POETA: EDNALDO LUÍZ DOS SANTOS.

QUE ABRE
QUE FECHA
DESFECHA.

QUE GIRA
QUE PIRA
NA MIRA.

QUE TRAVA
QUE DAVA
PASSAGEM.

QUE TRANCA A PORTA
QUE POUCO IMPORTA
QUE VIVA EM CONCHAVE.


Feito dia: 27/ 04/ 2015. 

A TENDÊNCIA CAPITALISTA:

O MAL DO SÉCULO XXI.

Por: Ednaldo Luíz dos Santos.
foto da net.
VI ao longo de minha trajetória de vivência as posições arredias de um desprezo inconteste em relação às desaventuras amorosas e conjugais. As pessoas que tiveram essas experiências, principalmente mulheres, depositaram uma ira de revolta interna contra companhias que segundo elas “fizeram-nas sofrer”.
É fato que pela gama de escolhas que se fazem hoje, movida pela alienação televisiva, a união em desacordos tem ficado instável, moribunda e estranhamente descreditada. A mulher é mias propícia a entrar nesse mundo de descrédito, porque logo ela é bombardeada no mundo do “faz-de-contas” e na transição da adolescência para vida adulta. O homem pode entrar nesse universo de alienação, mas em sua mente de uso isso não míngua certa cicatriz.
foto da net.
Mas de um lado e de outro a idéia do individualismo está alicerçada desde uma cultura de revolta herdad desde os tempos indignos e ditatoriais. Pelo mundo eclodiu uma antipatia ao viver eterno, a união demorada, ao “felizes para sempre”. Em cima disso abarca uma cultura que prega sempre “se não der certo, parta pra outra”. Também a arte da “pegação”, do “ficar” e do usar sem “compromisso” impera nas relações que se torna desarmônicas. Daí surgem ditados, poemas, músicas, paródias, raps e todos os ingredientes culturais, assim como filmes e novelas e/ou programas de baixaria.
O individualismo acompanhado do emaranhado de exigências e de interesses próprios e egoístas se assenta na sociedade atualcomo uma medíocre opção de fuga, de não valorizar o dialogo consciente, calmo e inteligente. Tal fuga, amedrontada para o enfrentamento de juízos alienados, só termina em construir dentro do ser uma ferida de revolta, de angústia, de incapacidade de resolver problemas, fazendo o ser construir um dialogo baseado no seu dócil fracasso. O ser alienado e se sentindo desprezado, incompreensivo e desamado, ora pode cair em depressão, ora pode ser um propagador avesso às uniões conjugais.
Muitos dos seres que se consagram individualistas tem a ilusão de que a solidão não lhes abatem e que suas independências favorecem-lhes a terem prazer de assistir eventos tecnológicos, a usarem diversas drogas e a saber manipular, mesmo erroneamente, as companhias de conquistas. E mesmo assim, inconscientemente, ergue-se uma condição egoísta de solidão social.

Com o individualismo e com as “liberdades” que muitos indivíduos vivenciam, surge a vontade de “fazer da via o que bem querer” e que “ninguém manda nas vontades próprias”. Isso favorece em muitos casos o uso de drogas lícitas e até ilícitas. Também pode provocar obesidade, sedentarismo, isolamento ou ações arbitrárias contra as pessoas ao redor.

PARAÍSO MATERNO

(poesia apresentada ao Dia das Mães da Escola Severina Brito da Silva, no Bairro Samanaú- Caicó/RN).
POESIA: PARAÍSO MATERNO
POETA: EDNALDO LUÍZ DOS SANTOS.

É aqui que mora um anjo
Com toda sua excelência
É tanta mãe diferente
Cada qual com sua essência
Tanta mãe que já partiu
Mas deixou sua ciência.

Tem mãe de vários lugares
É peso da zona norte
Tem as mães do Salviano,
Samanaú é peso forte
Do Alto e Nova Caicó
Que vem a pé ou de transporte.

Tem tanta mãe, Super Mãe,
Que ao seu filho bem trata
Lhe ensina o bom caminho
Que conversa e não maltrata
Acompanha a Educação
Lhe suprindo quando falta.

É sempre essa Super mãe
Que o seu filho tem base
Precisa dela constante
Em toda troca de fase
É por isso que o povo diz:
Eu te amo”em bela frase.


Feito dia: 19/ 05/ 2015.

O OCO DO OVO

foto da net.
O OCO DO OVO

NÃO tem nada no oco do ovo. A gema se foi na comida do povo.
O ovo omite um oco sem gosto. Um oco ouvido o pouco de novo.
A casca do ovo não é masca pro povo!


Texto de Ednaldo Luíz dos Santos. 

ABRAÇANDO MEU AMOR

ELA era tão ativa e eu tão tímido, mas consegui fazer um feito grandioso, quebrando a timidez, dei um abraço apertado e muito apertado. Como se eu estivesse colocando naquele aperto a genética indecifrável no vão do espaço sentimental.
E gostando do primeiro abraço, resolvi dá um segundo e experimentar a quentura que ficou na candelária da razão. Dei senão o segundo e pude realmente provar o que foi posto a prova de experimento. Era como se os dons se fundissem e a força da atração surpreendesse o ego aplicando um desejo do inconsciente.

Pude então vivenciar na força positiva do cenário poético um pulsar cardíaco de um verso vivo, duplo, bilíngüe, hiperboloso e vivificador que o eu lírico pode encontrar. Resta apenas conclamar na certeza racional da força atrativa como a grandeza que se concretizará pelo lapso energético e positivo o fluir do fluxo amoroso. 

ELBA LOUCA

POESIA: ELBA LOUCA
POETA: EDNALDO LUÍZ DOS SANTOS.

Você já está envelhecida
Com transtorno bipolar
Mas prefere se achar
Casca fina exibida
Foste vara arrancada
E ainda descascada
De maneira enxerida.

Está pronta pro cupim
Sua estética se declina
Já não é mais a menina
Que cascava no capim
E agora na vida pouca
A chamam de Elba Louca
Que de tudo acha ruim.

Acha ruim pra trabalhar
Acha ruim a ventania
Acha ruim instrução fria
Acha ruim quem lhe picar
Acha ruim poeta cobra
Acha ruim toda manobra
Acha ruim quem não gostar.

Até o vento corrente
Que assanha tua casca
Ela manda quem se lasca
E varar noutro ambiente
Esta Elba muito louca
Com pintura em sua polpa
Não é gente, infelizmente.


Feito dia: 17/ 05/ 2015.

A MINI SAIA DE MABILA

FOTO DA NET.
Mabila Fiuna da Cruz certa vez tivera de ficar zangada e zarolha por ter vivido no auge de uma carraspana avizinhada uma dose mateira de “fiús” e de paquerâncias dadas a classe subalterna dos filhos das lícitas aqueles que pra combater as deficiências físicas se agarram no consumismo autodestrutivo. Os precursores desse ato selvagem de cio natural estavam testando suas armas da conquista da vitória.
Mabila se achava trupe requintada, de moralismo modesto e severo, tal qual aprendeu com o elefante e a cigarra espiguenta. Mas quando foi se dando por criada e passou a regimentar glândulas para sucção medonha, teve ela de mudar seu estilo, suas expressões e suas ações em prol de um mundo alienado pelo tempo. Tornou-se então ela a prospecção de ataque aos libidinosos monstrengos que proliferam na videla racional.
Então, Mabila passou a usar a mini saia, feita esta da libido dos modistas escancarados e destruidores da moral e dos bons costumes. Sua vestimenta era comprada na feira-livre do espaço espichante e sua matéria prima talvez fosse de cetim ou de fiapos de corda bamba. E se parece que seu intuito, que é o de arrecadar suspiros e levantamentos de trombas das manadas de plantão, está sendo efetivado, pois decorre uma inquietação mestiça à fitação visual.
Mabila longe da matilha e trancafiada numa redoma só tende a ficar varrida ou no cio da fera louca.
Perto da matilha e da manada ela se comporta como bicho civilizado, de pudor reconhecido e de pureza em doravante. Tal bicho, ainda sem cólera, almeja dentro de si libertar-se para sentir o gozo do consumismo animalesco. Pena que seu status é fraco e febril... 

O SOFRER MATERNO

POESIA: O SOFRER MATERNO
POETA: EDNALDO LUÍZ DOS SANTOS.

Como é que um vagabundo
Tem coragem de maltratar
Uma mãe que lhe gerou
Fez de tudo pra criar
Merece esse malfeitor
Morre sentindo a dor
Que ela teve pra gerar.

Tem filho que é mal-conduta
Um pilantra, maconheiro,
Que às vezes por seu vício
Mata a mãe pelo dinheiro
Merece esse vagabundo
Ser rasgado pelo fundo
Em riba de um espinheiro.

Tem filho que não abraça
Sua mãe por sentimento
É um burro, jegue e tolo
Um malandro com tormento
Merece esse sofredor
Viver sem ter um valor
Como um verme de fomento.

Como é que uma vagabunda
Tem preguiça de ajudar
A sua mãe que sofreu
Lutou muito pra criar
Merece essa rapariga
Estourar sua barriga
Quando um macho lhe pegar.

Tem filha que é sem futuro
Gosta pras festas sair
Abandona a sua mãe
Só volta quando vai parir
Merece a filha de bucho
Que só pensa em belo luxo
Do seu mundo despedir.

Tem filha que lasca a mãe
Trazendo neto pra casa
A mãe tem outro aperreio
Um desespero atanasa
Merece a filha que gera
Ser no futuro a megera
De alma quente na brasa.

Se todos os filhos pensassem
Em sua mãe proteger
Viriam que durariam
Uma mãe pra lhe prover
Merece tal atitude
Lutar em prol da saúde
Dessas mães pra não morrer.


Feito dia: 30/04/ 2015.

terça-feira, 26 de maio de 2015

AS PESSOAS DE BEM TEM QUE DENUNCIAR!

SE EM ALGUM BAIRRO DE CAICÓ ESTÁ ACONTECENDO ALGO SUSPEITO, QUE TEVE ALGUMA OCORRÊNCIA CONTRA VIZINHOS OU CONHECIDOS, QUE O BANDIDO AMEAÇOU SE CASO CONTASSE A POLÍCIA, NÃO DEVEMOS NOS INTIMIDAR COM ISSO NÃO!
foto da net.
SÓ A DENUNCIA FAZ COM QUE O BANDIDO DE MAIOR IDADE VÁ PARA ATRÁS DAS GRADES. SE ELE AMEAÇA É PORQUE ESTÁ COM UM MEDO GRANDE DE IR PARAR NO XILINDRÓ. ENTÃO SE VOCÊ O DENUNCIA SEM ELE SABER, ISSO FARÁ COM QUE A POLÍCIA PONHA AS MÃOS NELE OU ELE FIQUE FIXADO PELA POLÍCIA E QUALQUER AÇÃO DELITUOSA A QUAL ELE ESTEJA ENVOLVIDO, É RÁPIDA A SUA PRISÃO. 
É PRECISO QUE AS PESSOAS SE REEDUQUEM AOS SEUS USOS DE MEIOS MATERIAIS E SAIBA QUE EXISTEM VÁRIOS MEIOS DE DENÚNCIA: VOCÊ PODE ESCREVER UMA CARTA PARA A POLÍCIA E COLOCAR NO CORREIO, ANÔNIMA. PODE PEGAR O TELEFONE DE UM POLICIAL DE SUA CONFIANÇA E CONTRA A ELE SOBRE O QUE VOCÊ VIU. PODE ESCREVER UM E-MAIL, MANDAR OUTRA PESSOA DENUNCIAR, LIGAR ANONIMAMENTE E PEDIR PARA NÃO SER IDENTIFICADA COM TESTEMUNHA.
SE VOCÊ SE OMITIR, A BANDIDAGEM CORRE SOLTA. 
TAMBÉM VOCÊ EM SUA RUA SEMPRE PEÇA O TELEFONE DE VIZINHOS PRÓXIMOS A SUA CASA PARA LIGAR PARA ELES EM SITUAÇÃO DE RISCO; TAMBÉM NÃO FIQUE SE INTRIGANDO COM SEU VIZINHO E SEJAM AMIGOS PARA SE UNIREM CONTRA O MAL. AO PERDER O SONO A NOITE, FIQUE DE BUTUCA LIGADA E SE POSSÍVEL BRECHE POR ALGUM BURACO PARA VER QUEM ANDA PELA RUA O PASSA PERTO DE SUA CASA. PEÇA A SEU VIZINHO PARA SE DER FAZER O MESMO E ASSIM SEJA GUARDA DE SE E DO OUTRO, POIS A UNIÃO FAZ A FORÇA.
HÁ VÁRIAS RUAS PELO BRASIL QUE PARA COMBATER A VIOLÊNCIA, OS VIZINHOS SE UNIRAM E UM AJUDA O OUTRO E ASSIM SUAS RUAS FICARAM MAIS SEGURAS....MAS SEMPRE CHAMEM A POLÍCIA OU DENUNCIE A ELA, POIS SÓ ELA ESTÁ PREPARADA PARA MATAR OU PRENDER.  

PARADA NACIONAL DIA 29 DE MAIO DE 2015

VAMOS VER SE TODAS AS CIDADES DO BRASIL VÃO PARAR?


A PARADA NACIONAL QUE ESTÁ MARCADA PARA ESTA SEXTA-FEIRA DIA 29 DE MAIO é muito importante para todo o Brasil, pois vai tratar de temas muito relevantes e contra o ajuste fiscal. São assuntos que mexer com todo o país e portanto todos devem aderir a essa paralisação. Todas as cidades do Brasil devem e tem que paralisarem suas atividades públicas e ir para as ruas ou utilizar meios de comunicação que divulguem, opinem e analisem a situação caótica que está esse país. 
A última Parada Nacional que houve, todos pararam suas atividades e protestaram de uma forma ou de outra. Até cidades do interior do Rio Grande do Norte que não paravam em outras paradas, pararam. A exemplo da Cidade de Serra Negra do Norte.

Veja o que diz os textos sobre a parada:

"Nesta segunda-feira (18), as centrais sindicais se reuniram novamente para tratar dos preparativos do dia 29 de maio – Dia Nacional de Paralisação. Participaram a CSP-Conlutas, CTB, CUT, Nova Central, UGT, Intersindical – CCT e a outra Intersindical que decidiu aderir à data.  A Força Sindical optou por não aderir ao dia, mas liberou seus sindicatos a participar.   As centrais sindicais acertaram os eixos da paralisação que são: contra o PL da Terceirização, as Medidas Provisórias 664 e 665 e o ajuste fiscal, em defesa dos direitos e da democracia.   É preciso preparar desde já paralisação nacional nos estados     A CSP- Conlutas orienta as suas entidades e movimentos filiados a preparar desde já esse dia de luta. É importante organizar plenárias, assembleias com as bases para conseguirmos máxima adesão dos trabalhadores.   A CSP-Conlutas Pará está chamando  uma plenária para esta segunda-feira (18) com esse objetivo. É preciso seguir esse exemplo e fortalecer a construção desde já do Dia Nacional de Paralisação.   Outras iniciativas também apontam um dia 29 com diversas categorias paradas. Os professores das universidades federais anunciaram de greve em 28 de maio, um dia antes da paralisação nacional. 
Além de outros setores, como professores estaduais e municipais, e outros setores do funcionalismo público que já estão em greve e prometem adesão à data. Assim como os trabalhadores do setor de transporte de São Paulo, entre eles, os condutores, metroviários e ferroviários, que estão buscando formas de agregar ações para o Dia de Paralisação Nacional.   “A CSP-Conlutas conclama todos os seus sindicatos e organizações a na sua região organizar a paralisação em base as bandeiras comuns, enaltecendo a nossa alternativa classista voltada aos trabalhadores. Vamos parar o Brasil”, convoca o membro da CSP-Conlutas Luiz Carlos Prates, o Mancha, que participou da reunião entre as centrais".
As entidades acertaram os eixos da paralisação que são: contra o PL da Terceirização, contra as Medidas Provisórias 664 e 665 e o ajuste fiscal, e em defesa dos direitos e da democracia.
A CSP- Conlutas orienta as suas entidades e movimentos filiados a preparar desde já esse dia de luta, organizando plenárias e assembleias com as bases para conseguir máxima adesão dos trabalhadores. Outras iniciativas também apontam um dia 29 com diversas categorias paradas, como professores estaduais e municipais, e outros setores do funcionalismo público que já estão em greve e garantem adesão à data. Assim como os trabalhadores do setor de transporte de São Paulo, entre eles, os condutores, metroviários e ferroviários, que estão buscando formas de agregar ações para o Dia de Paralisação Nacional.
“A CSP-Conlutas conclama todos os seus sindicatos e organizações a na sua região organizar a paralisação em base as bandeiras comuns, enaltecendo a nossa alternativa classista voltada aos trabalhadores. Vamos parar o Brasil”, convoca o membro da CSP-Conlutas Luiz Carlos Prates, o Mancha, que participou da reunião entre as centrais.
Os setores das Instituições Federais de Ensino Superior (Ifes) e das Instituições Estaduais e Municipais de Ensino Superior (Iees/Imes) do ANDES-SN deliberaram pela participação dos docentes na paralisação do dia 29. Os docentes das Ifes têm, também, deflagração de greve nacional marcada para o dia anterior, 28. O Conad Extraordinário, realizado no início de maio, também definiu a participação do Sindicato Nacional do dia 29, como parte do processo para construção da greve geral dos trabalhadores.

A data também foi incluída no calendário de lutas do Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais como forma de pressionar o governo e fortalecer a mobilização dos servidores públicos federais. A Reunião Ampliada do Fórum apontou ainda o debate, nas bases das categorias do serviço público federal, sobre a possibilidade de construção de uma greve dos servidores a partir do mês de junho".

sábado, 23 de maio de 2015

EDNALDO LUÍZ FAZ HOMENAGEM AS MÃES DE CAICÓ

FOTO DE EVA.
O PROFESSOR EDNALDO LUÍZ NO USO DE SUAS ATRIBUIÇÕES FEZ HOMENAGEM NESTE DIA 22/ 05/ 2015 COM A POESIA "PARAÍSO MATERNO" AS MUITAS DAS MÃES DOS ALUNOS DA ESCOLA SEVERINA BRITO DA SILVA, LOCALIZADA NA ZONA NORTE DE CAICÓ, NO BAIRRO SAMANAÚ.
NA CONFRATERNIZAÇÃO ESTAVA A SECRETÁRIA DE EDUCAÇÃO DE CAICÓ SOCORRO MARIZ E O POETA ANTÔNIO NEVES. A DIREÇÃO ELOGIOU A OBRA DO PROFESSOR E POETA EDNALDO LUÍZ.

EDNALDO LUÍZ É DESTAQUE NA CIDADE DE SERRA NEGRA DO NORTE

FOI NO DIA DAS MÃES COMEMORADO NO DIA 09/05/2015.

SEGUNDO FOI TESTEMUNHADO POR MUITAS MÃES DA CIDADE DE SERRA NEGRA DO NORTE O PROFESSOR EDNALDO LUÍZ, PROFESSOR DA ESCOLA MUNICIPAL HERMES FURTUNATO DOS SANTOS, FOI UM DOS MAIORES AGITADORES E DESTAQUE NA COMEMORAÇÃO DO DIA DAS MÃES QUE OCORRERA NA ESCOLA MUNICIPAL CORONEL MARIZ.
ESTAVAM PRESENTES NESSA COMEMORAÇÃO TODOS OS PROFESSORES E PROFESSORAS DA CIDADE E VÁRIAS MÃES DE ALUNOS. EDNALDO FEZ UMA APRESENTAÇÃO POÉTICA E TEATRAL QUE ARRANCOU RISOS E ELOGIOS DA COMUNIDADE LOCAL. AO FINAL DA APRESENTAÇÃO MUITOS VIERAM PARABENIZAR, INCLUSIVE VEREADORAS DA CIDADES QUE AMARAM A APRESENTAÇÃO. DISSE EDNALDO "ISSO FOI MUITO SATISFATÓRIO PARA MIM". TAMBÉM ELE FOI TENTADO POR CONVITES A SE MUDAR PARA A ESCOLA CORONEL MARIZ, MAS NO MOMENTO NÃO ACEITOU.
O SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO, SEU GILMAR, TAMBÉM GOSTOU MUITO.


quarta-feira, 20 de maio de 2015

PARTICIPE VOCÊ TAMBÉM DO LIVRO DE EDNALDO LUÍZ

MANDE UMA MENSAGEM DE QUANTAS LINHAS VOCÊ QUISER FALANDO DE COMO VOCÊ CONHECEU A FIGURA DE EDNALDO LUÍZ E SUAS CONSIDERAÇÕES A RESPEITO DESSE POETA. DEPOIS COLOQUE SEU NOME COMPLETO, A DATA, A PROFISSÃO E A CIDADE A QUAL VOCÊ MORA.
SUA MENSAGEM SERÁ POSTA EM LIVRO QUE ESTÁ SENDO COGITADO POR EDNALDO LUÍZ....PARTICIPE E SE TORNE JUNTO COM O POETA APOIADORES DA CULTURA SERIDOENSE.

quarta-feira, 6 de maio de 2015

ALGUÉM TEM QUE DÁ UM BASTA.

BASTA EM QUE?
O QUE SE FAZ DE ERRADO? O QUE INCOMODA-TE? A PRODUÇÃO POÉTICA É PRA SER ADMIRADA E NÃO SALPICADA DE INSINUAÇÕES. NÃO COLOQUES INVERDADES NAS OBRAS SUBLIMES. NÃO FIQUE NESSA SUA ARQUIBANCADA CHIFRIM E DIGA O DISSE ME DISSE AOS OUTROS. NÃO JOGUE OS OUTROS CONTRA AQUILO QUE QUERES QUE SEJA ANIQUILADO.
VIVA A VIDA COM AMOR E EMOÇÃO. NÃO ZOMBE E NEM PONHA LIMITES NA FELICIDADE ALHEIA. SAIA DESSA CAVERNA, SORRIA AO DOM POÉTICO E CONVERSE COM ELE QUE LHE GARANTO QUE SE FORES SIMPÁTICA ENQUANTO PESSOA COM ELE, ELE LHE ENGRANDECERÁ.

sábado, 2 de maio de 2015

MAIS RESPEITO COM O TRABALHADOR

POESIA: MAIS RESPEITO COM O TRABALHADOR

POETA: ZÉ BEZERRA.

Hoje os trabalhadores do país
Importantes direitos conquistaram
Pelas causas maiores que abraçaram
Numa luta por vida mais feliz
No entanto, há políticas hostis
Que provocam a infelicidade
Do trabalho não zelam a qualidade
Tiram do operário o seu valor
Mais respeito com o trabalhador
Quem trabalha é pra ter dignidade.

O sistema hostil neoliberal
Defendido por toda a burguesia
Que trabalho é pra ser mercadoria
Pela ótica voraz do capital
E o trabalhador só se dá mal
Na pressão pela produtividade
Mas o seu ordenado na verdade
É mantido em nível inferior
Mais respeito com o trabalhador
Quem trabalha é pra ter dignidade.

Do desenvolvimento da nação
O trabalho é a máquina propulsora
Esta classe protagonizadora
É preciso estar sempre em união
Pela força da organização
Pra lutar por justiça e liberdade
Mais salário, mais vida e igualdade
Sem haver distinção de sexo e cor
Mais respeito com o trabalhador
Quem trabalha é pra ter dignidade.