segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

SERPENTE HUMANA - ESTÁ CHEGANDO O FIM DO MUNDO!

É UMA JOVEM QUE MUDA DE PELE A CADA DOIS MESES!

UMA ESTRANHA DOENÇA tem intrigado médicos e cientistas americanos quando surgiu uma adolescente com uma terrível doença que faz a pele do seu corpo mudar a cada dois meses mais ou menos. 
A menina conhecida por "Shalini Yadav, de 16 anos, muitas vezes descrita como “serpente humana”, sofre de uma rara doença inflamatória chamada ERITRODERMIA, ou “síndrome do homem vermelho”. Tal doença fez essa jovem ser expulsa de sua escola essencialmente por preconceito de professores, alunos e funcionários na eminência de ser contagiosa. Mas ela não é. Ele é uma doença degenerativa cujo caminho é senão a morte. 
"A doença faz com que a pele do corpo se torne instável e caia de tempos em tempos.
A adolescente precisa molhar o corpo de hora em hora e passar loção de três em três horas, para evitar que sua pele endureça. Além disso, ela troca de pele a cada 45 dias. Por essa razão, a jovem foi expulsa da escola, já que sua aparência assustava os outros estudantes. Shalini disse: “Eu queria estudar mas saí da escola porque as crianças ficam com medo do meu rosto”. “Minha família está sofrendo por causa da minha doença. Mas que culpa eu tenho? Que pecado cometi para ser amaldiçoada com tal doença? Eu quero viver. Por favor, me ajudem se puderem”. Para o pai de Shalini, já é difícil pagar por todo o hidratante que a filha precisa, tendo que alimentar uma família de oito pessoas, que inclui os avós da garota. Sua mãe, Devkunwar, que trabalha como zeladora em um centro comunitário financiado pelo estado, disse: “Shalini tem essa doença desde menina”.
Desesperados: os pais de Shalini afirmam que a doença está matando lentamente sua filha. “Já procuramos vários médicos e nenhum deles foi capaz de curá-la. A doença continua a piorar”.
“Eu me sinto muito impotente quando sua pele muda e ela sofre uma dor insuportável. Não tenho ideia de quem mais posso procurar ou consultar”. A mãe, que tem outro dois filhos que não sofrem da doença, confessou que a morte seria muito mais benevolente para a sua menina. Ela acrescentou: “É melhor morrer do que viver uma vida miserável. Essa doença não vai matá-la, mas destruirá lentamente cada aspecto de sua vida.”

Noticias Internacional (Yahoo Noticias). Notícia de 3 de fevereiro de 2017.

Nenhum comentário:

Postar um comentário